aki

cadastre-se aqui
aki
Economia
17-07-2014, 9h44

Na economia, candidatos jogam esconde-esconde

17

Daniela Martins
Brasília

O comentário no “Jornal da CBN” aborda o debate eleitoral sobre a economia. A previsão de economistas de diferentes correntes de pensamento é que será necessário algum sacrifício de emprego e renda para trazer a inflação de volta ao centro da meta. Os três principais candidatos ao Planalto evitam admitir que precisarão adotar medidas amargas. Aécio Neves (PSDB) diz que vai combater os problemas com mais crescimento. Eduardo Campos (PSB) fala em mais criatividade na economia. O governo sabe que será necessário fazer ajustes no modelo atual, mas não trata disso publicamente. Acontece um jogo de esconde-esconde, porque ninguém quer desagradar ao eleitor. Hoje existe uma inflação alta, apesar do represamento do preço dos combustíveis e da energia. O crescimento tem sido baixo. Os juros são altos, de 11% ao ano. Há um quadro complicado na economia, que precisa ser discutido pelos candidatos com mais sinceridade, porque o eleitor poderá se sentir enganado durante a campanha.

Comentários
17
  1. Ricardo Lisboa disse:

    Kennedy, em governos anteriores, a inflação estava controlada e o descontrole foi culpa de quem? Quem causou o problema? Não é vergonha admitir o erro e as medidas necessárias, bem vindas, quando o grande prejudicado é o povo.

    • Antonio Celso Alencar disse:

      A inflação de 2013 foi menor que a de 2012…A última do governo do PSDB, o governo FHC foi de 12,5%…Hoje ela está em 5,48…Quem descontrolou a inflação, Ricardo?

      • Jader Manso disse:

        Antonio no governo fhc com o plano real conseguiu estabilizar e baixar a inflação, foi o plano real que desbancou o pt e derrotou lula por vários anos. Agora, após 12 anos a inflação retorna e você vem querer comparar a uma situação de muitos anos atrás, quando a economia e a situação do país era outra completamente diferente, quem é governo deve mostrar resultados no presente, encarando a realidade e a solução e não se prender a comparações no passado para justificar a inércia e, politicamente, atacar oposições que em nada tem a ver com o fato. Na época fhc agiu muito bem e foi aplaudido pelos especialistas, ta na hora de alguém tentar fazer o melhor, se puder.

      • C Santos disse:

        Caro Antonio Celso Alencar,
        FHC foi presidente do Brasil a 20 anos atras e voces ainda tem obssessao por ele !!!! Procure um psicologo !!!
        Na sua propria linha de raciocinio, FHC foi o melhor presidente do Brasil, pois recebeu o pais com inflação de 70% ao mes e devolveu o pais conforme voce mesmo disse com inflaçao de 12,5% a.a. !!!!
        Cai na real, acorda deste sonho de Poliana e aceite que o governo Dilma apresentara a mais baixa taxa de crescimento combinada com a mais alta taxa de inflaçao dos ultimos governos!!!! é a pior media de PIB e inflaçao dos ultimos 30 anos de governo !!!!

  2. walter.nobre disse:

    “Os candidatos, não querem comentar, como debelarão a inflação; melhor, qual o remédio para baixa-la; nem a Dilma tem coragem de comentar…quando falamos de economia; métodos arcaicos e amargos, vem a tona…Economistas de renome, com velhos métodos…
    Suas alternativas são sempre!…apertem o cintos, austeridade nos gastos públicos…o que nunca ocorre!!!…pelo contrário,diminuem investimentos em prioridades, como saúde e Educação…diante dos fatos, considerando que para se eleger; eles todos usam o ilusionismo e muita maquiagem…
    Quem tiver mais coragem, de ser abrangente, neste tema…este cara, se for convincente e “sincero”…será o próximo Presidente…eu disse Presidente
    Mas todos nos, iremos sofrer em 2015, seja lá quem for…graças as estripulias do PT, sobrarão contas”…

  3. José Carlos Damaceno disse:

    NOS ÚLTIMOS DOZE ANOS A INFLAÇÃO É BAIXA COM CERTEZA, É QUE TEM UM MONTE DE GENTE QUE NUNCA FOI A UM SUPERMERCADO FAZER COMPRAS E FICA DANDO OPINIÃO AQUI VOU DAR ALGUNS EXEMPLOS, PARA OS MAIS POBRES NO BRASIL ARROZ AÇÚCAR CAFE FEIJÃO E CARNE ESTÃO NO MESMO PREÇO DE 12 ANOS ATRÁS O AÇÚCAR ESTÁ ATÉ MAIS BARATO ENTÃO O QUE INTERESSA AS PESSOAS NÃO TEVE INFLAÇÃO O RESTO É QUERER ACHAR CHIFRE EM CABEÇA DE CAVALO.

