aki

cadastre-se aqui
aki
Geral
17-02-2014, 15h40

Rejeição a justiceiros é lição civilizatória

19

É uma boa notícia a pesquisa Datafolha que mostrou que 79% dos cariocas rejeitam os justiceiros. Serve de lição a jornalistas e políticos que incentivam a barbárie. População sabe separar o joio do trigo. Já alguns preferem jogar fora o trigo e publicar o joio.

Comentários
19
  1. Elizabete Gomes disse:

    Também achei ótima essa pesquisa, isso é pra calar a boca de uma certa jornalista que gosta de fazer apologia a violencia, não é Sheherazade??

    • reinaldo disse:

      Voçe deve ser mais uma que vive sob escolta.queria ver se algum dia voçe for vitima de algum bandido,principalmente menor.

    • Janaina Semolina disse:

      População como a elite deseja… Todo mundo passivo, mando e aceitando tudo o que empurram goela abaixo. Aguentem tudo calado e fiquem robotizados com toda essa falsa moralidade impostas por um poder com cara de ditadura.

    • Janaina Semolina disse:

      População como a elite deseja… Todo mundo passivo, manso e aceitando tudo o que empurram goela abaixo. Aguentem tudo calado e fiquem robotizados com toda essa falsa moralidade impostas por um poder com cara de ditadura.

  2. Fábio de Oliveira Ribeiro disse:

    A auto-tutela é crime, exceto quando praticada em legítima defesa. Apenas o Estado tem e deve ter o monopólio da distribuição de Justiça. Mas não sou tão otimista quanto o jornalista. O fato de que 79% da população rejeitar os justiçamentos que tem ocorrido no Rio de Janeiro não significa uma “lição de civilização”. Uma parcela grande da população carioca apóia a exagerada e até criminosa violência policial empregada pelo BOPE nos morros. Nenhum grande partido político tem coragem de apresentar na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro um PL extinguindo o BOPE. Isto diz mais sobre a “nossa civilização” do que qualquer outra pesquisa.

    • Danton Robespierre Machiavelli Mirabeau disse:

      Prezado Fábio, a própria essência do BOPE é a temperança exagerada levada ao extremo,porquanto trata-se de meios e modos similar às SWATs da vida. Quanto a ser criminosa: há divergência! A propósito, se você já subiu, em alguma vez, quaisquer dos morros (ou mesmo no asfalto )onde se fez presente o BOPE por dever de ofício, deve ter percebido que os exagerados e até criminosos componentes daquela nobre Instituição foram recebidos com flores, lanches e uma melodia em flauta doce. Pô mano, se desapega!

    • Paulo Henrique disse:

      Já banalizou-se a barbárie á tempos, já arrastaram criança com carro em movimento,já jogaram futebol com a cabeça de um ser humano, assassinam e dão fim em cadáveres com o tal “microondas” , rejeitar ou não o justiçamento é algo insípido, o carioca não rejeita o convívio com o morro dominado pelo crime , os arrastões, os assaltos na linha vermelha,os policiais à serviço de bandidos, pesquisa sem base de amostragem não quer dizer nada, prefiro saber a opinião dos não entrevistados.

    • Gil disse:

      Fábio, para vc ter essa opinião ou vc é bandido ou tem parentes que são. Não é possível que um “cidadão de bem” em sã consciência defende o fim da única polícia no Rio que funciona e não é corrupta.
      Quando vc ou alguém da sua família for assaltado e esculachado,estuprado ou sequestrado e morto por uma dessas pessoas que vc defende, aí vc volta aqui e dê sua opinião sobre o fim do BOPE.

  3. Leonardo paresqui disse:

    Kennedy
    Sou contra a violência gratuita. agora se um marginal tenta me agredir, roubar, ou entrar na minha casa eu tenho o direito de me defender.
    É preciso dedicar claro que justiceiros não é o caminho mais é justo o direito de defesa e consequentemente imobilizar um marginal. É preciso separar as coisas.

