aki

cadastre-se aqui
aki
Política
08-09-2016, 9h14

No comando do STF, Cármen Lúcia deveria se opor a reajuste salarial

Temer terá de conviver com protestos durante todo o seu governo
15

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A equipe econômica do governo Temer espera que a ministra Cármen Lúcia rejeite publicamente a ideia de o Senado aprovar um aumento salarial para ministros do STF na atual situação econômica do Brasil. O projeto prevê elevação do salário de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil.

Como a remuneração de um ministro do Supremo serve de referência para o teto salarial do funcionalismo, a aprovação desse projeto geraria um efeito dominó nas contas da União, Estados e municípios.

O atual presidente do STF, Ricardo Lewandowski, trata esse reajuste como se fosse um líder sindical. Ele pressionou Temer e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Senadores do PMDB que temem a Lava Jato apoiam a proposta.

Mas não existe dinheiro para dar esse reajuste sem um alto custo para as contas públicas e a população de modo geral. A ministra Cármen Lúcia já sinalizou que esse aumento não será uma prioridade dela. Ela deveria fazer mais. Deveria se opor publicamente, apresentando aos colegas e demais autoridades que contam com esse reajuste que, numa hora de sacrifício, o exemplo tem de vir de cima. Ela começaria bem a sua gestão.

*

Erros em série

Protestos deverão acompanhar o presidente Michel Temer durante todo o seu governo. Se Temer conseguir superar problemas econômicos, ele tende a ter força política para enfrentá-los.

No entanto, uma parcela significativa da sociedade nunca concordará com o impeachment de Dilma Rousseff. Numa democracia, será difícil silenciá-la. Há ainda os que estão insatisfeitos com a situação econômica e que necessariamente não são defensores de Dilma. Portanto, manifestações farão parte da paisagem na gestão Temer.

Ontem, ministros de Temer voltaram a minimizar os protestos, porque houve pequenas manifestações em Brasília. Mais uma vez, repetindo o que disseram Temer e o ministro José Serra (Relações Exteriores) na China, Eliseu Padilha (Casa Civil) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) cometeram um erro de avaliação. De noite, no Maracanã, as vaias foram bem expressivas.

O governo não tem sabido lidar com a oposição natural a um grupo que chegou ao poder depois da queda da presidente da qual era aliado. O marqueteiro Elsinho Mouco sugeriu o “Bora, Temer”, em contraponto ao “Fora, Temer”. A semelhança fonética e gráfica remete o debate para um campo desfavorável ao governo.

Para piorar, está na coluna da Monica Bergamo hoje, na “Folha de S.Paulo”, uma declaração do marqueteiro prometendo lançar um slogan de campanha negativa apenas nas redes sociais, “Fora, ladrão”. Pelo que a Operação Lava Jato já revelou e pode revelar sobre peemedebistas, não parece uma ideia inteligente nem prudente.

Num debate público, normalmente leva vantagem quem dita a agenda desse confronto. Os opositores do governo Temer estão conseguindo delinear a agenda do debate em torno do golpe. O próprio Temer demonstrou publicamente extremo desconforto com a palavra golpista.

Há auxiliares de Temer que avaliam que seria melhor levar a discussão para a economia, lembrando que o governo Dilma destruiu a política fiscal, aumentou o desemprego, tolerou inflação alta e que o PT está se opondo a medidas que adotou no governo, como a reforma da Previdência e o ajuste fiscal. Resolver a crise na economia seria a saída para equilibrar o debate entre governistas e a nova oposição.

Nesse contexto, enviar logo a reforma da Previdência ao Congresso e debater seus detalhes seria melhor do que pensar em slogans ruins ou dar declarações que tentam tapar o sol com a peneira.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
15
  1. Joaquim José da Silva Xavier disse:

    Dilma Rousseff, mesmo sendo uma politica desastrada e inexperiente, soube se posicionar bem, diante dos protestos contra ela, sempre respondendo: “respeitos os protestos” ou “prefiro barulho da democracia ao silêncio da ditadura.”
    é óbvio q é isso que o governante deve fazer . . .

    e o fato de políticos experientes como Temer, Serra e Padilha darem declarações desastradas assim, mostra a falta de apreço dos mesmos pela democracia, pois incompetentes politicamente neles não são!!!

