aki

cadastre-se aqui
aki
Política
08-11-2018, 11h00

Não sai reforma da Previdência em 2018, avaliam Temer e Bolsonaro

Atual Congresso resiste a votar medida impopular
15

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

O presidente Michel Temer e o sucessor, Jair Bolsonaro, avaliaram juntos ontem que não será possível fazer a reforma da Previdência neste ano. Os dois tiveram encontro oficial no Palácio do Planalto.

Temer e Bolsonaro captaram resistências no atual Congresso para aprovar uma medida impopular. Parlamentares que não se reelegeram são os mais resistentes a endossar uma reforma previdenciária em 2018.

Para efeito público, Temer e Bolsonaro decidiram alimentar a expectativa de aprovar algo neste ano. Nos bastidores, porém, ambos jogaram a toalha.

Bolsonaro não quer correr o risco de sofrer uma derrota parlamentar antes de ser empossado. Temer tampouco deseja fracassar no final do mandato.

Os dois combinaram que seus assessores considerariam a possibilidade de alguma mudança infraconstitucional, mas até isso é considerado improvável.

*

Presente de grego

O Senado aprovou ontem a primeira pauta-bomba de Bolsonaro. Votou o reajuste do salário dos ministros do STF para 39,2 mil a partir do ano que vem. Prevaleceu o corporativismo do Judiciário e do Ministério Público. Haverá efeito cascata danoso para as contas públicas.

Na manhã de ontem, Bolsonaro acertou ao criticar publicamente a intenção do Congresso de aprovar o aumento salarial de ministros do STF. De tarde, recebeu o presente de grego.

Esse reajuste é uma forma de incorporar o auxílio-moradia. Com o aumento para os próprios salários, os ministros do STF se comprometeram a acabar com o privilégio. Temer fez acordo nesse sentido com os presidentes do STF, Dias Toffoli, da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira.

*

Retrocesso federal

A extinção do Ministério do Trabalho será um retrocesso. É uma pasta com importância histórica. No atual contexto de alto desemprego, os trabalhadores perderam poder de fogo no governo federal.

Bolsonaro comete um erro ao prometer acabar com a pasta. Deveria voltar atrás.

*

Disputa de poder

Em entrevista ao “Jornal da CBN – 2ª Edição”, o presidente da UDR (União Democrática Ruralista), Nabhan Garcia, reiterou críticas a Onyx Lorenzoni, futuro chefe da Casa Civil, e disse que tinha melhor indicação para Ministério da Agricultura do que da deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS). Presidente da Frente Parlamentar Agropecuária, ela foi confirmada na Agricultura por Bolsonaro.

Foi a primeira indicação de uma mulher para o futuro ministério. Isso é positivo. Mas a deputada dará tom conservador à Agricultura, o que é negativo.

Ouça os comentários feitos ontem no “Jornal da CBN – 2ª Edição”:

Comentários
15
  1. ESTÁ FALTANDO "VERGONHA NA CARA"! (1) disse:

    *Tenho dúvidas se a reforma da Previdência é assim tão “impopular”, quanto apregoam. É realmente muito “impopular” entre os que estão protegidos por aposentadorias privilegiadas. O que a grande massa realmente não aceita é ser ela a única realmente a fazer sacrifícios, pois na sua cara são concedidos, todos os dias, benefícios e nunca sacrifícios aos funcionários públicos, principalmente os mais graduados dos setores mais privilegiados do Executivo, Legislativo, Judiciário, Forças Armadas etc. O que falta é um “espírito de corpo” de todos para a solução da grave crise da Previdência, onde todos percam um pouco. Como podem os mais pobres principalmente, entender que é justo um “funcionário público” que tem um salário de 33 mil reais por mês (mais de mil reais “POR DIA”, num país onde o salário mínimo não chega a mil reais “POR MÊS”? Só porque estudou, foi aprovado num concurso público muito disputado; ou se candidatou a um cargo público e foi eleito?

  2. ESTÁ FALTANDO VERGONHA NA CARA! (2) disse:

    Isso explica, mas não justifica. No entendimento de todo cidadão, todos são cidadãos brasileiros, iguais perante a lei, com as mesmas necessidades, que nascem todos do ventre de uma mulher e que ao morrerem vão para debaixo da terra igualmene. Haver diferenças salariais, tudo bem, há muitos fatores que justificam isso, mas não tamanhas exorbitâncias nas diferenças! Está faltando juízo dos dirigentes do nosso país. É preciso um espírito de corpo para que sejam eliminadas tão grandes diferenças sociais, salariais principalmente, em nome da justiça e paz social em nosso país.Não pode continuar existindo essa separação de “nós e eles”, é preciso que nos unamos todos para um país de todos os brasileiros. Só está faltando “VERGONHA NA CARA”!