    • C Santos disse:

      Caro José Carlos Damaceno,
      Muito boa essa piada . . . estou rindo ate agora !!!
      Qual supermercado voce faz compras mesmo ???
      Melhor qual planeta voce vive ?????????!!!!!!!!!!

    • Karol Ledisck Japerk disse:

      Acho que há algum equívoco,faço compras nos supermercados toda 4ª feira.Uma bandeja de com 20 ovos estava 6,40 no mês passado agora já está 8,37, café que estava 6,40 esta em torno de 8,50,açúcar está em torno de 1,59 em promoção e arroz que estava em torno de 10,00 tipo 1 esta em torno de 13,00.Baixou algumas verduras,porém os legumes subiram mais de 20%.Desde quando aposentei em 2010 fiz uma planilha calculando quanto ganhava em dólares,cesta básica,ouro e euro e atualizo mensalmente.Tenho perdido poder de compra em todos eles,exceto o preço do ouro em que o grama está em torno de 92,00,já chegou até 105,00.

  4. gesiel disse:

    NÃO TEM JOGO DE ESCONDE ESCONDE. O que está claro é que TEM O GOVERNO da DILMA do PT, com a inflação de 6,5%; o AVENTUREIRO Eduardo Campos do PSB PROMETENDO baixar a inflação para 3% SEM DIZER COMO VAI FAZER ISSO; e o Aecio Neves do PSDB, que REPRESENTA O PARTIDO DO FHC que QUEBROU O PLANO REAL e deixou o país com UMA HIPERINFLAÇÃO de 16%; SEM PLANO DE GOVERNO e querendo PREGAR O TERROR contra OS FATOS.

  5. João do Rio disse:

    Uma situação interessante é que os juros Selic do último ano do mandato FHC estavam a 45% com inflação de 12,5%. Hoje a taxa Selic a 11%, e já esteve mais baixa, só que até mesmo a imprensa exigia o seu aumento para não haver inflação.

  6. WELLINGTON disse:

    Gostaria muito que alguem que tenha graduação para explicar se há fundamento ao que vou dizer: QUANDO O MUNDO COMEÇOU A ENTRAR EM CRISE O NOSSO EX PRESIDENTE LULA FALOU PARA QUE AS PESSOAS GASTASSEM, COMPRASSEM E SEGUNDO DISSERAM, INCLUSIVE O PRESIDENTE Á ÉPOCA QUE O BRASIL FOI O PAÍS QUE SAIU MAIS RAPIDO DA CRISE POR CAUSA DESSA MEDIDA, DESDE ENTÃO PASSEI A TENTAR O PORQUE, E AO MEU VER É APENAS PORQUE QUANTO MAIS O POVO GASTA, MAIS O COMÉRCIO VENDE, QUE TAMBÉM COMPRA MAIS DOS FABRICANTES, QUE CONSEQUENTEMENTE PRECISAM CONTRATAR MAIS GENTE E TAMBÉM QUANTO MAIS GASTAM MAIS ARRECADAÇÃO DE IMPOSTO, MAIS DINHEIRO PARA INVESTIR, PORQUE PARA QUE POSSAMOS PAGAR AS CONTAS PRECISAMOS DE RENDA, ENTÃO PRECISAMOS DE TRABALHO, QUANTO MAIS GANHAMOS MAIS GASTAMOS, É UM CICLO, RECENTEMENTE COMENTARAM NAS REDES QUE O NORDESTE VEM DESENVOLVENDO TANTO PORQUE LÁ A GRANDE MAIORIA DAS PESSOAS RECEBEM ALGUMA RENDA, PORTANTO FAZ CRESCER A ECONOMIA, SE ISSO É UMA VERDADE, E PARECE QUE É, JÁ QUE A MAIOR ECONOMIA DO MUNDO TEM ÓTIMOS SALARIOS (ESTADOS UNIDOS 1500 DOLARES) E MERCADORIAS BARATAS, PORQUE NÃO ADOTAMOS ISSO EM NOSSOS PAÍS? SERÁ QUE PORQUE QUANTO MAIS RENDA TEM O POVO, MAIS PESSOAS CASANDO E AUMENTAM A POPULAÇÃO E PASSAMOS A DEGRADAR MAIS AINDA O PLANETA? POIS A QUANTIDADE DE RECURSOS NATURAIS É A MESMA DESDE QUE O PLANETA EXISTE, MAS O CONTROLE DE NATALIDADE PODE RESOLVER ISSO? HÁ TAMBÉM QUE SER REVISTO QUE AS MÁQUINAS E A TECNOLOGIA VEM TIRANDO MUITAS OPORTUNIDADES DE TRABALHO, GOSTARIA QUE FIZESSEM UM ESTUDO PARA VER QUAL O PERCENTUAL DE PESSOAS EMPREGADAS EM RELAÇÃO AO TAMANHO DA POPULAÇÃO ATUALMENTE E NA DÉCADA DE 70, 80, ISSO PODE PROVAR QUE MUITAS PESSOAS POR MAIS QUALIFICADAS SEJAM, NÃO HAVERÁ OPORTUNIDADE DE TRABALHO PARA TODAS, CONSEQUENTEMENTE PODEREMOS CHEGAR A UM MOMENTO QUE TEREMOS QUE FAZER RODÍZIO DE EMPREGOS PARA QUE TODOS TENHAM OPORTUNIDADE E SEM REDUZIR RENDA, PORQUE A RENDA FARÁ A ECONOMIA CRESCER. SE ISSO FOR UMA VERDADE, CREIO TAMBÉM QUE ERRARAM EM AUMENTAR O TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO DE APOSENTADORIA, TERIAM É QUE REDUZIR O TEMPO PARA QUE HAJA OPORTUNIDADE PARA OS MAIS JOVENS, AFINAL, A ECONOMIA OU MELHOR, O PIB SERÁ PRATICAMENTE A MESMA SE FOR BASEADA NA PRODUÇÃO, JÁ QUE A OPORTUNIDADE DE TRABALHO É A MESMA MAS A QUANTIDADE DE TRABALHADORES É QUE CRESCEU, BASTA VER QUANTAS PESSOAS SÃO LANÇADAS PELAS FACULDADES TODOS OS ANOS NO MUNDO, QUANDO IRÃO ACORDAR PRA ESSA REALIDADE? GOSTARIA APENAS QUE PENSASSEM NISSO.