    • Joaquim Xavier, bom dia.

      Apesar dos inúmeros veículos de comunicações, o brasileiro gosta mais do ouvir falar, emitindo sua opinião, com base no que ouviu e não no que deveria ler. Concordo plenamente com sua colocação e somando a isso repito parte da matéria do Jornalista “O atual presidente do STF, Ricardo Lewandowski, trata esse reajuste como se fosse um líder sindical. Ele pressionou Temer e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Senadores do PMDB que temem a Lava Jato apoiam a proposta”. Entendo que o Sr. Ministro saiu de sua posição para virar líder Sindical e a parte final é mais triste ainda. Senadores do PMDB QUE TEMEM (RENAN, JUCÁ, BRAGA) e outros… Parabéns pela lucidez.

  2. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    O reajuste do judiciário demonstra claramente o velho corporativismo em todos os setores dos 3 poderes… é o coronelismo em roupagem sempre atualizada.

    • walter disse:

      Exatamente cara Maria Aparecida,o aumento do judiciário, é carregado de oportunismos,e ameaças;espero que a Carmem Lúcia, se oponha ao aumento;mostrará lisura como referência,em sua gestão…O aumento será liberado em algum momento,infelizmente.
      Kennedy, os protestos, são encomendados, antes não tinha; haverá o fora Temer, até que os planos de reativação da economia aconteçam;deve falar constantemente com a população, com total transparência, apontando os “cadáveres no armário”;não há uma pasta,dos ministérios da dilma, que não hajam problemas; a tal gestão porca, será a conclusão, com inquéritos a responder “as pencas”; finalmente, o PMDB e o PT são irmãos siameses, em tudo que foi praticado, o fora temer, significa, fora PT, que no caso é mais culpado que todos.Devemos acreditar na transição, precisamos que o País volte a caminhar; quem quer o pior é o PT, isso não dá gente…

    • Edi Rocha disse:

      Esse ajuste do judiciário só demonstra que, com a saída do PT, as coisas voltam a ser como eram antes.

  3. Mauro disse:

    Não acredito que a ministra Carmem Lúcia, nesse momento, terá força suficiente para impor-se e colocar-se contra o reajuste do judiciário, pois está assumindo seu posto e apesar de sua postura ética e técnica não vai querer indispor-se contra seus pares. É pagar para ver o que acontecerá!
    Quanto a esses protestos histéricos e mal-intencionados, devemos analisar que são inflados e insuflados por uma camada que está insatisfeita pela perda de privilégios, cargos e voz e que não tenho dúvidas, terão prazo para cessar.
    Pesquisas de opinião mostram que se muita gente não “ama” Michel Temer, tem melhores expectativas com ele, que com o governo da banida e ademais o que se tem visto é mais barulho que em verdade multidoes nas ruas, pois se comparados com os protestos de Fora Dilma, não passam de uma reunião de bebados em boteco. O governo legitimo e legal de Michel Temer deve “tocar” o barco e deixar esses derrotados gritarem, pois se grito ganhasse algo macaco bugio era o rei da selva.

  4. Romanelli disse:

    Com Mi_mi_ Sheel no comando a tendência é a volta do projeto liberal libertino ..qual seja, ao ESTADO todas as despesas incluso a deste funcionalismo estabilizado e improdutivo tipo como a dos morcegões do Supremo ..isso enquanto pra inciativa privatista todo o lucro será garantido ..aliás, tal como com segurança em parques e museus, pedágios em estradas JÁ construídas, administração de autarquias montadas – como com portos-, concessão de obras já desbravadas-testadas-implantadas, isso quando não em MINAS e poços de petróleo já localizados.
    .
    Enquanto isso pra quem busca a eficiência purgativa VALE (que não é a dum certo rio que era doce e hoje esta amargo) VALE lembrar que estas TETAS só são dadas a amigos em setores não concorrências.
    .
    e sobre Mishell obter liderança ..esqueça ..golpe é golpe e NINGUÉM vai se esquecer

  5. Frank Underwood disse:

    A cobrança pelo golpe parlamentar, só está começando, ainda virá mais, como a anístia para o caixa 2, que querem aprovar.