  4. Edgar Adorno Junior disse:

    Pode ser só o medo de trocar a opressão conhecida pela opressão desconhecida.

  5. CLEILSON disse:

    Cidadão é um indivíduo que convive em sociedade – grupo de indivíduos entre os quais existem relações recíprocas.

    ENTÃO SE A TEM VIOLÊNCIA E NÃO TEM LEI QUE DE JEITO A POPULAÇÃO COM O INSTINTO DE SOBREVIVÊNCIA REAGE COM VIOLÊNCIA COM OS VAGABUNDOS!

  6. Não há a menor dúvida de que a atuação dos justiceiros é totalmente reprovável pelo bom sendo e pelo princípio humanitário, por não justificar que a sociedade se ache no direito de fazer justiça com as próprias mãos. Agora também é absolutamente inaceitável que as autoridades públicas, que têm a incumbência de proteger a sociedade e combater a violência e a criminalidade, continuem em absoluta inércia quanto à sua responsabilidade constitucional de priorizar a segurança pública, como forma de corresponder às arrecadações de tributos justamente para a finalidade de dispor a força policial em condições de garantir a proteção da sociedade, mediante a eficiência na manutenção da ordem pública. Urge que a legislação aplicável à espécie seja reformulada, modernizada e adequada à realidade brasileira, a par do estabelecimento de prioridade para a melhoria dos mecanismos e instrumentos pertinentes à segurança pública, com melhor remuneração das Polícias Militares e demais forças de policiamento, do urgente aumento dos quantitativos dos efetivos das corporações militares, de modo que haja policiamento suficiente e capacitado para corresponder à demanda das questões de violência. Caso continue essa situação de irresponsabilidade e de omissão das autoridades incumbidas de cuidar da segurança da sociedade, não há dúvida de que as ações dos justiceiros poderão ser incrementadas, em prejuízo da racionalidade e dos princípios humanitários, que deveriam ser cultuados ante as conquistas da humanidade, que dispõe de lições e de conhecimento suficientes para entender que a atuação dos justiceiros evidencia gigantesco retrocesso somente permitido no país tupiniquim, que tem sido complacente com o atraso e as precariedades resultantes da incompetência e irresponsabilidade da administração do país. Acorda, Brasil!

  7. Luiz Pinheiro disse:

    Novamente estas pesquisas encomendadas. Como “rejeição”, se não me perguntaram nada!

  8. José Roberto Amorim disse:

    Eu prefiro ser um Barbaro vivo do que um civilizado morto.
    Estou com muito orgulho entre os admiradores da Rachel sheherazade

  9. Ronaldo disse:

    Tal resultado reforça meu orgulho de ter nascido e vivido muitos anos no Rio de Janeiro. É bastante frequente encontrar opiniões equivocadas, decorrentes das notícias de violência, comuns a todos os grandes centros populacionais, confundindo a truculência da marginalidade que opera na cidade com a cultura e solidariedade decorrente, de grande parte da população, que não aprova e nem se identifica com a barbárie da chamada “justiça com as próprias mãos”.
    O Rio inegavelmente continua a ser a capital cultural do país, para quem conhece a diferença entre grandes espetáculos e atitudes de uma sociedade como enunciadoras da cultura de uma localidade e nesse quesito, muitas vezes, o Rio nos “mata” de felicidade.

  10. Luís Silva disse:

    Creio que existe uma deficiência enorme no brasileiro em compreender um texto, quando alguém que diz que é “compreensível”, pessoas fazerem justiça com as próprias, é porque ela não consegue mais enxergar o estado resguardando sua segurança. Mas isso não quer dizer que é favor, o mesmo quando uma alguém rouba por causa da fome, é “compreensível” este ato, mas não o apoia. Este movimento existento no mundo e no Brasil chamado “Politícamente Correto” é uma mordaça para o cidadão, pois ele não pode fazer nada, fica amordaçado nas mãos dos criminosos, e quando faz algo para deter o miliante, os tais “intelectuais” repudiam a ação, mas isso só vale se o criminoso por “negro”, porque em outros casos, com o sujeito sendo branco, não apareceu uma ONG dos direitos humanos.
    Se você fizer uma pesquisa rápida entenderá o motivo desta revolta, só olhar os índices de homicídios do Brasil, que são mais de 50 mil mortes por anos contabilizadas, morre mais que em guerra no mundo. E mesmo sabendo disso você não acha “compreensível” a população quero determinar sua própria segurança? Ou será que prefere todo o monopólio no Estado, que seus governantes são “antigos comunista guerrilheiros” armados?

