aki

cadastre-se aqui
aki
Política
25-04-2017, 8h34

Oposição do PSB complica articulação de Temer pró-reformas

Cresce resistência a 25 anos como tempo mínimo de contribuição
9

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A oposição do PSB às reformas previdenciária e trabalhista cria complicadores à articulação do presidente Michel Temer para aprovar as propostas. Há dificuldade maior em relação à reforma da Previdência, que demanda maior apoio parlamentar do que a trabalhista.

Neste momento, a decisão do PSB tomada ontem à noite pela cúpula do partido é um dano médio que pode crescer, pois tende a estimular mais resistências na própria base de apoio de Temer na Câmara. O PSB tem um ministério, o de Minas e Energia, ocupado por Fernando Filho, filho do senador Fernando Bezerra Coelho, de Pernambuco. É uma pasta importante.

No papel, os partidos que apoiam o governo Temer têm pouco mais de 400 deputados. Perder 35, em tese, não colocaria a reforma em risco. Para aprovar uma emenda constitucional na Câmara, como é o caso da reforma da Previdência, são necessários 308 votos em dois turnos de votação. O governo avalia que necessita assegurar cerca de 350 votos na sua planilha para levar a reforma à apreciação do plenário. Se o movimento do PSB for seguido por setores da base de apoio de Temer, a reforma correrá risco real.

A reação do PSB se deve ao desgaste que o tema provoca em setores da opinião pública, especialmente num segmento de centro-esquerda que costuma votar na legenda.

O presidente endureceu o discurso por orientação da equipe econômica, que sentiu uma reação negativa do mercado financeiro ao pacote de concessões já feito. Ou seja, as mudanças na proposta original do governo estariam no limite do que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, avalia como capaz de gerar ganhos na expectativa de curto prazo e isso ajudar o atual governo a melhorar a economia.

Mas ainda há um grande nó a travar a reforma. Ele está no aumento do tempo mínimo de contribuição de 15 anos para 25 anos a fim de pedir aposentadoria. Cresce em setores da Câmara a percepção de que seria um período longo demais para os mais pobres, especialmente mulheres carentes, que têm maior dificuldade do que os homens de se manter em empregos formais. Se a pessoa tiver contribuído por 24 anos e 11 meses, não terá o direito de se aposentar.

Há um movimento para manutenção dos 15 anos com aposentadoria proporcional a esse tempo. No governo Lula, houve edição de uma lei para permitir aposentadoria por um salário mínimo de quem provou contribuição durante 10 anos. Existe, portanto, um risco real para trabalhadores mais pobres e com menor escolaridade.

Sem poder se aposentar, essas pessoas teriam de esperar até 68 anos, de acordo com a nova proposta, a fim de obter um benefício de um salário mínimo da LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social). Hoje, esse benefício é concedido desde que a renda por pessoa do grupo familiar seja menor do que um quarto do salário mínimo.

Hoje, o benefício da LOAS é pago a idosos que atingem 65 anos ou a pessoas com deficiência física. É um erro social, uma punição aos mais pobres, aumentar a idade para 68 anos nesse caso, porque poderá ser a única chance de aposentadoria de quem não conseguir contribuir durante 25 anos.

Ouça o comentário no “Jornal na CBN”:

Comentários
9
  1. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    Esses sacripantas travestidos de políticos estão preocupados apenas em fazer demagogia populista… O povo que se dane !
    Marquem os nomes desses partidos e pessoas para nunca mais votar.

  2. Sônia Maria de Oliveira disse:

    O relator conseguiu a proeza de piorar o que já era ruim, especialmente com relação às regras de transição, impondo idade mínima de 53 anos para mulheres, ainda que já tenham 30 anos de contribuição.
    Seria tão mais simples readequar a regra 85/95 – que é a mais justa sob qualquer aspecto, uma vez que combina idade e tempo de contribuição, garantindo aposentadoria integral e sem prejudicar aqueles que já estão próximos da aposentadoria. A regra é simples: quem começa a trabalhar mais cedo e contribui por mais tempo, consegue o benefício integral.

