aki

Kennedy Alencar

cadastre-se aqui
aki
Economia
27-11-2014, 9h16

Primeira missão de Levy é evitar perda do grau de investimento

10

Postado por: Daniela Martins

A primeira missão do novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, será evitar a perda do grau de investimento _nota de avaliação de risco que agências dão com recomendação de aplicação de dinheiro em um país.

A presidente Dilma Rousseff definiu as prioridades da nova equipe econômica: recuperar a credibilidade fiscal do Brasil e facilitar investimentos privados. Hoje serão anunciados apenas três nomes: Levy na Fazenda, Nelson Barbosa no Planejamento e Alexandre Tombini no Banco Central.

A escolha transmite uma mensagem forte ao mercado financeiro e empresários: a presidente Dilma vai mudar no segundo mandato. Haverá um time econômico mais qualificado, mais técnico, menos sujeito a pressões do Palácio do Planalto. Dilma 2 será diferente de Dilma 1.

O atual time da economia vai entregar o país com inflação média anual de 6% ao ano, crescimento menor do que nos governos FHC e Lula e uma política fiscal desacreditada, que coloca em risco o grau de investimento.

Para evitar a perda do grau de investimento do Brasil, Levy terá de arrumar as contas públicas. Mostrar controle fiscal.

Nelson Barbosa vai preparar e discutir com empresários medidas para recuperar a confiança do grande capital de modo que haja mais investimentos privados.

E Alexandre Tombini, confirmado no Banco Central, será uma espécie de memória do que foi feito, mas com aval para adotar uma política monetária que traga a inflação para mais perto do centro da meta, que é de 4,5% ao ano, de acordo com o IPCA.

Os nomes deverão ser divulgados entre o final da manhã e o começo da tarde. A presidente ouviu conselhos do ex-presidente Lula e fez boas escolhas. Dilma deseja que essa nova equipe econômica seja o cartão de visitas do segundo mandato. 

Há motivos para que Levy e Barbosa sejam anunciados, mas não assumam imediatamente as pastas. A primeira razão é a dificuldade do governo de aprovar no Congresso o projeto que abandona a meta de controle dos gastos públicos em 2014.

A segunda, amadurecer as medidas econômicas. Não faz sentido adotar medidas preparadas por Guido Mantega, que está de saída da Fazenda. Mantega fala em superávit primário de 2% ou 2,5% do PIB em 2015. Ele prometeu 1,9% neste ano e talvez entregue zero ou menos.

Se a economia for crescer cerca de 1% ou 1,5% no ano que vem, talvez seja melhor um superávit em torno de 1,5% e que seja realmente executado. Provavelmente, haverá um plano fiscal com metas que vão levar em conta o crescimento da economia e a capacidade de entregar o prometido.

Miriam Belchior, que sai do Planejamento, vai continuar no governo porque é um bom quadro. A lambança econômica do primeiro mandato não é culpa dela.

Joaquim Levy e Nelson Barbosa são sinais de que Dilma tem chance alta de acertar a casa na economia. Agora, vai precisar fazer isso também na política, que anda desarrumada.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
10
  1. Nilo Siefert disse:

    Me dia, Sr, Kennedy, não estava tudo certo com o governo “Dilma 1” como vc se referiu?, Por que adequar se não tinha nada errado. Os rombos foram criados pela imaginação da oposição, segundo vc e outros petistas, mas as contas apareceram, e a LDO está ai para comprovar. Explique

    • walter.nobre disse:

      Meu caro, nem sob tortura, alguém pode explicar…as contas públicas, viraram uma bagunça; eles usam dinheiro do banco do Brasil, para cobrir o BNDES, ou fundo de garantia.
      Os fatos são; gastaram mais dinheiro do que deviam, a Dilma não liga e não controla nada, tanto isto é fato, em suas viagens, o que nunca se fez, foi economia; para quem faliu, antes de ser ministra, uma lojinha de 1,99, esperar o que???
      Ela tentará amenizar a sangria, moralizar um pouco, a economia, entendo que este ministro, não resistirá, a pressão interna do PT; eles são Kamikazes; querem impor o rigor do absurdo no País; não ligam, se o País entrar em parafuso…querem garantir o domínio, para continuarem no comando; nossa única chance, é o impedimento de imediato.

  2. Joaquim disse:

    “As grandes massas cairão mais facilmente numa grande mentira do que numa mentirinha.”
    Adolf Hitler-Ditador da Alemanha

    Olha o estelionato eleitoral ai.

    Eleições a parte, gostaria muito que isto desse certo. Mas tenho minhas profundas duvidas. Por que só existe um meio de concertar as finanças do estado brasileiro, reduzir despesas, para dar exemplo e aumentar receitas. Duvido que um governo sem representação moral, consiga cortar privilégios, dados nos últimos 12 anos.

    Vou rezar para estar errado. Por que afinal estamos todos juntos nesta canoa furada.

    Se o brasileiro aprender que quem paga as bondades do governo é ele mesmo ( o brasileiro )já esta muito bom.

  3. Marden Cardoso disse:

    Nossos respeitos ao Jornalista Kennedy. Como sempre um analista brilhante e isento!

  4. Ed Lopes Junior disse:

    As contradições desse governo são grandes.

    Como evitar a perda do grau de investimento se estão em processo de cancelamento da lei de responsabilidade fiscal?

    O governo não terá obirgação de gerar o superavit primário. Qual a ideia que isso passa para o investidor?

  5. Mario Moraes disse:

    A) Abandono da meta de controle de gastos públicos;
    B) Inflação fora do centro da meta;
    C) Falta de balanço financeiro da Petrobras;
    D) Manutenção das indicações políticas para os ministérios…
    Pra quem pensa em manter a nota de avaliação de investimentos, certamente as medidas estão equivocadas!
    Cordialmente

  6. Daniel disse:

    Ela vai acertar na politica economica pois escolheu um ministro do perfil do Arminio Fraga.
    Ou seja, desagradou a bancada do PT mas assume que a maneira de tentar arrumar a economia é usar politica economica do PSDB.
    No campo politico não vai ter jeito. O PMDB vai continuar deitando e rolando no congresso….

  7. Sérgio disse:

    Um ponto extremamente positivo foi a firmeza da Presidenta em materializar sua escolha, apesar da choradeira de oposicionistas de esquerda. Isto mostra que não está preocupada com opiniões anarquistas de indivíduos das redes sociais e nem a pressões de mídia que tenta insuflar seus leitores a golpes e impedimentos. Muito bem Presidenta! Ordem na casa.

  8. Ruoger disse:

    Tentando melhorar a equipe econômica ,mas não vamos esquecer que o petrólão aconteceu com vistas grossa do pt ,já que o time deles faz parte de tal boquinha. É de envergonhar que apesar de tudo, ainda tem gente , e gente estudada que votou no pt e defende o bando . O povinho…

  9. FERNANDO disse:

    Dilma repete, agora e, com inteligência, a formula de Lula em seu primeiro mandato, quando deu continuidade às politicas economicas do PSDB. O simples fato das escolhas ministerias ter desagradado aos petistas profissionais é prova de acerto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-11-25 02:44:59