aki

cadastre-se aqui
aki
Política
06-12-2016, 21h33

Reação do Senado funciona como recado a Justiça e MP

Nota de Mesa Diretora refletiu incômodo maior com liminar de Mello
14

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Não foi apenas Renan Calheiros quem desafiou o Supremo Tribunal Federal, mas a Mesa Diretora do Senado. Nos bastidores, há contrariedade no Senado com a decisão liminar e monocrática do ministro Marco Aurélio Mello de afastar um chefe de poder.

A saída para essa crise institucional dependerá da decisão que o plenário do Supremo Tribunal Federal tomar amanhã, quando analisar a situação de Renan. Se a maioria apoiar o afastamento do peemedebista, ele e os senadores acatarão a decisão. Seria uma derrota de Renan, mas uma vitória parcial do Senado, que daria um recado à Justiça e ao Ministério Público de limites para interferir no Legislativo e no Executivo.

O Palácio do Planalto endossou a estratégia de Renan e aliados.

*

Gordura para queimar

O governo Temer fez uma proposta bem dura de reforma da Previdência a fim de ter margem para negociar com o Congresso. O Palácio do Planalto sabe que dificilmente o Congresso aprovará o projeto do que jeito que foi enviado.

Logo, decidiu enviar um texto com pontos que podem ser modificados para preservar o que considera essencial, como a idade mínima de 65 anos, um tempo mínimo de contribuição de 25 anos e uma regra de aposentadoria geral para todos, com exceção dos militares.

Assista aos temas do “SBT Brasil’:

Comentários
14
  1. mano disse:

    prezado Kennedy e demais: depois do impeachment da Presidente da República por crime de responsabilidade patrocinado e coordenado por um presidente de Câmara Federal que hoje está preso por ilícitos penais (corrupção) a partir de julgamento de contas pelo TCU, órgão que mantém em seu quadro, 4 (quatro) ministros investigados na operação Zelotes, delação da UTC e compra de votos, tudo pode no Brasil, pois os Poderes da República legislam, julgam e agem em causa própria. Pode até golpe militar e só não acontece porque a única preocupação dos militares hoje em dia é com o contra-cheque no final do mês, diferentemente de 1964 quando havia risco de anarquia e receio de ascensão dos partidos de ideologia comunista. Deus ilumine de inteligência e proteja o povo brasileiro.

  2. walter disse:

    Caro Kennedy, o Renan se deu mal, esta mexendo com forças, que não pode controlar; tentar enquadrar o judiciário, foi uma pessima ideia, engendrada pelos caciques dos grandes partidos; vai ficar com “o Rabo na mão”, sozinho, e quem sabe, na companhia do Cunha…Afrontou a justiça, como fez no julgamento da dilma, rasgou a constituição ali.
    A questão da reforma, a gente já sabe quem vai pagar a conta, esta apresentação de HJ, deixou lacunas mal explicadas; esta conversa, de valores regionais menores, é inconstitucional; este País já viu este filme antes, e quanto aos aposentados por tempo de serviço, que já podem se aposentar…pelos argumentos apresentados, todos vão pagar de alguma forma; quem viver verá, não há justiça social nenhuma; pagaremos a conta sempre, todo este ensaio, e daqui a pouco, vem aumento de imposto…

  3. Francisco Viana disse:

    Prezado amigo Kennedy, boa noite, acredito que ao descumprir decisão judicial, Renan Calheiros e a mesa diretora do senado federal cometem crime previsto no artigo 330 do código penal brasileiro, e dessa forma cometem um atentado ao decoro parlamentar, ou seja, se eu fosse o ministro Marco Aurélio Melo eu decretava a prisão deles ainda hoje, pois eles já estão incorrendo em crime do código Penal podendo também ser enquadrados em formação de quadrilha para o cometimento desse crime, vamos ver nessa quarta feira o resultado final de toda essa crise institucional criada pela mesa diretora do senado.

  4. José Bertulino Santos disse:

    Eu não vejo dessa forma pois se as liminares não forem cumpridas, principalmente decretada pelo Suprema Corte de Justiça do Brasil, não haverá mais Justiça. Certo ou errado, a decisão Judicial tem que ser cumprida, não importa que seja outro poder. Se não for cumprida a decisão monocrática há desobediência a ordem judicial, e por consequência eu tenho que pedir a prisão do resistente. Você já pensou se a moda pega, ninguém mais irá cumprir decisão judicial. Ora, quando você não se conforma, tem o recurso, descumprir nunca, ou então ninguém irá cumprir nada.

