aki

cadastre-se aqui
aki
Política
25-11-2016, 9h12

Pedido de investigação da PF ao STF deve derrubar Geddel

Temer tentar evitar que crise contamine agenda de reformas no Congresso
10

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

O pedido de investigação da PF (Polícia Federal) levado ao STF (Supremo Tribunal Federal) para investigar o ministro Geddel Vieira Lima deverá derrubá-lo do cargo em breve. Essa solicitação foi feita após o depoimento à PF do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero.

Nesse pedido, há menção a Geddel e não ao presidente Michel Temer. Na terça-feira, o próprio Temer aconselhou Geddel a pedir demissão. Desde então, o ministro vinha adiando esse gesto e tentando obter apoio no Congresso e no governo para permanecer no cargo.

Já havia motivos para a demissão de Geddel. Agora, ele perdeu todas as condições políticas de continuar. A saída poderia ajudar Temer a dar uma resposta, ainda que tardia, a um problema que estava no gabinete do ministro e passou ao gabinete presidencial. A queda de Geddel também contribuiria para evitar uma contaminação da agenda de reformas que o governo deseja aprovar no Congresso.

A Polícia Federal informou o Ministério da Justiça que o ex-ministro Marcelo Calero entregou gravações de conversas com o presidente Michel Temer e os ministros Geddel Vieira Lima, da Secretaria de Governo, e Eliseu Padilha, da Casa Civil. Um auxiliar de Padilha também foi gravado. Há uma avaliação no Palácio do Planalto de que Calero solicitou uma audiência com Temer no Palácio do Jaburu para gravar o presidente.

*

Batalha federal

A oposição articula um pedido de impeachment de Temer e uma solicitação ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para investigar o presidente. O governo traçou estratégia de reação.

Temer tem uma ampla base de apoio no Congresso. Até agora, ela se revelou sólida. A tendência é que um pedido de impeachment não prospere, porque ele precisará de aval do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para avançar. Maia saiu em defesa de Temer.

Por ora, não há pedido de investigação contra o presidente em razão do depoimento de Calero à PF. A reação de Temer já foi apresentada ontem pelo porta-voz Alexandre Parola.

Principal linha defesa: a sugestão para remeter o caso à Advocacia Geral da União teria acontecido depois de Calero ter dito que não tomaria decisão. Ou seja, o governo argumenta que teria sido uma recomendação e não um enquadramento.

O governo também deverá se concentrar em tentar aprovar a PEC do Teto na semana que vem e enviar a reforma da Previdência logo em seguida. Tentará evitar que essa crise contamine votações no Congresso.

Hoje o presidente tem almoço marcado em Brasília com a cúpula do PSDB, inclusive com o ex-presidente Fernando Henrique, e jantar em São Paulo com empresários. Temer vai se empenhar para que esse episódio não afete sua força no Congresso. O desafio é não deixar que essa crise política contamine a agenda econômica.

*

Efeito Calero

O agravamento da crise provocada pelo depoimento de Calero à Polícia Federal desidrata a ideia de uma anistia ampla ao caixa 2, que contemple crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Vai tirar força dessa ideia. Mas, se o Congresso aprovar uma anistia ampla, Temer deverá vetá-la. Seria um gesto do presidente para mostrar que não pretende frear a Lava Jato.

Aliás, é importante o governo separar a Lava Jato, que tem o seu curso, de suas prioridades no Congresso. E o presidente também sabe que o Supremo Tribunal Federal poderia derrubar essa anistia ampla. Se for aprovada a tipificação do caixa 2 com um texto que diga que a lei não retroage, Temer não vetará. Nesse caso, seria a anistia mais restrita, aquela que perdoaria a prática de caixa 2 eleitoral.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
10
  1. Joaquim José da Silva Xavier disse:

    em qualquer país sério do mundo essa denúncia seria motivo para abertura de processo de impeachment para o presidente se explicar.
    em qualquer país sério do mundo sociedade/imprensa ficariam em cima até que fosse aberto processo de impeachment e o parlamento certamente abriria.
    mas como no Brasil, com raras exceções, nenhum dos 3 (sociedade/imprensa/parlamento) é sério, acho que Geddel cai e fica por isso mesmo . . .

  2. juliano disse:

    Que esculhambação! Me uno a Joaquim Barbosa, “que tristeza!”, na época do Impedimento.

  3. Wellington Alves disse:

    Dilma saiu porque protestaram? NÃO, CAIU PORQUE NÃO TINHA BASE. E por que não tinha base? Porque não apoiou Cunha e outros caciques. Temer tem base e é pior que Dilma. Assim é a política. Aprendam, patos usados.

