aki

cadastre-se aqui
aki
Geral
13-11-2013, 7h35

Pará é vilão do aumento do desmate ilegal na Amazônia

Obras da BR-163 e da usina de Belo Monte estimulam especulação com terras

Alarmado com os dados que mostram aumento do desmatamento na Amazônia após quatro anos de queda, o governo federal identificou o Estado do Pará como o principal vilão: a devastação cresceu no entorno da BR-163 e em Altamira, cidade nas proximidades da construção da usina de Belo Monte.

No trecho paraense da BR-163 em que o asfalto está ficando pronto, o preço das terras simplesmente explodiu. É o mesmo fenômeno que acontece em Altamira. A expectativa de ganhos econômicos com o término das obras incentivou a especulação e o uso da serra elétrica.

Faltam ao governo federal mecanismos para barrar esse tipo de desmatamento que acompanha as obras de infraestrutura. A principal queixa é escassez de meios para o Ibama cumprir seu papel fiscalizador, bem como as polícias Federal e Rodoviária Federal.

O governo estima que o desmatamento no Pará deva crescer até 30% em 2013 na comparação com 2012, o que explicaria o mau resultado geral deste ano na Amazônia.

O Ministério da Ciência e Tecnologia já recebeu os dados sobre a devastação entre agosto de 2012 e julho de 2013, o Prodes. Mas não divulgou os números finais a fim de evitar dar a má notícia em plena realização da Conferência do Clima em Varsóvia.

O governo estuda aumentar a lista de municípios na Amazônia que precisam ter monitoramento prioritário contra a derrubada ilegal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-24 05:48:38