  5. mario machado disse:

    Apesar de haver o respeito entre as instituições oficiais à independência de cada uma delas – executivo, legislativo e jurídico – quem poderia, em sã consciência, determinar quem é quem ao domínio do poder, quem pode mais que o Supremo Tribunal Federal e quem é Renan Calheiros ante a mais alta Corte de Justiça, de onde foi exarado o afastamento do presidente do Senado brasileiro? Nesse episódio perigoso ao equilíbrio institucional do Brasil, não poderemos confirmar o adágio: “em casa que não tem pão, todos gritam e ninguém tem razão”. Aqui, nesse momento bastante intrincado, há o reconhecimento republicano de que a Justiça deverá sempre ser acatada e obedecida, até o estabelecimento do direito jurídico a uma das partes. A mim, pelo andar da carruagem, o STF – o mais alto e inatacável poder da Justiça a qualquer nação – não deveria sofrer o ato desobediente do senhor Renan Calheiros que, para se blindar, recorreu aos membros da Mesa do Senado para confirmar sua liderança patética.

  6. Marco Túlio Castro disse:

    Marco Aurelio fez aquilo em coluio com as forças “progressistas” para melar a PEC do teto colocando o Viana na presidencia e armando mais confusão.
    Bagunça é o que querem os “progressistas” veja-se a guerra iniciada por eles no Rio de Janeiro.

  7. joao dias disse:

    Na Guerra dos poderes da República, quem realmente está perdendo são os 200 milhões de brasileiros. Estamos presenciando uma guerra que de maneira alguma irá proporcionar benefícios para os brasileiros, pois não terá vencedor. Quanto mais longa a confusão, mais longo será o sofrimento dos brasileiros. O que o nossa país deseja, no momento, é a união , harmonia e respeito à independência dos Poderes, sem abuso da autoridade e uma profunda reforma nos tres Poderes. Os brasileiros estão indo às ruas, para defender os seus direitos, porque não estão bem representados. Para eliminar a instabilidade constante, nada melhor do que uma Democracia Parlamentarista, adotada bem urgente, proporcionando tranquilidade e a governabilidade. Não pode ficar como está, com tanta roubalheira e corporativismo, confundindo o público com o privado. O Povo brasileiro não quer mais pagar a conta dos pecadores. A nossa crise é de HOMEM.

  8. Wellington Alves disse:

    Ao meu ver, Marco Aurélio já poderia ser enquadrado em abuso de autoridade.

  9. julio disse:

    Kennedy, depois dessa do Renan Calheiros e o Senado Federal, o Código Penal vai ter que mudar!
    Mais vai se dar um jeitinho a moda brasileira!

  10. A CULPA É NOSSA POR GOSTARMOS DE LIXO! disse:

    Somente em nosso país alguém como Renan Calheiros ocupa o cargo que ele ocupa no Congresso Nacional, com a ficha que possui. Num país sério, pessoas como ele, Lula, Jucá, Palocci, Dirceu, Jader Barbalho, Maluf, Paulo Bernardo, Gleisi Hoffman, Humberto Costa e coisas semelhantes já estariam na cadeia há muito tempo.
    E infelizmente temos que admitir que é culpa exclusiva nossa, que os colocamos no poder. Analisar os motivos de elegermos tantos bandidos para nos governar chega a assustar, pois nos faz concluir que exaltamos ladrões, corruptos, mentirosos, assassinos, covardes,incompetentes, enfim, tudo o que de mais lixo possa existir, disfarçado de ser humano!

    • Wellington Alves disse:

      Concordo contigo nesse ponto. Acostumaram-se com os privilégios. Claro que você deixou a lista para o lado que o convém. O mesmo se aplica aos que querem intervenção militar. Dar o poder a supostos humanos que não reconhecem a carnificina que promoveram no passado.

  11. mano disse:

    vamos dar nome aos semelhantes: Temer, Aécio, Serra, Alckmin, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-07-15 03:22:52