aki

cadastre-se aqui
aki
Política
09-11-2018, 19h22

No velho estilo, Bolsonaro critica universidades, Enem e imprensa

Diz que estuda propostas previdenciárias para 2019
16

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

Retomando o velho estilo de campanha numa live hoje no Facebook, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, tirou gás da ideia de aprovar ainda neste ano alguns pontos de uma reforma da Previdência. Afirmou que está estudando projetos que recebeu do Executivo e do Legislativo para realizar essa reforma “no ano que vem”.

Bolsonaro chamou de “absurdo” cogitar elevar a alíquota de contribuição previdenciária de servidores públicos de 11% para 22%. Também afirmou que não dará apoio à ideia de exigir 40 anos de contribuição para obtenção da aposentadoria integral no INSS. Afirmou que a imprensa atribuiu a ele indevidamente a paternidade dessas propostas.

Ele também disse que não tinha responsabilidade pelo aumento do salário dos ministros do STF. “Não sou presidente da República. Estão botando na minha conta o reajuste do Judiciário”, alfinetou a imprensa, lembrando que considerava a medida inoportuna.

Afirmou que o Brasil “tem direitos para tudo, só não tem emprego”. Disse que vida de sindicalista no país, “como regra, é muito boa, é ficar lá engordando”. “Quem quer ser patrão no Brasil hoje em dia? Ninguém quer”, perguntou e respondeu, prometendo mudanças para eliminar entraves aos negócios, com menos impostos e menos burocracia.

Bolsonaro minimizou o cancelamento de uma visita ao Cairo do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira. Foi uma retaliação do Egito à afirmação do presidente eleito de que poderia mudar a Embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém. “Criar um cavalo de batalha porque a capital vai sair de Tel Aviv para Jerusalém. [Vamos] Parar com essa frescura”, afirmou, elevando o tom de voz.

O presidente eleito disse que deu “carta branca” para Sergio Moro e Paulo Guedes, seus futuros ministros da Justiça e da Economia. Disse que o juiz nem ele pretendem impor nada um ao outro. “Sérgio Moro vai pegar vocês. Ele pescava com varinha. Agora vai pescar com rede de arrastão de 500 metros.” Afirmou que Guedes goza da confiança do mercado para “salvar o país” e que atenderá aos pleitos dos empresários.

Defendeu a qualificação de Marcos Pontes para ministro de Ciência e Tecnologia. Afirmou que indicará um general de 4 estrelas para a Defesa. Prometeu anunciar na semana que vem os ministros do Meio Ambiente, Relações Exteriores, Saúde e Educação.

Ao falar de Educação, criticou a última prova do Enem e a questão sobre o dialeto usado por gays inspirado no iorubá, um idioma africano. Atacou as universidades do país, citando especificamente a UnB (Universidade de Brasília). “Parte considerável delas [das universidades] é dinheiro jogado fora.” Afirmou que a maioria que votou nele não quer universidades dessa forma e que tentará “mudar isso”, ainda que seja chamado de “fascista” e “homofóbico”.

Atacou a ideologia de gênero: “Vá ser feliz, cara”. (…) Nós somos um país conservador. (…) Se querem liberar, que liberem o que é deles”. Voltou a dizer que “quem ensina sexo é papai e mamãe, pronto e acabou”, num contexto em que criticava o ensino universitário, a prova do Enem e até o Ministério da Educação. Prometeu que se informará no ano que vem a respeito do tema do Enem antes da aplicação da prova a fim de evitar questões como as deste ano.

Num discurso improvisado, com tópicos anotados, Bolsonaro também bateu na fiscalização feita pelo Ibama e o ICMBio. Falou que pretende abrir estações ecológicas e parques ao turismo.

Em resumo, Bolsonaro usou o Facebook para rebater notícias da imprensa e dar recados diretos ao seu eleitorado tradicional. Saiu de cena o presidente eleito moderado que andou por Brasília nos últimos dois dias e voltou ao palco o político com o estilo agressivo de campanha.

No pronunciamento de hoje, Bolsonaro deixou claro que vai se empenhar para implementar bandeiras da “maioria” que votou nele. “Vamos para a posse, hein? O Brasil é nosso.”

Comentários
16
  1. jose disse:

    Está mais perdido do que cego em tiroteio. Tem que reformar a previdência dos militares. Por que orfã de militar tem direito à pensão vitalícia… Aliás, o que fazem esses militares pela sociedade brasileira… o professor dar aula, o médico trabalha no hospital, o motorista de ônibus dirige e transporta trabalhadores para o serviço… O que fazem os militares… passaram 25 anos no comando de uma ditadura: entregaram o país quebrado devendo deus e o mundo…

  2. NSK disse:

    O que mais me impressiona no Bozonaro é a vasta, imensa quantidade de vazio que ele é capaz de declarar em pouco espaço. É um milagre da compressão. De cada duas coisas que ele fala, quatro são pura bobagem, seis são estupidez e outras duas não fazem o menor sentido. Me sinto mais burro (se isso é possível) só de ler o Kennedy transcrevendo os comentários do sujeito.

