aki

cadastre-se aqui
aki
Entrevistas
14-06-2018, 11h07

Movimentos de direita germinaram em protestos de 2013

Esther Solano analisa manifestações 5 anos depois
4

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A cientista social Esther Solano, professora da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), avalia que movimentos de direita que participariam da derrubada de Dilma Rosseff nasceram durante as manifestações de junho de 2013.

Segundo ela, a parcela que era favorável à queda de Dilma não era significativa em 2013, mas “os germes” desses movimentos já estavam nas ruas naquele ano. Ela cita como exemplo o MBL (Movimento Brasil Livre), que viu então “um potencial de mobilização muito grande”.

Para Esther Solano, “o ponto de inflexão mais importante é a eleição de 2014”, que deixou um país “polarizado” e permitiu que ganhassem corpo em 2015 os protestos para derrubar o PT do governo. “Tudo mudou em 2 anos, basicamente.”

Ela diz que um legado positivo das manifestações de 2013 foi “a sociedade brasileira começar a falar mais de política”. No entanto, a cientista social pondera que cresceu também “o discurso da negação da política”.

Com Bruno Paes Manso e William Novaes, Esther Solano escreveu o livro “Mascarados, a Verdadeira História dos Adeptos da Tática Black Bloc”. Ela diz que a violência desses manifestantes é uma resposta à violência cotidiana com a qual convivem nas periferias das grandes cidades. “A presença do Estado na periferia é a PM”, diz, relatando respostas de black blocs entrevistados por ela.

Esther Solano diz que os protestos desses manifestantes tinham o objetivo de trazer visibilidade perante a imprensa para as suas demandas.

Segundo a professora da Unifesp, a repressão violenta da PM paulista em 13 de junho de 2013 foi o estopim que levou ao aumento da adesão de pessoas aos protestos. Ela diz que muitas pessoas lhe disseram que já tinha vontade de ir para a rua e que aquela repressão as incentivou a engrossar as maiores manifestações de rua da nossa história.

Ouça a entrevista dada ontem no “Jornal da CBN – 2ª Edição”:

Comentários
4
  1. Alberto disse:

    Vândalos ,mas a culpa é,sempre, da PM.A cantilena de sempre.

    • walter disse:

      exatamente caro Alberto, esta Esther Solano, fez pesquisa no Iraque…impressionante, afirmar que os Black Blocs, são revoltados da periferia…que a queda da dilma, foi causada pelo ódio e perseguição da direita…não há um momento, em que possa fazer justiça, ou pelo menos meia culpa…são previsíveis o tempo todo…vamos seguir ouvindo a choradeira, de quem não sabe reconhecer o tamanho do abismo cavado por eles…

  2. walter disse:

    Fico impressionado caro Kennedy, com a avaliação de Dna Esther Solano; para começar, o que derrubou a dilma, foi a própria por inoperância…todo este processo de protestos, que tentam impingir a periferia, em parte tem participação por consequência…quanto a PM, tem participação importante, quando alguns não saem agredindo em beneficio do trafico…a PM demonstra em vários momentos, apoio a quem não tem quase nada; salvam crianças engasgadas, acidentes graves; quando de fato precisam inibir agressões de marginais, são os PMs mal remunerados que aparecem…esta insensibilidade tendenciosa desta senhora, chega a ser hilariante…Quanto aos BLACK BLOCS; tudo encomendado, a começar por revindicações sobre preços das passagens de ônibus, entre outros…são estudantes de classe média sob medida, de vários recantos do país, com sede para causar, a Sininho do Rio sabe; basta pegar fotos, anteriores, são brancos normalmente, com aparência, e da Esquerda;surgiram no governos do PT…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-29 08:42:48