aki

cadastre-se aqui
aki
Geral
14-01-2014, 8h42

Repressão só vai vitaminar rolezinhos

Violência policial jogou gasolina na fogueira dos protestos de 2013
37

Esse filme já foi visto em 2013. A forte repressão da Polícia Militar de São Paulo a uma manifestação em junho do ano passado jogou gasolina na fogueira. Serviu como estopim para que milhares saíssem às ruas nos protestos seguintes em várias cidades do Brasil.

No final de semana passada, a Justiça paulista concedeu uma preconceituosa liminar (ordem provisória) para barrar a entrada de jovens da periferia nos shoppings. A PM paulista deu o show habitual de brutalidade contra os mais pobres.

Resultado: há pelos menos 10 rolezinhos marcados para acontecer até fevereiro. Isso só em São Paulo.

A linha correta é a que foi apontada pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, que disse ser preciso dialogar com esses jovens. O governador do Estado, Geraldo Alckmin, entrou rapidamente em cena, dizendo que eventual abuso policial será investigado.

Ótimo que tenham reagido assim. Aprenderam que a indiferença com que trataram inicialmente os protestos de 2013 enfraqueceram seus governos e criaram uma onda que quase os devorou politicamente. Distante dos rolezinhos, o governo federal também precisa entender o movimento.

Comentários
37
  1. Luiz Rocha disse:

    Não concordo em nada com seus comentários, primeiro porque não são apenas jovens de classe mais baixa ou da periferia como preferiu denominar que estão fazendo esses rolezinhos,agora achar que eles tem o direito de perturbar as outras pessoas e promoverem arruaça juntamente com saques a lojas como pode ser constatado aí já é demais, nesse país as pessoas estão achando que podem fazer o que querem e acho que não é bem assim. Tem que ser reprimido sim a princípio com procedimento dentro dos padrões normais para conter esse tipo de tumulto mas se necessário com emprego da força mesmo pois não podemos permitir que um bando de idiotas façam o que bem quiserem trazendo transtorno ao resto da população.

    • roberto disse:

      Caro Luiz Rocha,
      A repressão não e o caminho, muito menos a prisão. Ja temos mais de 500 mil presos, um verdadeiro exercito que se organiza em torno do PCC. Como o Padila mostra no Tropa de Elite, em breve chagaremos a ter mais da metade da população encarcerada e engajada no exercito dos excluídos. Use sua energia para pensar na dificil tarefa de evolução da cidadania destes jovens, agora incluidos no mercado de consumo e na cultura consumista na qual a nossa sociedade se desenvolve.
      Quantos aos ricos e comercio de luxo, como sempre, eles se trancafiarão, transformando os shoppings e lojas em clube de compra, onde para entrar o consumidor tera de ser indicado por mais dois outros socios.

      • Life disse:

        A questão não é ser contra ou a favor de diálogo ou repressão. A questão é fazer o que é necessário. O que ocorre hoje e não só no Brasil é complexo e longe de avaliações ideológicas e com conceitos simplórios da história, não mais aplicáveis à realidade atual. Tudo depende das características culturais e sociais de uma comunidade. A Dinamarca estava tendo problemas com suas prisões, porque estão vazias. Os países mais populosos do mundo, exceto Japão, tem problemas carcerários, de falta de vagas. A Russia tem quase 700 mil, os USA tem 2,2 milhões. “Cada panela tem sua tampa”. E cada ser humano só quer o conforto próprio e ponto final. Só que se esquecem que isso deve ser com honestidade, moralidade e consciência.

    • anderson disse:

      perfeito!!!