  11. Fernandão disse:

    Muito mais triste do que suas estúpidas convicções, muito pior do que externá-las numa rede de TV de alcance razoável, muito pior do que praticamente fazer apologia a um crime, é constatar que nenhuma palavra que ela vomitou é mentira.

    Nenhum governo jamais cumpriu com sua obrigação constitucional de prover segurança à população, não cumpre e jamais cumprirá. Essa é a parte mais triste da história. A “jornalista” passará, a violência não, a inação dos governos não.

    Estamos embasbacados com a portadora da má notícia/opinião, novamente, e esquecemos dos fatos; a violência veio para ficar, e a culpa é do governo, dos anteriores, dos atuais, e infelizmente dos futuros.

  12. gesiel disse:

    “”O POVO BRASILEIRO É PASSIONAL””, por isso jornalistas têm que tomar cuidado com o que falam, para NÃO INCITAR A VIOLENCIA PRECIPITADA. Os mesmos cidadãos do Brasil, que ficam INDIGNADOS “NUM PRIMEIRO MOMENTO” COM OS BANDIDOS, “”SÃO OS MESMOS BRASILEIROS QUE PASSADO ALGUNS ANOS DEMONIZAM POLICIAIS, QUE ‘EM CONFRONTO’ MATAM BANDIDOS PERIGOSÍSSIMOS QUE ESTAVAM ‘NOVAMENTE’ COMETENDO ASSASSINATOS DENTRO DO CARANDIRÚ””. Falar em pena de morte no Brasil, É IR CONTRA A NATUREZA HUMANITARIA DO POVO BRASILEIRO. E’ preciso sim DESPERTAR NO POVO BRASILEIRO, o REPUDIO AO MAU CARATISMO, mas incentivando A COBRAR JUSTIÇA e não a fazer justiça com as proprias mãos; para não igualarmos os ordeiros aos bandidos. Não se pode FICAR COBRANDO INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO COMO FORMA DE EVOLUÇÃO E INCLUSÃO e ao mesmo tempo, DEFENDER PRATICAS PRIMITIVAS como a Lei do olho por olho dente por dente. Será que estes que COBRAM PENA DE MORTE também seriam a favor se A PENA DE MORTE FOSSE APLICADA EM CORONEIS POLITICOS NORDESTINOS?

  13. Tavares disse:

    Há justiça em inocentar bandidos e assassinos?
    Há justiça em deixar a população ser morta um a um membro sem ação dos órgãos competentes e/ou sem apoio dos políticos que votamos?
    Há justiça em jogar policiais destreinados nas ruas a colocá-los como alvo de milhões de bandidos, advogados corruptos, políticos bandidos, população omissa e mesmo assim cobrarmos dos mesmos serem calmos e desestressados (Você seria???)
    Há justiça em soltar os bandidos e deixar a sociedade presa em suas casas, dando mais direitos para bandidos que para quem trabalha?
    Há justiça em um menor poder tomar a decisão de matar e não poder ser responsabilizado somente por que os políticos não querem gasta mais com penitenciárias (O volume de retenção subiria 500% obrigando a construções e investimentos altos)?

    ” A justiça é uma ação momentânea e demanda do seu entorno para ser considerada justa ou não, os mesmo que imputam negatividade ou apoiam certas condutas e mudam de lado/critério sempre que colocados em situações das quais as considerações “JUSTA” os coloquem em situação arbitrária ou desfavorável. “

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-07-10 04:52:54