aki

cadastre-se aqui
aki
Economia
24-08-2016, 21h55

Mercado começa a duvidar de ajuste de Temer

Lobby do PMDB pró-reajuste salarial do STF reforça incerteza fiscal
5

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

O presidente interino, Michel Temer, está numa encruzilhada. O mercado financeiro já começa a questionar a capacidade do seu governo de realizar um ajuste fiscal efetivo.

Senadores do PMDB que temem a investigação da Lava Jato querem agradar ao Supremo e, de quebra, ter argumento para aumentar os próprios salários. Isso reforça incerteza fiscal sobre o futuro econômico do país.

Há um poderoso lobby peemedebista pela aprovação de um projeto para elevar o salário dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. Como a remuneração de um ministro do STF é o teto do funcionalismo público, haveria na sequência o pleito de deputados e senadores para equiparação salarial. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), já marcou a votação do projeto para 6 de setembro e depois mudou para o dia 8. Mas há tucanos e democratas que querem engavetar essa proposta.

O PSDB cobra que Temer seja mais duro e vete esse reajuste, se o Congresso aprová-lo. O presidente interino vai aguardar a votação final do impeachment para tomar uma decisão. Segundo auxiliares, sua tendência é, depois de ser confirmado na Presidência, agir com mais firmeza na economia. Mas a pressão é grande para Temer ceder ao corporativismo dos ministros do Supremo e do Congresso.

*

Guerra federal

Cresceu no Supremo Tribunal Federal a avaliação de que investigadores da Lava Jato teriam cometido abusos. Gilmar Mendes criticou procuradores da República, sugerindo que partiu deles vazamento para prejudicar seu colega Dias Toffoli.

Além da reação de Rodrigo Janot, houve também um movimento dos investigadores em Curitiba para rebater Mendes. No fundo, é uma disputa de poder entre o Supremo e o Ministério Público pela condução da Lava Jato daqui em diante.

Assista aos temas do “SBT Brasil”:

Comentários
5
  1. Mauro disse:

    Parece claro que o espirito de corpo baixou com todos os santos nos membros do STF e o ensaio de uma auto-proteção conjunta pode causar impactos na Lava-Jato.
    O que valerá a partir de agora é uma pressão conjunta e organizada da sociedade e sómente assim teremos o que o Brasil precisa e deseja: CORRUPTOS NA CADEIA, sem distinção de nomes ou cargos!

    • Joaquim José da Silva Xavier disse:

      1º) “mercado financeiro já começa a questionar a capacidade do seu governo de realizar um ajuste fiscal efetivo”

      a gastança eleitoreira sempre foi característica dessa ala do PMDB que está do poder, os desavizados que pediram impeachment visando interromper a farra fiscal, me perdoem mas …

      2º) “investigadores da Lava Jato teriam cometido abusos.”

      quem falava isso meses atrás… era chamado de petista!!!
      engraçado que hoje acontecem menos delações do que antes,mas as de hoje parecem incomodar mais…

  2. Ricardo disse:

    Quando era o PT que estava no poder, tudo era permitido, inclusive vazar áudios. Agora que é o PMDB+PSDB que está no poder, nada pode. Ou seja: dois pesos, duas medidas. É claro que agora a corrupção vai “acabar”: basta nada mais ser noticiado nem investigado. Assim a população vai ficar com a sensação de que tudo está bem. E assim o Brasil volta ao seu “normal”. Invejo quem teve a possibilidade de ir embora desse republiqueta de corruptos.

  3. walter disse:

    Caro Kennedy, agora que estamos dando os últimos passos com a sombra da dilma, deveremos aguardar a virada do mes, aí sim; poderemos de fato, cobrar o Temer; ninguém teria como fazer melhor…a morosidade não é do governo, são os entraves, para chegarmos ao finalmente; mais um pouco só…
    Quanto ao imbroglio do supremo com o procurador geral; se tem uma coisa muito estranho, está nesta conversa, que os procuradores deixaram vasar o testemunho do Leo pinheiro; basta levantar tudo, principalmente, quem foi o condutor do depoimento…estranho é a dor do Gilmar; exagerou e deixou muitas duvidas no AR…será que é contra a lava jato…ou esta defendendo alguém, qual realmente é seu papel…permitirá que se apure tudo…não adianta nada, o Marcelo vem com tudo; sem opções de ignorar as delações”.

  4. gabriel disse:

    O interessante é que quando era o PT no governo a mídia não deu um dia sequer de trégua, batia direto, os 39 ministérios, os 4000 CCs, o descontrole dos gastos públicos, e o Cunha incendiado com suas pautas bombas, pra enfraquecer Dilma, ao vetá-las. Agora esses se calam, cadê o corte de ministérios, os CCS, dos 170 bi de déficit, já estavam embutidos a generosidade que passa dos R$ 127 bilhões: R$ 67,8 bilhões do reajuste para os servidores da ativa e aposentados até 2018; R$ 50 bilhões da renegociação da dívida dos estados; R$ 4,8 bilhões com reajuste do Bolsa Família até 2017; R$ 2,9 bilhões de ajuda ao Rio de Janeiro, em estado de calamidade; R$ 1,7 bilhão de renúncia fiscal com a ampliação do Supersimples em um ano. Ai eu pergunto, seria má fé as criticas ferrenhas da mídia, da oposição, dos empresários? Ou seria desinformação, ou então foi tudo articulado para o exito do golpe? Que moral tem essa gente pra julgar Dilma, hipócritas, sem moral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-21 15:42:35