    • Ronaldo disse:

      Seu texto tem foco em uma área do conhecimento, a saber, economia, na qual não tenho graduação, entretanto o que pude avaliar deslocando para o contexto das que tenho, filosofia, arqueologia e biblioteconomia, me levam a afirmar que posso concordar com os fatos que foram expostos, mas, não consigo chegar as mesmas conclusões que as suas em alguns dos casos. Entretanto, ficou demonstrado que gostas de teu país, pois, pensas em seus problemas e até propões soluções, ficou também claro que tens potencial para aprender e expandir o conhecimento apreendido, o que me leva a terminar minha resposta com uma sugestão: Se a vida te permitir, vá ou volte para a universidade, pois, apesar de toda a distorção que certas medidas acarretaram em tal instituição, ainda é o melhor local para a discussão de temas relevantes e também continua nos dar acesso ao conhecimento capaz de ampliar nossos horizontes, nos capacitando a uma melhor leitura do mundo que nos cerca, principalmente para os que conseguem frequentá-la deixando na porta de entrada seus preconceitos e opiniões pré concebidas.

  7. Ronaldo disse:

    Já estou me sentindo enganado antes da campanha, pois, até as alianças pragmáticas, sem nenhuma afinidade ideológica o programática já estão “fazendo agua” e mostrando que não existem projetos, apenas busca alienada pelo poder, ou seja, propõem trocar o que está ruim, mas conhecido, pelo talvez pior a desconhecido. Mas, na terra do faz de conta, as coisas sempre aconteceram assim, logo, não é por desconhecimento de métodos ou postura que costumamos colocar em Brasília figuras que não aceitaríamos em nosso condomínio. É puro resultado de nossa acomodação, falta voluntária de conhecimento e a hegemonia de um imprensa ruim, que em sua quase totalidade faz questão de omitir fatos a respeito de candidatos que poderiam auxiliar em uma avaliação razoável de seu potencial. Todos tem ao longo de sua trajetória tais fatos e ocasionalmente, com muita discrição, aparece algum, é uma votação mal explicada na tribuna do Senado para um, um contrato de transporte para outro, uma refinaria cara que só refina petróleo leve que o país não produz, enfim se tais casos aparecessem com mais ênfase, ao menos os que leem, votariam melhor.