    • fabio disse:

      EU ESTAVA LA EM ITAQUERA NO DIA DO ROLEZINHO,ESTAVA COM MEUS DOIS FILHOS,E O QUE VI FOI COMERCIANTES QUE PAGAM ALUGUEIS ALTOS,E IMPOSTOS ALTOS COM SUAS LOJA FECHADAS,POIS A EMINENCIA DE SAQUE ERA CERTA,FOI TANTO QUE AO ABRIR AS LOJAS DA PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO,COMEÇOU A MOVIMENTAÇÃO E TENTARAM PEGAR O QUE HAVIA NOS BALCÕES,O DIREITO DE UM TERMINA QUANDO COMEÇA O DO OUTRO,SE QUEREMOS VIVER EM SOCIEDADE A REGRAS A SE SEGUIR,E ISSO TEM QUE VIR DE CASA,HAVIA CRIANÇAS DE 10,12 ANOS QUE SEGUIAM OUTROS MAIS VELHOS,A POLICIA AGIU CORRETAMENTE,NÃO HOUVE NADA A MAIS DO NECESSARIO,DEMAGOGIA DE POLITICA NÃO SERVE PARA O CASO,QUANDO ALGUEM TRANSGRIDE A LEI HA NECESSIDADE DE SE TRAZER TUDO AO SEU EIXO NORMAL,QUEM ESTAVA NO LOCAL SE VIU APAVORADO COM A SITUAÇÃO,PARABENS A POLICIA QUE AGIU CORRETAMENTE,NÃO SE DEVE ACEITAR ESSE TIPO DE SITUAÇÃO,DEVERIA TER CHAMADO O CONSELHO TUTELAR,E CONVOCADO OS PAIS A DAR EXPLICAÇÃO DO PORQUE SEUS FILHOS ESTAVAM NAQUELE TUMULTO,E COBRAR QUE EM UMA REINCIDENCIA ELES SERIAM RESPONSABILIZADOS.

    • Marilu disse:

      Bravoooo Luiz Rocha e os demais q se posicionam pelo acatamento as leis e a ordem; a polícia TEM q atuar sim- obviamente dentro do limite, mas já passamos da hora de REstabelecer o domínio dos direitos de QUALQUER cidadão e não acolher, como se certo fosse, procedimentos anti civilizatorios/sociais, apenas pq seus manifestantes PaRECEM ser ” jovens da periferia” ! Ora, esses também tem q saber o q e respeito; se não aprenderam por bem….. Q alguma forma tem q aprender , em prol da defesa da sociedade!

  2. anelito lelis minari disse:

    ABSURDO, so mesmo no Brasil acontece esse tipo de coisa com APOIO DA IMPRENSA. vandalismo, deviam invadir a sede dos grupos de midia e baguncar bastante

  3. Joaquim Salvador do Brasil disse:

    E quem seria o representante líder das crianças na ocasião do diálogo com Haddad? Qual seriam os temas abordados? Será que os rolês seriam porque elas tem algo a reinvidicar do prefeito? Sairia um acordo acordo de paz escrito e assinado entre a Prefeitura e essas crianças? Por que razões crianças que não recebem educação em casa estariam dispostas a dialogar com um tal prefeito , tendo como tema, a própria falta de educação? Num cenário desses, quem é mais infanti, as crianças ou o Prefeito?

  4. Fernando Pacheco disse:

    Meu Deus!! A teoria da permissibilidade (se é q este termo existe) indo ao encontro da argumentacão de que a melhor saída é sempre o diálogo, esta levando nosso país pro buraco. Dialogar qdo o movimento é pacífico sim, mais permitir baderna, vandalismo e saques e entender q se trata de uma reinvidicação justa….ah é irracional.

  5. marcia aparecida de oliveira disse:

    Eu até agora não entendi porque a imprensa junto com psicólogos estão tentando enfiar na cabeça do povo que esse “rolezinho” é uma bandeira dos jovens para mostrar que algo está errado. Bandeira do que??? ficam falando que os jovens não tem área de lazer…me poupe!!!
    A minha geração não tinha área de lazer e outras antes e também depois da minha também não tiveram e no entanto não saímos atacando as pessoas e roubando lojas.
    O que aconteceu é que os brasileiros são “macacos” dos norte americanos, copiam tudo o que eles fazem, principalmente o de ruim e esse rolezinho é um dos casos que os babacas daqui resolveram copiar.
    Dá para nitidamente na televisão o que eles fazem, bagunça, agressão, anarquia…
    Parem de querem tapar o sol com a peneira!!!

