aki

cadastre-se aqui
aki
Política
07-05-2015, 21h59

Para evitar derrota, Levy cogita ceder mais ao Congresso

3

Postado por: ISABELA HORTA

Para minimizar o risco de derrotas na votação de outros pontos do ajuste fiscal, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, admite fazer mais concessões para que o pacote seja aprovado. Levy prefere ceder para aprovar algum ajuste a endurecer e ficar a ver navios.

Agora, não se tratam apenas dos efeitos econômicos, mas também do impacto político da eventual rejeição de um ponto importante.

Sem o ajuste, seria necessário um corte de gastos que jogaria o país numa recessão profunda.

Apesar da medida provisória que endurece as regras de concessão do seguro-desemprego ter sido aprovada nesta quarta-feira, os problemas entre PT e PMDB continuam.

A vitória do governo ocorreu por um placar muito apertado, apenas 25 votos de frente. Isso é um alerta para votações futuras.

Se o vice-presidente da República, Michel Temer, não tivesse conseguido votos até da oposição, o ajuste fiscal teria sido rejeitado na primeira partida. Seria um desastre político e econômico.

Ao dizer que o PT cumpriu 80% do trato com o PMDB, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mantém a pressão sobre os petistas e o governo.

*

Comentários
3
  1. César disse:

    O PT traiu a si mesmo. Traiu-se ao votar contra os trabalhadores e contra tudo o que pregou como certo durante e sua existência. Escolheu o caminho errado para fazer as reformas, reformas que penalizam os trabalhadores sem que o governo demonstre boa vontade em cortar na própria carne. Mordomias, Ministérios, cargos comissionados, carros oficiais, despesas governamentais passíveis de corte, não há sinal de mudanças, o que há é um ajuste para o povo, um ajuste para o trabalhador. A conta sempre sobra para nós? No mesmo dia que se anuncia a aprovação do ajuste fiscal, retirando direitos trabalhistas, os jornais divulgam que a socialite loira que pegou empréstimo do Banco do Brasil de forma suspeita, passeia de Porsche pelas ruas de São Paulo. Comprado com as sobras de um empréstimo para compra de caminhões, a juros bem camaradas. O governo, é para o todo o povo brasileiro, ou é somente para as elites? O PT se afastou dos seus eleitores fieis e se aproximou das elites. Apenas 12 anos no poder e agora o PT já não é povo, passou para as elites. Bem que diz o ditado! Quer conhecer bem a alguém? É só dar-lhe poder. PT, quem te viu, quem te vê.Deputado Welinton Prado, o único petista que honra a sua legenda. Não se esqueçam! O único!

  2. David Dias disse:

    Em se tratando de vida, seja ela humana ou não todos nos devemos ajudar a salvar mas se tratando de patifes, mentirosos e ladrões, principalmente da coisa publica estas pessoas não merecem ajuda mas sim serem apenadas com rigor . O senhor LEVY fez uma besteira não deveria ter aceito o cargo ele não é do PT e não é o culpado pelos seus erros porque se humilhar assim e, ao final ira receber um chute no traseiro como sempre o PT o fez com todos os seus aliados pois eles se julgam puros e escolhidos por Deus e, o que é pior, ´é que quem ira pagar a conta somos nos os que aqui vivemos e eles, o sapo barbudo seus seguidores estão bem de vida com as importância que tiraram do erário para erra e estragar tudo e continuarão a serem as vestais e nos, os outros, as elites, que somos trabalhadeiros e cumpridores dos deveres e sem marma em teta alguma. Enforquem se a turma do sapo barbujdo.

  3. Darth Mayhem disse:

    É imperioso mudar isso e impulsionar um processo amplo de mobilização que faça da participação algo real, que não se perca nos desvãos burocráticos do estado, e potencialize uma representação que seja ao fim democratizada por uma reforma que exclua o grande capital do jogo direto da política (com a proibição da doação por empresas), respondendo ao contra-ataque da direita, que quer fazer da reforma neste momento uma maneira de aumentar seu controle do processo político (com clareza, no entanto, de que esse é um jogo neste momento bastante arriscado). Isso ofereceria por outro lado alternativas ao anarquismo bastante tosco que, em diversas roupagens, tende a hegemonizar as manifestações urbanas e a introdução de novas gerações de brasileiros à participação política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-22 11:42:19