  8. Como não somos economistas (que, aliás, parece que erram mais do que acertam) que ditam as regras do que fazer, ficamos aflitos com o que virá depois das eleições. Os candidatos e os partidos não são claros conosco a respeito do que pretendem fazer. Mas tentamos fazer um juizo a respeito. Acho, p. ex., que passamos por cerca de 3, 4 anos com o mundo capitalista em crise e o Brasil relativamente bem. O dado mais positivo: ao contrário do desemprego que avassalou EUA e Europa, por aqui houve queda continuada do desemprego. Reclamar? Por que? A renda média aumentou, possibilitando maior consumo e mantendo e até aumentando os empregos. Reclamar? Por que? A inflação voltou. Mas em que nível? Alto? Fora do controle? Não. O BC aumenta a selic e controla + ou- a inflação. Está sob controle. Um economista disse que o “quadro atual” é resultado desses dados positivos (aumento do consumo sobre tudo) e que isso deveria ter gerado medidas (quais) que permitissem controlar melhor a situação. Você entendeu? Eu também não. Bem, por outro lado, acho que o pessimismo às vezes é plantado na mídia. Começa-se a dizer que as coisas estão mal, que há descontrole da inflação, que há perigo de bolha imobiliária, que há falta de investimentos e que o país de desindustrializa, perde competitividade. Quem está preocupado realmente com tudo isso? O governo atual por acaso “traiu” a confiança dos empresários que lhe dão apoio? As medidas de isenção de impostos por acaso os prejudicou? As folhas de pagamentos estão com maiores isenções trabalhistas, ou não? Os lucros de algumas grandes empresas caíram – é o caso das automobilísticas. O o caso de perguntas: o que elas queriam mais? Acho sinceramente, que esse quadro é plantado para desestabilizar todos nós, fazermos duvidar das coisas que, afinal, não estão ruins. O desemprego não está batendo nas portas das casas de nenhuma das classes sociais; pelo contrário. Mesmo com lucros menores, os empresários vivem muito bem obrigado, e estão longe de sair do país (lembram-se !?). O pânico é utilizado para desestabilizar; se não surtir efeito a “tempestade econômica que se avizinha sobre nós”, quem sabe apelar-se-á de novo para a foto da guerrilheira assaltante de bancos, para a filha fora do casamento de Lula, para a corrupção dos políticos – mas aí a coisa é meio-a-meio, pois há mensaleiro por todos os lados, há contratos sem licitação, propinas, etc. etc. O meu medo maior, para voltar à economia, é esconderem que armam medidas que irão desvalorizar os nossos salários para permitir um ganho maior para recomporem o caixa, reequilibrarem os gastos com o Trabalho e aumentarem o tal do Capital.
    Não nos deixemos assustar, portanto. O importante é tentar comprometer os candidatos com medidas que garantam, efetivamente, os ganhos obtidos até aqui, manter o nível de renda e até aumentá-lo se possível,que se comprometam efetivamente com a geração de empregos, que busquem medidas que integrem as regiões do país numa economia mais firme e propensa a dar maior vitalidade ao nosso mercado interno, que efetivamente adotem medidas que retirem do atraso social e econômico regiões historicamente miseráveis de nosso país, cuja situação é mantida por uma indecente oligarquia reacionária que mama nas tetas do Estado desde os tempos das sesmarias que lhe deu origem. Espero também que haja por parte dos profissionais da mídia, os jornalistas, maior compromisso com a verdade e com a democracia. Obrigado

  9. Enio Martins disse:

    O governo FHC, apesar de também ter cometido erros, foi realemtne o que tirou o nosso País
    daquela condição de probreza em que viviamos. haja visto, que para se comprar uma linha telefonica, dispendiamos de um valor de até R$ 6 mil, aqui em São Paulo. Fora isso os celulares ficaram mais acessiveis, e as pessoas puderam começar a ter o direito de planejar melhor a vida, com uma moeda mais forte e uma baixa inflação. A inflação no final do governo FHC aumentou, é bem verdade, porém os valores e indices eram realistas e não MAQUIADOS como hoje é feito. Fora isto, as empresas pagavam menos impostos, e bem menos impostos, diga-se de passageme as despesas do governo eram muito menores, já que não tinhamos 39 Ministérios, como hoje. O que aliás era um bandeira do ex-presidente Lula, que em sua campanha, inclusive, criticou FHC, pela quantidade de ministérios, foi eleito e aumentou a quantidade dos mesmos. Dá para entender isso. O Brasil precisa aprender a ter mais seriedade no trato da Coisa e da Causa Pública, pois o que mais queremos, como homens de bem, é ver as necessidades das pessoas serem realmente atendidas, principalmente os mais pobres, com uma melhor distribuição de rendae um Governo voltado realmente para o Povo, pelo bem do Povo; e não para interesses partidários, que só fazem dividir e inflamar um País.
    Todas as Verdades devem ser ditas; Deve-se portanto, dizer todas as verdades.