  6. Claudinéia Ap. Morais do Amaral disse:

    Estamos colhendo os frutos da ostentação pelo consumismo que invadem nossa vida diária, e os shoppings são verdadeiros templos de luxo, do qual, esta juventude pobre, negra e excluída também quer participar. A repressão a esta prática é realmente uma vitamina que desencadeará novas ações, novos encontros…

    • benedito silva disse:

      Não Culpe os negros os pobres e excluídos. Todos os jovens, principalmente os “riquinhos” são os principais arruaceiros. Tem pá AIS com costas largas para defende-los. No final só o preconceito é visto.

  7. Marco disse:

    Deveriam é fazer “rolezinho” na penitenciária de Pedrinhas.

    Aliás, se perguntar onde fica Pedrinhas, aposto que os frequentadores dessa algazarra sequer saber apontar o Estado.

  8. vagney oliveira disse:

    Será que o sr. Kennedy passeiaria pelos shoppings centers tranquilamente para fazer
    compras ou ir ao cinema ou mesmo fazer um lanche nos fast foods com suas filhas
    adolescentes ao mesmo tempo que os ¨rolezinhos¨ estivessem ocorrendo? ou será que o
    sr. Kennedy investiria um mínimo de 500 mil reais, que é o que tem que investir as
    menores lojas de um shopping center, e manteria suas portas abertas com todo o seu
    estoque durante estes ¨rolezinhos¨? precisamos acabar com essa hipocrisia da
    imprensa brasileira e dos ¨sociólogos de plantão¨ que acham normal o vandalismo e a
    depredação no Brasil,desde que é claro eles não tenham nada a perder e não sejam
    atingidos por elas, e lutar por um país mais justo e justo é para todos com punição
    a quem desrespeita as leis e a ordem.
    Uma coisa é um rolé pelo shopping entre alguns amigos outra é uma união de centenas
    de pessoas que não se conhecem e têm intenções obscuras. Muitas delas com certeza
    já com crimes, que se aproveitam da confusão, do despreparo da polícia em coibir e
    do despreparo hipócrita da imprensa. Não se constrói um país mais justo com
    vandalismo, baderna, depredação e omissão.
    Página

  9. joao alberto disse:

    Como sempre, o articulista está desinformado ou distorce a situação, pois não tem nada de preconceituosas as liminares, visto que seguem a as Leis e a Constituição, uma vez que os locais “invadidos” são particulares, podendo os proprietários restringirem o uso em caso de ameaças a segurança do patrimônio ou dos que ali frequentam normalmente.
    Defender o rolezinho é demagogia e das mais baratas, pois é notório que eles vão para bagunçar, para enfrentar o poder constituído, querem ser vitimizados. Aliás, é só ter eleições para começarem acontecer coisas estranhas, principalmente em São Paulo, dá até para desconfiar num trabalho planejado. (Prá quem dúvida, é só ver o caso dos Mais Médicos, que vinha sendo montado e planejado na sorrelfa com Cuba há mais de ano)Vindo desse pessoal, eu acredito até em bruxas e na mídia que os dá sustentação)

  10. Guto disse:

    Falsidade em relação aos mais pobre.

  11. Sr Kennedy Alencar, quem já está vitaminando essa idéia é o senhor… Vocês devem rever seus conceitos de liberdade, pois devido a alguns “modernistas” nossa Sociedade está caminhando para o caos. Mensagem também direcionada para a Sra Glória Maria.