  6. Sônia Ribeiro disse:

    Seria o mínimo que poderia fazer. Num país de desempregados, em virtude da corrupção absurda e da falta de comando e de medidas corretas, como reformas penal, tributária, fiscal, trabalhista, política e, principalmente, ética; com faxina geral e irrestrita, o povo é sempre o prejudicado. Esses políticos, sem exceção, são um câncer para sociedade brasileira. Só num país sem seriedade alguma e de 5a., que este Eduardo Cunha ainda permanece aí, por conta de manobras, Renan Calheiros, 80% deste Senado e deste Congresso e este Supremo vendido, igualmente, permanecem inabaláveis! O dia em que o povo efetivamente enlouquecer e invadir todos esses poderes “constituídos”, quem sabe aprendam a lição e passem a nos respeitar…..

  7. Alberto disse:

    KKKKKKKKK,haja lágrimas!!!!!!!!

  8. Marco Túlio Castro disse:

    Essa bobagem de novas eleições me faz é rir.
    Como querem os defensores desta tese implementar esta ideia ?
    Vão tomar o governo com armas e obrigar o Temer a renunciar ?
    Ou vão assassinar o presidente ?
    Pela vida constitucional não me parece que esta possibilidade existe.
    O engraçado é como o Lula coordena bem as vaquinhas de presépio que o servem. Essa conversa fiada de diretas já nem ao Lula ajuda. A maioria dos brasileiros já não é tão idiota.

  9. ANDRE disse:

    Estou confiante, de que os protestos que já estão grandes crescerão mais ainda. É muito mais fácil, conseguir a adesão a um “Fora Temer”, do que um “Fica Dilma”. Devemos lembrar que todos os movimentos começam tímidos e depois crescem, o que pediu a saída de Dilma não foi diferente. Vamos ver como a população vai se comportar com as reformas da previdência, as reformas trabalhistas, sem nenhum sinal de sacrifícios por parte da classe política e dos banqueiros. O presidente Temer não tem empatia e nem demonstra a mesma capacidade de se comunicar com a sociedade que tem com seus párias da câmara. FORA TEMER!!!! Como a história ensina quem subestima, entra pelo cano. FORA TEMER.

  10. Carlos Silva disse:

    Ela se opor? Isso soa como uma proposta paradoxal e até inocente de sua parte Kennedy (embora que com plausíveis intenções). A infame hipocrisia que ocorre nesse país é que quem ganha R$ 70,00 de bolsa família está mamando no Governo, mas quando um rico mama, é demagógica a ideia de que aquilo é meritocracia. For me, são todos sugões, sem escrúpulos e, por isso, ela não vai se opor ao aumento.

  11. SEJA BEM VINDA A MINISTRA CARMEM LÚCIA! disse:

    É bom ou ruim para um país ter um Lula, Renan, Jucá, Cunha, Lewandovski, Toffoli e dezenas de coisas afins, em posições de influência na vida da nação?
    E um Legislativo composto por cerca de 90% de corruptos?
    E um Judiciário que permite que corruptos salvaguardados por uma lei de foro privilegiado (excremento produzido com o intuito de proteger políticos e governantes corruptos), se abriguem sob as asas protetoras do STF?
    E um povo que não entende que sua melhor arma é o voto, e que esse deve ser tratado com especial atenção, através de uma escolha apurada, onde se examine a vida do candidato em detalhes, suas idéias e comportamentos, suas aptidões profissionais, sua capacidade real de ser um verdadeiro “REPRESENTANTE” de cada eleitor?

  12. Lopes disse:

    Difícil DECISÃO?! Elevação do salário de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. Mas já deve está tudo dentro do plano de ajuste fiscal do governo,ou melhor. para o governo. Gostei…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-07-15 09:54:30