aki

Kennedy Alencar

cadastre-se aqui
aki
Entrevistas
07-10-2016, 20h46

Reformar Previdência é vital para viabilizar PEC do Teto, diz Temer

Presidente crê que placar dilatado na segunda mostraria força do governo
10

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

O presidente Michel Temer diz que, se a emenda constitucional que cria um teto para limitar o crescimento das despesas “obtiver 360 ou 380 votos, isso dá um tom de força e de prestígio muito grande do governo junto ao Poder Legislativo”. A Câmara deverá votar essa proposta na segunda.

Em entrevista exclusiva ao SBT, Temer afirma que a aprovação de uma reforma da Previdência será “importantíssima” para que a nova regra de teto orçamentário tenha efeito. Ele avalia que será “mais cobrado” por ter se tornado efetivo, mas acredita que o fim da interinidade lhe assegura mais força para negociar com o Congresso.

Para o presidente, a menor taxa de inflação em setembro e a virtual aprovação da PEC do Teto abrem espaço para queda dos juros. Temer prevê que a economia voltará a crescer no ano que vem. “2017 será melhor do que os anos anteriores”, diz. Assista à íntegra em vídeo aqui. Amanhã, o blog publicará a íntegra em texto.

Comentários
10
  1. walter disse:

    Todos nos achamos Kennedy, primeiro a PEC do teto…evidentemente vai gerar mais confiança, impulsionando o mercado; podemos imaginar com esta aprovação, o governo Temer vai adquirir musculatura, para gerar mais otimismo no mercado, e consequente derrubada da inflação…só tem um porém, não poderá se debruçar se, nesta vitória, deverá continuar…a próxima pedida será a reforma tributária, mas será dura…
    A reforma da previdência, deverá seguir, para a reforma, com muita energia, mas no primeiro semestre, junto a outras medidas, se não for celere, vai perder a oportunidade de viabilizar a melhor solução de todos os tempos, que é propor os novos movimentos, para os futuros trabalhadores da iniciativa privada; tudo isto pode gerar bons fluidos..

  2. Pasquale disse:

    A reforma é simples como um copo de água.
    Temos 2 tipos de segurados um ganha 30.000 o outro 1.000.
    Então apenas 2 custam 15.000(nem na Inglaterra).
    Deu pra entender porque não tem dinheiro?
    Daria para pagar 10 ganhando 3.000,mas não será isso que irão fazer.
    Irão penalizar o que recebe menos,eu pergunto como o cidadão irá sobreviver?

    • Fábio Oliveira disse:

      Concordo, a conta sempre sobra para o trabalhador que recebe menos

    • Anafilófio disse:

      Exatamente, um funcionário público – em números relativos – custa para a previdência cerca de 30 vezes mais do que um trabalhador “comum”. Consequência da diferença – enorme – da quantidade de uns e de outros, e da diferença abissal do valor de seus proventos. Reformar apenas a parte “pública” da previdência resolveria 80% do problema. Sabemos que isso jamais vai acontecer…

  3. mario machado disse:

    O senhor Pasquale, usuário constante a esse espaço, afirma ser simples a reforma previdenciária. Não é, infelizmente aos segurados. Creio eu seria mais urgente fazer-se as reformas politica e tributária. A primeira, de modo a ajustar as discrepâncias entre o universo parlamentar e a realidade à qual convivem milhões de cidadãos; a segunda, deveria envolver a rígida cobrança, em primeiro lugar, aos sonegadores – grandes empresas – e às grandes fortunas provenientes não se sabendo ao certo as suas origens. A seguir, e ainda dentro da reforma tributária, a revisão dos imposto: os mais elevados em todo mundo contemporâneo. Não pode, por exemplo, a gasolina custar bem menos aos pequenos países não produtores de combustíveis fósseis. Isso acontece debaixo dos narizes de nossas autoridades. E a Previdência, uma vez corrigidas as “distorções” aos “rombos” (roubos, seria mais apropriado), teria sobras para cumprir suas obrigações e deveres constitucionais.