  12. Hayashi disse:

    Algum jornalista já escreveu e publicou que não devemos tratar os rolezinhos como arrastões. Eu poria mais lenha na fogueira: devemos tratar os arrastões como rolezinhos. Pois são apenas crianças querendo namorar, pegar mulher (no meu entendimento, isto seria estupro e roubar bolsas).

  13. agenor ramos disse:

    O senhor está misturando direitos com vandalismos . são situações completamente distintas. O vandalismo porém devem ser reprimidos em ambos.

  14. Carlos Silva disse:

    E VC COMO UM DIVULGADOR DE COISAS RUINS COMO ESTA, DEVERIA FICAR NA SUA, POIS ESTÁ PROMOVENDO TAMBÉM

  15. Sergio Mantovani disse:

    Muito bem. Perfeito o seu comentário. O negócio é mesmo deixar a massa invadir os Shoppings e promover a bandalheira. Que se danem os lojistas. Que se danem as pessoas que frequentam o Shopping porque pensam estar em lugar seguro.
    Cada dia mais afagamos os criminosos e deixamos a população à mercê da bandalheira. Você, na realidade, não deve ter passado por nenhum perrengue desse e não sentiu na pele o clima de terror que esses verdadeiros bandidos provocam, não porque estão no embalo, mas porque querem mesmo. Seguindo sua linha de raciocínio, polícia só deve trabalhar em horário comercial obedecendo rigorosamente 1 hora de almoço e aos sábados e domingos a população que se lixe.

  16. André disse:

    Kennedy comente mas não invente, a liminar é para barrar MENORES em Shoppings e não jovens da periferia. Outra coisa, esse tal de rolezinho é só baderna, moro em Guarulhos, prometi levar a minha filha de 4 anos no Parque Maia onde teve aquele Rolezinho que espancaram o GCM. E ai, o que vc me diz a respeito??? Os jovens não foram “truculentos” com a polícia??? Vocês querem que a PM chamem os pais e peçam para os filhos irem embora??? Vc mandaria seus filhos para participarem de um “Rolezinho”??? Me poupe …

  17. André disse:

    Acho que o senhor perdeu a oportunidade de ficar calado e não foi feliz em seu comentário. Vamos fazer um rolezinho no Shopping Itaquera??? Afinal você não é nada preconceituoso mesmo. Quero levar minha filha no Parque Maia aqui em Guarulhos, vamos??? Ficarei mais tranquilo com o senhor ao meu lado, caso precise, o senhor vai lá falar com os jovens da periferia que o senhor tanto defende. Pergunte ao GCM que foi espancado pelos jovens se a PM tá errada em ser truculenta???

  18. Romilson Santos disse:

    A verdade é que estão tentando tapar o sol com peneira, enquanto saquei nossa nação, destroem nosso solo, acabam com nossa última chama de esperança em dias melhores, a impressa se preocupa em criar mais um factoide para desviar a atenção dos brasileiros e nos tornar cada dia mais cegos diante das atrocidades que vem ocorrendo com uma nação que um dia foi chamada Brasil. Povo brasileiro a nossa hora está chegando e vamos mostrar que não estamos “dormindo em berço” esplêndido.

  19. Bruno Hallak disse:

    De boa Kennedy. Dessa vez vc me surpreendeu negativamente. Impossível imaginar que diálogo adiante algo simplesmente pq não há reinvidicações. Os guris apenas ‘decidiram’ dar uma volta num local diferente, e resolveram convidar uma quantidade enorme de gente, catapultados pela facilidade do Facebook. A brincadeira virou baderna e aproveitaram para fazer arrastão. Tem depoimento de guri que tem tênis de R$ 1.000,00 em casa, que só usa roupa de marca etc. e que vai ao rolê para ‘pegar mulher’. Ele mesmo diz que alguns amigos vão para briga e outros para roubar.
    Se os pais não mostraram a esses menores os limites, cabe à sociedade (polícia), fazê-lo, sim. É preciso respeitar as pessoas que estão passeando, descansando, alimentando etc. sem atrapalhar ninguém. Se querem frequentar o local, que não causem confusão, ou sofram as consequências.

