aki

cadastre-se aqui
aki
Política
22-09-2015, 9h05

Presidente precisa apontar articulador político

Ricardo Berzoini, ministro das Comunicações, é o mais cotado
2

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Decidida a manter Aloizio Mercadante na Casa Civil, a presidente Dilma Rousseff deve apontar com urgência um articulador político. O mais cotado é o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, que tem reunião hoje com a presidente. Berzoini tem experiência no Congresso e possui canais com o PMDB.

Ontem, Dilma ouviu três negativas de peemedebistas. O vice-presidente da República, Michel Temer, disse que não indicaria nomes para a reforma ministerial. Os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, também se recusaram a debater o assunto.

Essas negativas resultam num maior distanciamento do PMDB em relação ao governo, sobretudo das principais autoridades públicas do partido. Também expõem o erro da presidente de articular politicamente de forma direta e ouvir três nãos num único dia.

Presidente da República precisa de anteparos. O articulador político é um dos principais. Trata-se de uma ação amadora a presidente da República fazer um movimento para ouvir não.

A permanência de Mercadante na Casa Civil é a decisão mais importante da atual reforma ministerial. Dilma está sem ponte política com o PMDB porque Temer, Cunha e Renan não querem tratar de assuntos do governo com o ministro da Casa Civil.

Ontem, a presidente foi a campo sozinha e se deu mal. Antes de consultar Temer, Renan e Cunha, Dilma tentou fazer articulações com o PMDB por meio da ministra Katia Abreu, da Agricultura, e do líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani.

Temer, Renan e Cunha interpretaram como um gesto para deixá-los em segundo plano e aproveitaram esse erro político para justificar um maior afastamento.

Esse distanciamento é perigoso para a presidente, porque Temer, Renan e Cunha são os principais dirigentes do partido. É uma ilusão achar que basta negociar com Leonardo Picciani, porque a bancada do PMDB na Câmara, está dividida. Também não basta fazer acordo com o governador Luiz Fernando Pezão (RJ), que tem influência limitada no partido. Cheio de correntes e de caciques, o PMDB é uma confusão. É para profissionais, não para principiantes.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
2
  1. everton disse:

    Já era. A Dilma tentou, de forma patética, dividir o PMDB duas vezes. Acabou dividindo o próprio PT, destruiu o próprio governo e não tem mais nada a fazer. Quem vai querer ser nomeado ministro por uma presidente moribunda?

    • walter disse:

      Everton disse tudo…confundir como…já esta para lá de confuso, nem o lula e suas manobras, tem mais forças.
      Kennedy, o berzoine é muito fraco, outro radical…que conseguiu e sua “gestão”do inss; mandar velhinhos de 100 anos se cadastrar; este sujeito esta encarregado pelo PT, caso continuem no Poder…soltar uma medida de censura a MÍDIA E TODOS OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO; não tem credibilidade para nada.
      a dilma só tem uma saída se render, enquanto não for cassada; ela será crucificada no final; responderá inúmeros processos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-21 07:41:24