aki

cadastre-se aqui
aki
Geral
24-09-2019, 19h12

Na ONU, Bolsonaro diminui tamanho e importância do Brasil no mundo

Pensando pequeno, rebaixa país a uma república de bananas
2

Kennedy Alencar
BRASÍLIA

Ao discursar hoje na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas, o presidente Jair Bolsonaro diminuiu o tamanho e a importância do Brasil perante o planeta. Sua fala desastrosa e recheada de mentiras afastará investimentos e negócios do país.

Bolsonaro pensou pequeno e apequenou o Brasil. Usou um palco global como se estivesse num comício eleitoral, falando para os cerca de 30% de brasileiros que aprovam sua administração. Ele não falou como representante de uma nação, mas como candidato.

Bolsonaro rebaixou o país a uma república de bananas. Discursou em tom agressivo, lembrando um ditador latino-americano dos anos 60, da época da Guerra Fria. Atacou países aliados e que têm empresas no Brasil, como a França e a Alemanha.

Ora, o presidente da França, Emmanuel Macron, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, são fundamentais para tirar do papel o acordo entre a União Europeia e o Mercosul. É um equívoco geopolítico criticar países com os quais deveria construir pontes.

Mentiu sobre o que acontece na Amazônia. Voltou a dar corda a uma teoria conspiratória de ameaça à soberania brasileira. Seu discurso oficializou a guinada de uma política externa que foge à tradição do Itamaraty e que se aliou à extrema-direita populista mundial.

O presidente defendeu a ditadura de 64, agredindo democratas de todo o planeta. Criticou a ONU. Falou bobagem sobre o Foro de São Paulo. Nunca o Brasil esteve à beira do socialismo. Repetiu para uma plateia mundial os absurdos que diz domesticamente.

Ao longo de quase três décadas, o Brasil veio construindo credibilidade na área ambiental, com políticas mais responsáveis. Desde a Eco-92, no governo Collor, há avanços nessa área.

Mas Bolsonaro e seu ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, implementam a destruição da nossa política ambiental. E o mundo sabe. Os satélites da Nasa e a séria comunidade científica entendem as consequências do crescimento das queimadas e do desmatamento na Amazônia. Esse negacionismo ambiental e climático não cola perante o mundo. Simples assim.

Pela manhã, escrevi um artigo no blog com uma primeira análise sobre o discurso: “Falsa e desastrosa, fala de Bolsonaro só piora a imagem do Brasil”. Peguei leve. Discurso piorou ainda mais a imagem do presidente, que já é ruim no exterior, e trouxe danos e vergonha aos brasileiros.

Ouça o comentário feito hoje no “Jornal da CBN – 2ª Edição”:

Comentários
2
  1. Edson Candido disse:

    Ainda bem que temos imprensa livre (pelo menos ainda) para deslumbrar a pequenez desse (des)governo. Os minions vão usar aqueles termos bem amigáveis, espere! Kkkkkkkk

    • walter nobre disse:

      Somos conhecidos lá fora Kennedy, como o País das bananas, o discurso do bolsonaro, considerando as condições “climáticas”, pode ter sido incisivo e exagerado nas virgulas, diante de tanta pressão nos últimos dois meses, por mal intencionados de fora; tentam fazer parecer que os problemas do mundo estão vinculados a nossa Amazônia, nada tem a ver, como não podem mudar fatos do dia para a noite; o presidente da França com uma rejeição de 80%, tenta desqualificar o governo brasileiro a mais de quatro meses: acreditar que vamos dar a volta por cima, deve ser o objetivo já que precisamos muito desta saída.

Deixe uma resposta para Edson Candido Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-30 09:49:00