  20. todos tem direito a reinvidicações, mas quando passa a baderna, desordem, a policia tem que agir mesmo!!!!! e outra, quem disse que somente pessoas da periferia estavam ali? muitos dos que ali se encontravam eram de bairros nobilissimos de sp e com familias de renda familiar altissima…… vamos esperar por Julho para vermos o que será manifestações e espero que sejam pacificas, para o bem de nosso Brasil!!!!!!!!!!!!!1

  21. Ricardo disse:

    Os shoppings devem se organizar e proibir aglomeração de pessoas menor de idade sem a companhia dos pais deverá ser proibida a entrada.

  22. Filho disse:

    Kennedy foi acertivo. E a ONU tbm, só falta essa classe pseudomédia parar destes discursos arcaicos e repressivos:

    Data: Sábado – 18 de Janeiro – Concentração às 12h00
    Local: Parque do Povo – ao lado da Estação de Trem Cidade Jardim

    IMAGINE UM ROLÉ DA NEGRADA PELA VILA OLÍMPIA, JD. SÃO PAULO, JD. EUROPA… E DEPOIS DO SHOPPING JK IGUATEMI…

    O Racismo brasileiro já foi amplamente denunciado por movimentos e intelectuais. Agora a pouco, a ONU, através de uma comissão especial em visita ao Brasil, mais uma vez declarou: “Os afro-brasileiros não serão integralmente considerados cidadãos plenos sem uma justa distribuição do poder econômico, político e cultural”, reforçando a ideia do racismo como estruturante das desigualdades em nosso país.

    Esse racismo se traveste cotidianamente a medida da necessidade do opressor. Nesse momento vivemos em São Paulo e em outros grandes centros mais uma das faces do racismo estrutural brasileiro: A reação dos Shoppings, da Polícia e agora da Justiça em relação a presença de “jovens funkeiros” nestes estabelecimentos.

    Com a liminar que garantiu o direito ao JK Iguatemi impedir a entrada de jovens negros, pobres e funkeiros, percebe-se a reafirmação da missão da policia, da justiça enfim, do Estado: a proteção da iniciativa privada e de seus valores civilizatórios tendo, como sempre, um alvo bem definido: os negros.

    No mesmo dia em que o rolezinho do JK foi proibido pela polícia e justiça, um outro, no shopping Itaquera, na zona leste de São Paulo, foi reprimido com balas de borracha.

    Criminalizado como um dia fora a capoeira, o futebol, o samba a MPB e o RAP, o funk moderno é tão contraditório em seu conteúdo quanto o é resistência em sua forma e estética. E se está servindo também para fazer aflorar o racismo enraizado na alma das elites hipócritas – muito mais vinculadas aos valores da luxuria e ostentação que o Funk, declaramos: somos todos Funkeiros! VAMOS TODOS AO ROLÉ CONTRA O RACISMO!

  23. Fernandão disse:

    Caríssimo, sua análise dos protestos de 2013 é a mais ingênua que eu já li, e seu desconhecimento das leis e da palavra arruaça são deprimentes. Shoppings não são centros de compras e consumo exclusivos para os “ricos”, vários shoppings de classe média e da periferia também estão sendo atacados pelos desocupados, que nada consomem por lá, simples assim. Comparar bagunça com os legítimos (e enormes) protestos de 2013 (que também não foram inflados pela ação truculenta da polícia) é desinformar, não é esta sua função social.

  24. Manoel disse:

    Eu sou completamente favorável a manifestação pacifica por ela fazer parte de qualquer Democracia,no entanto passou para destruir o patrimônio publico ou privado nada melhor do que a repressão,não existe dialogo para quem anda fora da lei a não se a repressão e a cadeia, mais se caso alguém for contra a opinião por favor levem eles para casa

  25. Edson Pirinausky disse:

    O que o senhor sugere Sr Kennedy? Os shoppings não são áreas públicas e os frequentadores e lojistas pagam caro para ter segurança e conforto. O diálogo proposto pelo Sr. Malldad está transformando São Paulo em um imensa “comunidade” Para mim “rolezinho” não é movimento mas sim um amontoado de arruaceiros que não tem o fazer.