  4. É revoltante a desconexão da classe política com a realidade! disse:

    Em 1964 havia tal desconexão que gerou um golpe militar, sob a “idéia” de que se pretendia implantar o comunismo no país.
    Hoje a classe política praticamente judicializou-se, de tão inepta.
    Hoje, sem o espectro do “comunismo” de 1964, está claro que Legislativo e Executivo são defensores da impunidade aos ladrões de cofres públicos – e isso já está provocando revolta da nação e das instituições sérias do país.
    A conexão de 1964 com 2016 existe claramente. Os hipócritas podem dizer que não, mas existe, tanto que saiu uma quadrilha do poder e entrou outra!
    Um presidente do Congresso Nacional liderar bandidos que procuram minimizar roubalheiras aos cofres públicos é muito mais grave do que a “idéia”, em 1964, de implantação do comunismo no país., principalmente porque enquanto naquele tempo era “idéia”, agora a roubalheira é “real”, mais do que comprovada pela Lava Jato!

    • Wellington Alves disse:

      Golpe de Estado em 1964 e Institucional em 2016. Mais um ponto em comum – apoio da MALDITA classe média. Outro ponto – todos foram devorados.

  5. Marcelo disse:

    Esse desgoverno que para muitos incluindo eu é ilegítimo não precisa de ninguém forçando a barra para derrubá-lo como aconteceu com a Dilma, seus próprios apoiadores e seu modus operandi tratam de fazê-lo. Não foi por falta de aviso dá hoje oposição que tudo que está ocorrendo, viria acontecer. Infelizmente isso tudo poderia ter sido evitado se o PMDB e PSDB entrassem em acordo com o governo da Dilma para arrumar uma solução em comum para seus conflitos. Se a ânsia de poder desses partidos que criaram essa crise junto a mídia (isso mesmo a crise foi criada), um ano e meio de Congresso e País paralisado por conta do impeacment para derrubar a Dilma e mídia fazendo açodamento diários, internet tomada por golpistas (proliferaram dezenas de canais no Youtube com nomes fantasia Pra Frente Brasi, Brasil avante, etc.. tudo comprado). E agora o que fizeram? Estão tentando se proteger e derrubar a Justiça, aqueles que eram seus apoiadores (Moro e companhia). Brasil país da fantasia.

    • Wellington Alves disse:

      Ainda existem pessoas lúcidas. Parabéns Marcelo.

      • Para Wellington Alves - "6 por meia dúzia" tem que levar o povo às ruas novamente!. disse:

        Lucidez é entender que Lula veio para mudar, comeu do melado, se lambuzou, traiu a todos e fez do país o maior antro de corrupção jamais visto.
        O povo foi para as ruas e exigiu o impeachment, a queda da quadrilha no poder e, dentro da legalidade engoliu Temer, coadjuvante da quadrilha expurgada.
        A luta pela restauração econômica, moral e política do país era o necessário, doesse a quem doesse.
        Percebe-se: uma troca de 6 por meia dúzia, saiu uma quadrilha e entrou outra!
        E, o pior, a quadrilha que saiu não combateu a Lava Jato com tanto ímpeto como a quadrilha que entrou está combatendo!Esse combate agora passou a ser dirigido pelo presidente do Congresso Nacional, cidadão com 12 inquéritos no STF!
        O presidente Temer, até agora, só nomeou um monte de cobras criadas da corrupção, algumas já exoneradas.
        A classe política ainda não entendeu o que a maioria da nação brasileira deseja!
        O povo terá que voltar para as ruas!

  6. walter disse:

    Graças a Deus, caro Kennedy, estes políticos mal intencionados, caem em suas próprias armadilhas. O Temer perdeu a oportunidade de sair por cima….o Geddel confessou ter apartamento no empreendimento em questão; deveriam imaginar, que o Calero estava preparado para questionar as circunstâncias de sua exposição…O Temer esta cada vez mais enrolado, tentar “salvar” parlamentares envolvidos em doações irregulares, não faz parte de suas atribuições provisórias…Tudo indica caro, que o Temer, FHC e Lula, estão bem enrascados nesta doações de CAIXA DOIS, ou seja, não tem saída para governar, sem o comprometimento com seus pares…será questionado, por fatos recentes; caminha rápido, ou será atropelado na virada…

  7. Felipe disse:

    Pessoal esquerda e direita agora todos juntos unidos CONTRA Anistia de Caixa 2 e Lei de Abuso de Autoridade para juízes e promotores. Não é partido X ou Y, a questão é generalizada todos sabemos.
    Agora é momento de deixarmos para lado nossas divergências ideológicas e fazer MANIFESTAÇÃO DIA 04/DEZ TODOS JUNTOS CONTRA CORRUPÇÃO!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-07-15 03:12:11