  3. marta disse:

    Prezados
    Os trabalhadores da iniciativa privada que começaram a trabalhar cedo como é o meu caso se prevalecer essa proposta da previdência não vai se aposentar. Hoje tenho 47 anos e 29 de contribuição e não vou conseguir aposentar no ano que vem e nem nos seguintes. O lamentável que no ano de 1998 quando já tinha contribuido por mais de 10 anos ocorreu uma modificação, quando a idade minima para a mulher “tempo de contribuição” passou a trinta e a aposentadoria proporcional também foi praticamente abolida. Essa seria a segunda vez que trabalhadores como eu seriam prejudicados. O pior que não vemos regalias sererm cortadas como é o caso dos políticos. Até quando o trabalhador vai ter que pagar a conta. Não seria melhor pensar em uma regra justa para todos? Será que a previdência tem que pagar pelas aposentadorias por invalidez/morte muitas vezes causadas pelas falta de cuidados com a segurança do trabalho de grandes empresas. O que será que aconteceu com as ações regressivas do INSS

  4. Michel Temer pretende mexer no valor da aposentadoria por invalidez, que hoje é integral e independe da idade e do tempo de contribuição do trabalhador para o INSS. A medida consta do pacote de reforma da Previdência em discussão no Executivo e prevê um piso para esse tipo de aposentadoria, que deve ficar entre 60% e 70%,Isto quer dizer o aposentado passa receber metade do que ganha atual,para os homens se aposentar somente com 65 anos de idade , quem trabalha em serviço pesado nao aguenta toda esta idade. estes politicos nao fazem nada para ajudar o povo, e porque a pressa para aprovar esta vergonheira?

  5. Marcelo Pinto disse:

    Isso que o governo está querendo aprovar é um absurdo. O governo está aceitando pressão dos banqueiros que são os credores do governo. Só o anúncio do texto pelo governo já aumentou a procura por previdência privada nos bancos, o que vai aumentar e muito o lucro dos banqueiros. Esse é o objetivo.

  6. ANDRE disse:

    O PSB é um partido de centro-esquerda, eu pelo menos apregoa isto, não há como entrar de cabeça nestas reformas do governo Temer. A reforma é confisco, se um pessoa que receberia 4000,00 ao final de sua aposentadoria, tem este tempo aumentado em 10 anos, o governo embolsa 4000 X 13 X 10, ou seja 520.000 reais, isto sem aplicar as devidas correções. Vejam que isto representa um assalto maior que todas as denuncias de corrupção já divulgadas até hoje. O Brasil precisa parar dia 28 para que nossas aposentadorias não parem no tempo.
    DIGA NÃO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA E A TRABALHISTA.
    EM 2018 NÃO VOTE EM QUEM VOTA CONTRA VOCÊ.
    PARA COMECAR VAMOS CONSCIENTIZAR A POPULAÇÃO PARA QUE NÃO VOTE EM
    ARTHUR MAIA (LAVA-JATO), RODRIGO MAIA (LAVA-JATO) e ROGERIO MARINHO (3 PROCESSOS NO STF

  7. CELSO F. SILVA disse:

    Precisamos tirar este governo corrupto.
    Precisamos fazer algo para barrar esta pec da maldade.

  8. SENADORES E DEPUTADOS FEDERAIS: NÃO APROVEM DIMINUIR 50% DE PENSÃO ATÉ 3 SALÁRIOS MÍNIMOS DE VIÚVA QUE SÓ TEM ESSA ÚNICA RENDA PARA VIVER – ISSO É CRIME INACEITÁVEL DO SR. TEMER E SR. MEIRELES! disse:

    Temer e Meireles, bem aposentados, endinheirados, cheios de propriedades e rendas, futuro garantido, só se preocupam com as reações do “setor econômico”. Com certeza não é o setor econômico, e sim o setor dos banqueiros, dos especuladores financeiros, dos grandes capitalistas, dos quais Meireles é o lugar tenente e Temer o capitão. Não estão nem aí para o outro lado da corda, os aposentados e pensionistas de 1, 2, 3 salários mínimos, os mais violentados nas indecências pretendidas: além do aumento de tempo de contribuição, diminuir em 50% o valor de pensões de cônjuge que tem apenas essa renda, após a morte do outro cônjuge!Isso é uma vergonha, um crime, um absurdo! SENADORES E DEPUTADOS FEDERAIS, EM QUE PESE ESTAREM ENVOLVIDOS COM A LAVA JATO, ISSO É OUTRO PROBLEMA: VOCÊS NÃO PODEM APROVAR ESSE CRIME CONTRA O POVO!SE FIZEREM ISSO VOCÊS JAMAIS SERÃO REELEITOS!

  9. edson nelson disse:

    o Brasil quebrou, acabou o dinheiro, ninguém vai é receber nada de aposento.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2020-02-18 14:03:58