  26. Role disse:

    A baderna começou pq a polícia resolveu restringir os direitos dos jovens. Se a políciavisse algum crime, teria prendido diversas pessoas na hora.. mas resolveu atirar. Aí começou a correria. Se for assim, acoisa so aumenta. A polícia errou feio.

  27. Leonardo disse:

    Kennedy, seu pior comentário em todo esse tempo do atual blog. Muito ingênuo e superficial. Acompanho pelo twitter e, em geral, mesmo não concordando com alguns, acho interessantes seus pontos de vista e opiniões. A cobertura da imprensa é repetitiva e segue a teoria do “bom selvagem”. Jovens que não leem, não estudam, não respeitam professores mas tem tempo pra “rolezinho”.

    Dialogar? Só se for conversa de pai pra filho: “Voltem pra casa, aproveitem e vão estudar!”.

    Jovens de regiões periféricas sempre estiveram nos shoppings, ninguém discrimina isso. Mas organizar eventos de 3 mil pessoas que nem se conhecem em pleno shopping para andar em bando? Totalmente sem noção.

    Acredito que você sabe que não se progride na vida (não só financeiramente, mas principalmente culturalmente) com “rolezinho” e “funk ostentação”.

    Para se tornar um jornalista de destaque, você ouviu muito funk?

  28. Márcio disse:

    Sr Kennedy, “show habitual de brutalidade” ?
    Sinceramente não consigo entender como alguém consegue criticar quem está nos defedendo dessa bagunça que virou o país. Sua comparação com os protestos de meados do ano passado beiram ao rídiculo… pare de prestar desserviços á sociedade.

  29. maria disse:

    Espantoso que pessoas esclarecidas nao estejam vendo o que esta acontecendo. Os jovens de hoje, a maioria sem pai, e sem mae para orienta-los e estabelecer limites, estao sem rumo, sem direcao, e sem limites. Quando nao saem roubando e matando, saem metendo o terror. E isso em todas as classes sociais em qualquer lugar onde seja possivel. Tem os arrastoes nas praias e nos shows, e agora inventaram os rolezinhos nos shoppings. Daqui a pouco, nao se iludam, vao comecar a fazer rolezinho nos predios, onde ja fazrm arrastoes. A coisa esta sem controle e a populacao esta a merce da sorte. O problema nao demanda solucao simplista porque o problema eh um ptoblema social. Mas quem acha pteconceituosa a acao energica da policia mostra desconhecer a realidade. Estes jovrns sao audaciosos e msl educados e peitam os policiais que estao ali para proteger a nossa vida e seguranca de nossos filhos. Se houvesse multa alta para os pais cujos filhos participam de badernas contra a populacao essa brincadeira (para eles eh isso brincadeira) acabaria rapidinho.

  30. Alvaro disse:

    Inadmissível, inversão de valores, é fácil falar quando existem mecanismos como segurança e escolta em favor de “Autoridades” exemplo prefeito em dizer que os rolezinhos seria normal, ainda em liberar o baile funck dizendo que cultura! Para o que fazem para se manterem no poder, issoseria como apologia ao crime, quem conhece esses bailes sabem que ocorre tofo tipo de crime! Chega vamos restabelecer a normalidade, porque hoje existe uma inversão de vslores onde o crime compensa, e como fica as pessoas de bem que pagam seus altos impostos para sustentarem os políticos incompetentes!

  31. Joselino Ventira disse:

    Repressão do governo e o povao revoltado.
    Quem ganha essa briga ?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2019-08-23 00:36:06