    • Pasquale disse:

      Mario eu sei que não é simples ,mas o exemplo que dei é a única solução.
      Não existe em país nehum,alguem ganhando da previdencia 10,20, 30 vezes mais que o outro.
      Porque a conta não vai fechar,eu tenho que cortar,mas cortar em cima não em baixo.
      Caso vc corte em baixo,o ciclo virtuoso que víamos no consumo graças ao aumento real do mínimo.
      Pode nos jogar de vez na pobreza,eu não vou ter dinheiro para comprar.
      Simples, é muito difícil é quase desumano viver com 1.000 reais.
      Temos que mudar a mentalidade.Pelo menos eu penso no que não tem,poderia ignorar não é meu parente.
      ____________
      O país não te dá nada e te tira a dignidade.
      EX:medicamento nos EUA imposto zero

      • mario machado disse:

        Senhor Pasquale: antes de qualquer outro assunto, declino meus agradecimentos por sua atenção ao meu comentário sobre a Previdência. No Brasil de hoje, nem um só cidadão pode viver com um salário mínimo de R$ 880,00, e ainda fosse de R$ 1.000,00 uma família normal se alimentaria dia sim dia não. E se vive apenas para comer? Claro que não! O que não deixa a Previdência, que é exclusivamente nossa e não do governo, folgada e pagando os nossos lídimos direitos é a maldita e endêmica corrupção e outras facilidades embutidas como sonegações e perdões a entidades várias como as do círculo religioso. Por que a prerrogativa? Por que não se taxar as grandes fortunas, que são muitas, de patrimônios elevadíssimos? A Previdência foi revestida por trapos de que sendo ela o mal maior à economia deve ser passada ao fio da navalha das reformas, em primeiríssimo lugar, a qualquer que seja o governo. São simples cacoetes que fazem um mal danado a muitos de nós aposentados. Abraços.

  4. Luís Henrique disse:

    Os promotores e juízes já estão reclamando, querem preservar seus parcos rendimentos de R$ 50.000,00, por mês !!!!! assim não tem país que aguente, que falta de patriotismo, enquanto o povo ganha R$ 1.000,00, eles querem mais aumentos e preservar os seus orçamentos. Isso é um absurdo, já que eles mesmos fazem o orçamento deles e empurram para ao povo pagar. O governo tem que limitar o gasto desse pessoal que “legisla” em causa própria elevando salários e criando privilégios, pois além de salários têm diárias, auxílio moradia e etc.; o que lhes confere ganhos elevadíssimos para um país quebrado. Eles têm que dar a contribuição deles ao Brasil.

  5. É VITAL, PRIMEIRO, MOSTRAR POR QUE HÁ O ROMBO, E NÃO APENAS DIZER QUE HÁ ROMBO! disse:

    REFORMA DA PREVIDÊNCIA EM QUE NÃO SE MOSTRAM AS RAZÕES DE TAIS REFORMAS, ONDE NÃO SE DISCUTE COM OS QUE SUSTENTAM O SISTEMA, COM SUAS CONTRIBUIÇÕES, NÃO É REFORMA: É MAIS UMA ARBITRARIEDADE EM CIMA DE UM POVO QUE TRABALHA 5 MESES DO ANO SÓ PARA PAGAR IMPOSTOS, COM UM MÍNIMO DE RETORNO!
    QUE NEGÓCIO É ESSE DE SE DIZER QUE HÁ UM DEFICIT DE TANTOS BILHÕES, QUE ESTÁ INSUSTENTÁVEL, E NÃO SE MOSTRA O QUE ESTÁ CAUSANDO TAL ROMBO?
    É PRECISO MOSTRAR ONDE ESTÁ O DINHEIRO DA PREVIDÊNCIA, TOSTÃO POR TOSTÃO!
    É PRECISO MOSTRAR AO CONTRIBUINTE DA PREVIDÊNCIA QUE NÃO HÁ DINHEIRO DA PREVIDÊNCIA EM OUTROS SETORES, EM BOLSOS DE CRIMINOSOS, ETC.
    O GOVERNO DEVE SATISFAÇÃO AOS CONTRIBUINTES DA PREVIDÊNCIA, NÃO É SÓ DIZER QUE HÁ UM ROMBO “X”, QUE VAMOS FAZER ISSO E AQUILO, E NÃO MOSTRAR PORQUE HÁ O ROMBO!

  6. O Brasil precisa aprovar esse PEC, senão estamos ferrados.

Deixe uma resposta para Pasquale Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-11-24 23:51:56