aki

cadastre-se aqui
aki
Política
29-10-2014, 22h42

PMDB manda recados para Dilma na política e economia

6

Postado por: Daniela Martins

A derrubada do decreto de criação dos conselhos populares pela Câmara dos Deputados é um alerta preocupante para a presidente Dilma Rousseff. O PMDB, que é o principal aliado da presidente Dilma, quer isolar o PT no Congresso.

A ideia é eleger o líder do partido, Eduardo Cunha, presidente da Câmara em 2015. Renan Calheiros também quer se manter no comando do Senado no ano que vem. Os senadores vão confirmar a decisão dos deputados com relação à criação dos conselhos populares. O PMDB já está dando os seus recados.

Dilma tem de arrumar a articulação para não dificultar ainda mais sua estratégia na economia, porque 2015 será um ano difícil.

O mercado financeiro e o empresariado demonstram ansiedade para saber o nome do novo ministro da Fazenda. A presidente está montando um quebra-cabeça. Além de escolher o sucessor de Guido Mantega, ela tem de dizer quem será o novo secretário do Tesouro. O atual, Arno Augustin, destruiu a credibilidade das contas públicas.

Dilma terá ainda de desenhar como será o Banco Central do segundo mandato. Há boa chance de Alexandre Tombini ficar na presidência, mas haverá mudanças nas diretorias. Ou seja, não basta escolher um nome, mas uma nova equipe econômica. Essa decisão deve sair em meados do mês que vem.

Confira o comentário no “SBT Brasil”:

Comentários
6
  1. Antonio Carlos disse:

    “O governador republicano Arnold Schwarzenegger faz consulta popular na California!”
    Também, não é novidade nenhuma, já que todos sabem que o PARTIDO REPUBLICANO NOS EUA É COMPOSTO POR COMUNISTAS FERRENHOS, incluindo o Schwarzenegger.
    O nível de alucinação de algumas pessoas beira a demência, senão vejamos:
    Todos sabemos que o nosso congresso é composto na sua maioria por políticos corruptos, que estão lá para enriquecer. Não importa se as atitudes tomadas pelo governo são para o bem do País, o que interessa é que sejam tomadas atitudes que os beneficiem.
    Por este motivo, qualquer governo, seja de que partido for é submetido à chantagens permanentes sendo obrigado a ceder ministérios a estes partidos de aluguel e a fechar os olhos para a forma como eles os administram. Se não for assim, não aprova nenhum projeto de importância, porque eles votam contra.
    Sendo assim, com este retrato fiel do Legislativo, podemos imaginar que teremos uma reforma política como de fato necessitamos?
    É claro que isto não vai acontecer, será do jeito que eles quiserem, para deixar tudo como está, com algumas modificações sem importância que não resultarão em nenhum benefício para o País.
    A única maneira do Legislativo fazer uma reforma política importante é através da pressão popular, sendo um referendo ou um plebiscito as únicas formas do povo se manifestar pacificamente. Se o povo que tem o poder do voto para eleger um candidato se manifestar a favor de um determinado tema, os congressistas não terão coragem de votar de forma contrária.
    Não existe nada mais democrático do que ouvir o desejo popular, já que a definição de democracia é “governo do povo”.
    Falar em comunismo é de uma imbecilidade extrema, de alguém que não enxerga um palmo a frente do nariz.
    As pessoas têm que parar de torcer contra, de forma infantil. Cabe a seguinte pergunta, que prova isto facilmente: todos que são contra o governo e comentam aqui gostariam que nos próximos 4 anos o Brasil crescesse 8% ao ano, que a inflação fosse de 0,5%, que a taxa de desemprego fosse de 1%, que o nosso PIB fosse multiplicado por 5, que o saldo da nossa balança comercial fosse de U$20 trilhões, etc?
    Com certeza a resposta é não, porque na realidade os críticos alucinados querem torcer contra, que se dane o Brasil.

    • Pasquale disse:

      Se o desonesto soubesse a vantagem de ser honesto, ele seria honesto ao menos por desonestidade.
      Sócrates

      • walter.nobre disse:

        Caro, o PMDB sempre governa…estamos nas mãos da chantagem por cargos, e nomeações absurdas, de todos os supostos partidos aliados…isto sim é DITADURA, por isso o mensalão, e Petrolão; não importa que chega a PRESIDÊNCIA, TEM QUE PAGAR EM DINHEIRO,E/OU CARGOS EXPRESSIVOS…
        Alguém acredita realmente, que esta prática começou com o PT; nosso congresso centenário, com velhas raposas, não abrem mão
        Quanto aos projetos castradores do PT, eles tem razão; o PT padece da incompetência, seus gestores são anões, muitos analfabetos e funcionais; acreditam na “boa fé” do partido, mas na verdade, eles querem tomar o controle, por perceberem, que o Brasil, é ingovernável”…

  2. Marcelo disse:

    Parece que estão forçando a criação de novos mensalões em troca da governabilidade ….

  3. Pasquale disse:

    Na campanha, bradou que os outros iriam aumentar os juros,terrorismo barato etc..
    Acabou a eleição e…………mais uma mentira da guerrilheira.
    29/10/2014 20:48:25
    Rio – O Banco Central elevou para 11,25% ao ano a taxa básica de juros (Selic) da economia brasileira. A decisão foi tomada após reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC e surpreendeu o mercado financeiro que esperava a manutenção do patamar em 11%. Em nota, o BC informou que considerou o risco da inflação para aumentar os juros.

  4. gesiel disse:

    Esses 2 meses que poderá ser de POLITICA MESQUINHA, de deputados que perderam a eleição, NÃO VÃO ATRAPALHAR O GOVERNO DILMA. A ação ESPECULATIVA de alguns “LIDE”, que começaram a COMPRAR AÇÕES para “SIMULAR UMA SITUAÇÃO DE CONFIANÇA DO MERCADO”, toda vez que o Aecio subia nas pesquisas; NÃO SE SUSTENTOU, porque os “LIDE” são funcionarios, e não são “LIDER” donos de empresas, e por isso podiam DECIDIR O QUE FARIAM COM OS SEUS INVESTIMENTOS PARTICULARES, e NÃO COM OS CAPITAIS DAS EMPRESAS. E, claro que AS EMPRESAS TÊM MAIS DINHEIRO QUE OS SEUS FUNCIONARIOS DE ALTO ESCALÃO, os “LIDE”, e assim sendo, após a vitoria da Dilma, o MERCADO JA SE ESTABILIZOU: As bolsas voltaram a subir e o dollar voltou a cair. A taxa de juro da selic com alta de 0,25%, deverá cair no proximo mês, voltando aos 11%, que é muito mais baixo do que os 45% que era no governo do FHC do PSDB do AECIO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-30 22:10:14