    Aliás, as almas penosas amarelas grasnavam tanto que o Lula “nunca tinha lido um livro!!”. Qual seria a literatura predileta do Bozonaro?

    • Para NSK: VIVA A LAVA JATO! É PRECISO PASSAR O PAÍS A LIMPO, DOA A QUEM DOER! disse:

      “… é a vasta, imensa quantidade de vazio… de cada ‘duas’ coisas que fala, ‘quatro’ são pura bobagem, ‘seis’ são estupidez…” Com respeito, nunca vi palavras tão “vazias” quanto as suas. Não citou “1 bobagem” sequer, apenas “palavras ao vento”. Palavras para os mesmos que acreditavam que qualquer governante que não fosse da “esquerda”, acabaria com o “bolsa família”! Quanto às “bobagens” de Bolsonaro, as quais você não citou, vou citar algumas 1- Total apoio à continuação da Lava Jato, doa a quem doer. 2 – Fim do “toma lá dá cá” entre Executivo e Legislativo. 3 – Política rigorosa de Segurança Publica Nacional. 4 – privatizações de empresas públicas “cabides de empregos”. 5- Reforma da Previdência. 6 – Incentivo ao comércio internacional sem viés ideológico. Obs: Você não falou que os dois maiores escândalos de corrupção do país: Mensalão e Petrolão, sendo que o Petrolão está incluído entre os maiores do “mundo”, aconteceram nos governos da esquerda. comandados pelo PT/PMDB.

  3. jose disse:

    É estratégia para ofuscar a falta de conhecimento sobre o Brasil e como governá-lo. A imprensa esteve do lado dele. Aceitou não fazer debate favorecendo o que se começa a ver na prática: não sabe nada de nada. Vai interferir no ENEM, então, os alunos vão ter que aprender moral e cívica. Deveriam ensinar a ética de Aristóteles às crianças e aos adultos, inclusive aos governantes que rosnam ódio.

    • walter disse:

      Sinceramente Kennedy, tem em sua coluna, muitas indagações negativas, de um governo que nem começou; importante frisar, o Brasil sente se mais leve, quem realmente quer legalidade, aliada a legitimidade…afirmo com veemência, se o presidente implantar, 50% do que pretende, com tanta politicagem e pouca vontade das autoridades; estará nivelando nosso País aos demais civilizados…teremos leis que punem de fato, cortará gastos absurdos, que nenhum governo até HJ ousou…com isso os investimentos estão chegando aos poucos; tenham certeza, o país vai brilhar, em todos os cantos do planeta, e isto incomoda os incrédulos e oportunistas de plantão…acalmem se…

    • p/José. disse:

      Talvez se houvesse no currículo escolar, “desde a mais tenra idade”, a matéria “Educação, moral e cívica”, muitas coisas não estivessem ocorrendo, como por exemplo tantos brasileiros trocando nossa bandeira nacional, cujas cores tão lindas: branco, significando o desejo de paz; azul, simbolizando o céu e os rios brasileiros; amarelo, as riquezas do país; verde, as matas, a rica floresta brasileira – por uma bandeira vermelha, símbolo de sangue derramado em nome de ideologias estranhas à nossa índole – comunismo, socialismo!

  4. J K disse:

    A resistência vai ser tão grande que para mim isso aí é só um ensaio. O país está viciado em fazer e tomar medidas que protejam o interesse individual, quase nunca o coletivo. Reforma tributária preocupa o legislativo pela falta de verbas liberadas e os executivos estaduais e municipais pela repartição do bolo. Se faz retorna na previdência os maiores beneficiados trabalham para impedir, não impedem aumento ao judiciario pra não acelerar as condenações, muita luta pra ver quem tem mais força Quem pode mais, chora menos.