    • Nuno disse:

      Enio Martins, PENSE O SEGUINTE: SE O GOVERNO DO FHC e os GOVERNOS DO PSDB são estas maravilhas que você acredita, “POR QUE ENTÃO ELES NÃO VÊEM A PUBLICA PARA APENAS EXPLICAR?” Ora meu caro Enio, o TELEFONE QUE HOJE É PRATICAMENTE DE GRAÇA, é “UMA PARTE MUITO PEQUENINA das PRIVATIZAÇÕES QUE O FHC FEZ E NÃO QUER EXPLICAR”. Por que que os deputados estaduais do PSDB do ALCKMIN E DO SERRA NÃO DEIXAM ABRIR CPIs na ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SÃO PAULO, para que seja feita justiça e APRESENTE OS VERDADEIROS CULPADOS NO TRENSALÃO como fez os deputados e senadores do PT quando deixaram abrir a CPI do MENSALÃO DO CONGRESSO? Do que o PSDB TEM MEDO Enio,ja que aqui em São Paulo ainda existe muitos eleitores como você que continuam achando que o PSDB é melhor que o PT, e que o aumento das tarifas do metrô que é de responsabilidade do Alckmin não tem tanto problema quanto aos aumentos das tarifas de onibus que é de responsabilidade do Haddad?

  10. antonio barbosa disse:

    Eleição no Brasil se assemelha ao filme “O caso de Benjamin Button”. Tudo começa de trás para frente. Fala-se do legado. Fulano fez isso, beltrano fez aquilo e agora vamos aprofundar tudo ou afundar. O fato concreto que deveria existir começaria na honestidade dos governantes, no caráter, na proposta sincera, na postura positiva. Depois da ditadura dois homens tiveram a oportunidade de escrever seus nomes na história do Brasil com letras de ouro: “Fernando Collor e Luis Inácio Lula da Silva”, ambos fracassaram fragorosamente. Por quê se ambos tinham total apoio popular? Simples meu caro. Porque ambos mentiam enquanto discursavam para o povo (todos nós sem exceção). Collor surgiu como o “caçador de marajás” e o resto a gente já sabe. Lula surgiu como a nova ética e moral da política brasileira e o resto a gente também sabe. O que importa quem será o novo presidente do Brasil? Absolutamente nada. Porque nada vai mudar. Todos os candidatos falam abobrinhas, mentiras, engodos, fantasias. Em campanha tudo é possível, tudo é viável, mas depois as desculpas já estão prontas para os percalços. Esta politicalha atual do Brasil já deu o que tinha de dar. Está velha e carcomida por “bichos da corrupção”, do desprezo pelo bem público, pela falta de caráter, pelo mercantilismo e corporativismo do Congresso Nacional. O que adianta eleger este o aquele se no fim são as casas legislativas quem realmente mandam? Tudo tem de ser negociado, ajustado, “acertado”. Eu gostaria de ver um candidato que viesse a público e dissesse: “Estamos falidos”. Devemos “n dólares”, estamos com uma dívida interna acachapante, gastamos “x” para manter as instituições do país e arrecadamos “y” ; enfim, falasse a verdade nua e crua. E dissesse clara e objetivamente: “Meu plano é este para “z” tempos de amargura e darei informações mensalmente do andamento de tudo que gira no país”. Ninguém tem coragem. Na verdade quando alguém tenta fazer algo de bom para o povo logo é criticado, difamado e caluniado. Há muito dinheiro em jogo, muitos cargos, muitas mamatas. É pouca “teta” para muitos “mamadores”. Por exemplo: Dilma viesse a público e dissesse: “Quero implantar o socialismo comunista no Brasil e para isso começo com o decreto de participação popular”. Cadê a coragem. – Aécio dissesse: “Vou ajustar todas as contas atrasadas, aumentar a gasolina, a luz, demitir metade do funcionalismo para torná-lo mais eficaz, voltar o bolsa escola ao invés do família”. Nem a pau Juvenal. Eduardo dissesse: “Vou reduzir as fronteiras agrícolas para viabilizar o plano de sustentabilidade; vou transferir as industrias do Sul e Sudeste para o Nordeste e vou fazer também tudo o que o Aécio disse”. Tás brincando né? Mas no fim é isso que cada um pensa, mas não fala, porque são mentirosos de carteirinha. Querem ganhar as eleições custe o que custar e mentir ou omitir faz parte do jogo sujo de campanha. De uma coisa tenho certeza: “O próximo presidente vai continuar a depender do Congresso Nacional e para viabilizar seus projetos vai de ter começar pelos mesmos caminhos de sempre, de trás para frente, ou seja, do velho e carcomido Congresso para dentro do Planalto”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-21 20:58:53