  3. Alberto disse:

    Nenhuma novidade na terra do sindicalismo e funcionalismo.

  4. walter disse:

    Seria um milagre caro Kennedy, a reforma da previdência sair este ano, o que prova que o Maia não tem cacife, e o temer desgastado não tem Moral para nada…poderá se salvar, se Vetar o aumento do Judiciário, aprovado por sacanas, não reeleitos; deveríamos ter lei para os oportunistas, que não ligam a mínima para a regularidade, e lisura de seus postos…pensando rápido; quem sabe o presidente Novo, possa convencer o Temer politicamente…não vejo nenhum problema, na extinção deste ministério; conservadorismo nesta hora, nada resolve, não agrega valores; mantínhamos neste ministério, um antro de sindicalistas, sem qualquer intenção a favor…acredito sinceramente, que o Bolsonaro, vai gerar empregos suficientes, para o beneficio da economia…acreditar na nova gestão, faz parte das expectativas; deveremos ter valores e transparência..

  5. […] Fonte: Não sai reforma da Previdência em 2018, avaliam Temer e Bolsonaro | Blog do Kennedy […]

  6. jose disse:

    Na Istoé, Ricardo boechat traz salários de ministros do tribunal superior militar. É bom darem uma olhadinha os que estão insatisfeitos com o reajuste dado ao STF e aos demais cargos do mundo da toca. E a previdência dos militares, quanto reconhem os milicos e suas filhas com pensões vitalícias… fazem o que pra merecerem… o trbalhador que mantém essa joça nas costas tem pensão e aposentadoria michurucas… Defendem o Brasil em que, com discursos patrióticos que não enchem barriga de ninguém, correndo por ruas gritando selva atrapanhando o trânsito de quem trabalha e sutenta essa canoa furada que tarda a afunda, anda benza… e a rota 2030, não vão verificar se houve propina. Não sendo do PT, tudo pode nessa canoa furada. Estão verificando propina ao senador Romero Jucá, depois de 30 anos de bailes na bala do baile patrocinado pelo contribuinte e depois de derrotado nas últimas eleições. Pra conçolo, Maluf ficou anos também na lsita da interpol, mas nos tribunais não vinha ao caso.

  7. jose disse:

    Certo que, por razões de bom gosto, não acompanho notícias sobre o futuro governo brasileiro. Mas depois de eleito, o presidente não falou mais em tirar verbas públicas de publicidade da globo. Cuturno, toga e dízimo: essa tríade vai bagunçar o coreto. Estão em lugar inapropriado de suas funções institucionais, legítimas e legais. E ainda dizem que as instituições brasileiras estão funcionando em estado democrático, resta saber pra quem.

  8. DIRETO AO ASSUNTO: "TOMA LÁ DÁ CÁ" INDECENTE DO SENADO COM JUDICIÁRIO! disse:

    Deveria haver forma de coibir a ação de facínoras na Câmara Federal, Senado e STF, pois são irreparáveis os prejuízos que causam ao país. Principalmente quando tais ações se dão no fechar das cortinas de mandatos. É uma vergonha tomarem decisões prejudiciais a governo que irá começar – e ao mesmo tempo com indisfarçável “toma lá dá cá” indecente com o STF, procurando criar um salvo conduto contra iminentes condenações judiciais. Não há como disfarçar, essa é a realidade: bandidos travestidos de senadores, muitos se vingando dos eleitores que não os reelegeram; outros querendo angariar os beneplácitos em processos dentro do Judiciário, em especial no STF, hoje caracterizado por visíveis defensores de corruptos. É preciso que o novo Congresso cuide em criar meios de coibir tanta vergonha! Ninguém aguenta mais conviver com tanto vilipêndio! A falta de vergonha na cara atingiu limites insuportáveis!

  9. "COLHEM-SE FIGOS DE ESPINHEIROS, OU FIGOS DOS ABROLHOS"? disse:

    Desse Senado e Câmara Federal nada mais se espera de bom: somente mais vergonha e prejuízo aos cofres públicos! Pois, como está escrito na Bíblia Sagrada, no livro de Mateus, capítulo 7, versículo 16: “Colhem´se figos de espinheiros, ou figos dos abrolhos”? Os canalhas punidos nas urnas, estão despeitados, vingativos, não humilhados porque quem perdeu a vergonha na cara jamais se sente humilhado, arrependido – é orgulhoso, presunçoso, mentiroso e vingativo. Esperemos apenas que a Lava Jato cuide deles, após o dia 1º de janeiro de 2019 – sem o manto protetor do STF!