  5. walter disse:

    Vamos lá Kennedy, as perguntas do Enem, provocaram o País com assuntos, que nada tem a ver com a boa formação de um aluno; quanto as universidades, o nível esta muito baixo, faz tempo; falar da imprensa, quando muitos tentaram construir um mundo negro com a eleição do presidente eleito, permite sim, que coloque suas impressões, por que não? tentar desconstruir seus planos, para a legalidade do ensino, nada tem de positivo; a grande verdade, muitos estavam acomodados, com as benesses existentes; tudo isto deve mudar para o bem do país; estão promovendo aumentos, que não podemos concordar…quem sabe num gesto de grandeza, o Temer vete para o bem da maioria assalariada, principalmente professores, estão a muito defasados e revoltados…o brasil precisa de nossa boa vontade, acreditar fará parte de novos tempos…

  6. jose disse:

    A entrevista de domingo publicada na folha SP explica um general no gabinete no presidente do STF? E os da toga não se manifestam? O manifesto de apoio do MPF à escola sem partido é uma das expressões mais absurdas e contraditórias dessa confusão institucional brasileira. MP com partido pode?

    • p/José – O BRASIL ACIMA DE TUDO, DEUS ACIMA DE TODOS! disse:

      Protesto contra nomeações de militares em cargos do governo? Nunca houve alguém protestando sobre “comunistas” ocupando os cargos mais diversos, no Judiciário, Legislativo, Executivo. Não estará havendo uma “inversão de valores”, onde são aceitos com a maior naturalidade gente com ideologias totalmente avessas à índole brasileira – e são criticadas inclusões de militares em cargos públicos de confiança? Comunista precisa entender que “JAMAIS” tomarão o poder no país! Podem continuar tentando, mas não conseguirão isso jamais. E não só porque os militares não aceitam isso, mas porque “A MAIORIA” do povo brasileiro não quis isso, não quer isso e jamais vai aceitar trocar nossa bandeira “VERDE, AMARELO, AZUL E BRANCO”, por bandeira vermelha comunista!

  7. jose disse:

    Impunidade de Lula? Rocha Loures, Aecio, Paulo Preto, Eduardo Azeredo passou mais de dez anos para ser preso… e o comandante (dono do Brasil) não reclama da impunidade deles? O cotado pra ser um dos superministros do governo dos milicos, confessou caixa 2, pediu desculpas, e está aí, porque não sendo do PT tudo é permitido? Tudo isso é consequencia da impunidade que tentam esconder não julgando torturadores, vejam se na Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai milico se maniesta assuntosamente assim?

  8. mariza disse:

    Kennedy, infelizmente o ensino público no Brasil perdeu totalmente o objetivo de trazer conhecimento científico e básico aos alunos. O ensino básico continua fraco e muito aquém do ensino das escolas particulares, as quais estão totalmente focadas em criar condições para que seus alunos possam frequentar Universidades fora do Brasil. Você até pode chamar de ensino para elites, mas estas escolas avançaram, mudaram, se transformaram. Já, as escolas públicas estão paradas em ideologias, educação precária e má formação de professores. No que diz respeito ao ensino das Universidades Públicas Brasileiras, verificamos que elas se amarraram em uma ideologia e esqueceram a função principal que é a de formação e aprimoramento científico.

    • Alberto disse:

      Perfeito comentário cara sra/srta Mariza.A educação na terra brasilis é um “zero a esquerda”.

      • jose disse:

        “Zero à esquerda”, não esqueça que o acento grave ainda é usado na ortografia da língua portuguesa praticada no Brasil, isento de ideologia. A propósito, nos anos 1980 um livro da coleção primeiros passos da brasiliense foi bem lido à época “O que é ideologia” da professora Marilene Chauí. Há outro, mais denso, mas muito bom também “O espectro da ideologia” coordenado por Zizek Slavoj. Escola sem ideologia, até o ato de evacuar é ação circunscrita em ideologia. O STF reconhece o ensino da religião em escolas públicas, e o que é a religião se não um segmento ideológico… Nos últimos 4 anos, intelectualmente, o Brasil regrediu 3 séculos, ou mais. Deixar ou permanecer no Brasil não se trata de amor, mas de necessidade para se respirar ar saudável, salubre sem hipocrisia e completo desconhecimento histórico sobre a própria ciência que produz conhecimento, pois se não fosse por ideologia os cientistas estariam pesquisando alguma coisa… O Brasil saiu na rota da realidade histórica.

    • p/Mariza - disse:

      Houve tempo (talvez os mais jovens nem acreditem) em que as escolas públicas eram as melhores. Muitos alunos que não conseguiam acompanhar o nível de ensino em escolas públicas, e os pais tinham condições financeiras, iam estudar em escolas particulares onde o ensino era menos “apertado”. Isso acontecia do 1º grau (antigo ginásio) até às Faculdades. A degradação moral, política e econômica de nossos dias é parceira da vergonhosa degradação do ensino público! Chegamos ao ponto de vermos um ex- Ministro da Educação (Haddad) falando “gratuíto”, em alto e bom som, em rede nacional!

Deixe uma resposta para J K Cancel reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-12-16 11:59:36