  10. mano disse:

    prezados: esse país não tem jeito. deficit público de R$140bi, R$6bi para salários do judiciário, R$1,5bi para indústria automotiva; bolsa em queda, dolar sobe, juro futuro sobe; ações caem; juiz da lava jato assume cargo político; convite jantar para 36 juízes do STJ; Ê, Ô, Ô vida de gado, povo marcado, ê, povo feliz!; heuheuheuheuheu!

  11. Miguel Ângelo disse:

    Não existe milagre para a Reforma da Previdência. E é uma covardia, para o que é uma aposentadoria, tratá-la simplesmente como uma capitalização. Temos que observar o lado social. E não comparar o que temos aqui com outro lugar. Os motivos são muitos: primeiro, que desconheço um outro pais onde as chaves e segredos dos cofres da previdência estão na mão de representantes da corrupção e imoralidade que impera neste país. E isto não muda, porque Moro aparece fazendo algo nos holofotes. Depois, porque não se acaba com esta bravata, e realmente terminem com a festa do boi, e do trenzinho da alegria dos 3 poderes, principalmente judiciário e militares das FFAAs? Não querem aceitar que obram para a justiça e moralidade. Saiam pela tangente, e criem uma loteria para arcar com estes bilhões de déficit. É moral, achar soluções, para sua própria ganância. E o que é uma nova loteria para a CEF? Não existe saída matemática. Por isto, seja Temer, seja o Bolsonaro, nada farão.Existe saída econômica.

  12. Miguel Ângelo disse:

    E a saída econômica não pode ser adotada sozinha. Nós brasileiros gostaríamos que fosse vedado o aumento. Mas não acreditamos que Temer vede. Ele tem interesses pessoais e falar mi mi mi e tentar tirar o brinquedo dele da reta de Moro Ministro em 2019. Dá para rir. Como o Congresso pode ajudar a Bolsonaro? 1º – aprovado aumento (ou até mesmo não), impor congelamento do salário do judiciário por dois mandatos presidenciáveis (entenda 8 anos). E também dos outros 2 poderes. Instituir no Brasil, o salário mínimo federal (já temos)como para a esfera federal. E exigir, conforme os Estados pelas suas competências no manuseio das contas públicas, o salário estadual. O pensamento econômico deve alinhar-se a seguinte observação: O que tem o Canadá, a Austrália, o Kuwait a mais que o Brasil para ter um salário acima de R$ 4.500,00 reais? Necessidade de criar volume financeiro para gerar tributos e com isto arcar com suas dívidas da máquina pública. Se aumentam os salários mínimos, por terem …

  13. Miguel Ângelo disse:

    Vamos incluir Luxemburgo, Bélgica, Irlanda e França. Países com pequenas populações, mesmo que estivessem com sua economia em ótima situação. Se tivessem o motor da economia local, salário que nem aparece na lista, dos maiores do mundo – como é o teu neste País chamado Brasil. Gerariam o que de tributos ao erário? Quase nada. Isto pensando proporção matemática. Se o Brasil tem o que tem com 210 milhões de habitantes, com a mesma mixaria o que estes países de primeiro mundo fariam? Nada! Congelando salários dos 3 poderes por 08 anos. Daria para ir testando nos Estados brasileiros que estão equilibrados o aumento do mínimo anualmente até termos um salário mínimo de R$ 4.500,00 reais (não o federal). Vai aumentar o desemprego? Não! Vai acontecer ajustes. No início despedem. Acontece o consumo. E a necessidade de voltar a contratar mais. Aí cresce a economia local e este Estado gera mais tributo para a União, ele e Municípios. Só assim se salva a Previdência e aposentadoria de verdade.

  14. Miguel Ângelo disse:

    E claro que existem ajustes nesta linha de pensamento. Contudo, existem várias verdades que não vão mudar: os militares querem sua aposentadoria diferenciada – e é justo que pensem assim – afinal eles também se dedicam com exclusividade a uma causa que se necessária deixa viúva e filhos. Fora, que a guerra faz heróis, mas é uma fábrica de loucos também. Os 3 poderes (com os militares incluso neles) tem sua particularidade. Judiciário, pode ficar sem aumento 3 governos (ganham muito e já por muito tempo); Legislativo e Executivo, não deviam ter nem salário. E esta de isonomia devia servir a todos, se todo país fosse uma Suíça, Suécia. Se temos miséria, porque prestigiar os algozes que justificam isto? Eles e a elite financeira, são quem arquitetam as mazelas para o povo. Se a população nova reduziu 3x. Aumente o salário 5x. Vai existir superávit. E dá para fazer precatórios e despedir 90% do judiciário atual. E impor proventos dentro da moralidade. Brasil refém. Nunca mais!

  15. J K disse:

    Devia estar mostrando que preparou-se para governar apresentando uma projeto de reforma tributária para, a partir daí, implementar o resto

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-11-19 19:51:35