aki

cadastre-se aqui
aki
Entrevistas
16-05-2014, 8h51

“Rigor não é compatível com regime semiaberto”

3

O “SBT Brasil” mostrou na quinta trechos da entrevista em que o vice-presidente da República, Michel Temer, diz que gostaria do apoio de Eduardo Campos no segundo turno à reeleição da presidente Dilma Rousseff caso o pré-candidato do PSB não chegue à segunda fase. Também exibiu a avaliação de Temer de que o presidente do STF, Joaquim Barbosa, foi rigoroso ao julgar pedido de trabalho do ex-ministro José Dirceu, condenado no processo do mensalão.

Comentários
3
  1. Alberto de Araújo disse:

    Não sou advogado.Sou um cidadão comum.Não entendi o vice-presidente da república declarar que houve rigor do presidente do STF,ministro Joaquim Barbosa,ao julgar o pedido de trabalho do condenado do mensalão, Sr José Dirceu.Fiquei espantado.Há rigor em interpretar a lei? Talvez tivesse outra opinião se não pertencesse ao governo.Acostumado ao poder o oportunismo se apresenta sempre em evidencia. É como o leitão que: “Se faz de vesgo para mamar em duas tetas”.

    • dalmo lucena disse:

      Voce como advogado demontra um desconhecimento ou no minimo uma atitude puramente hostil com viés ideologico que nåo ajuda em nada o debate. Nåo advogo em nome de michel Temer, mas ate o reino mineral sabe que a atitude de Joaquim nåo condiz com cargo que ocupa pois nåo leva para o plenario a decisåo pois sabe que elas nåo se sustentam, procurando ganhar tempo e manter presos todos os condenados do mensalåo ate sua saida da presidencia, encontrando revolta no meio juridico independente das matizes ideologicas.

      • Serapião Silva disse:

        Dalmo, triste é o país em que quem cumpre a lei é atacado e quem a contorna é elogiado. A lei é clara: presos em regime semi-aberto têm o direito de trabalhar fora se apresentarem bom comportamento e APÓS cumprirem 1/6 da pena. O esperneio contra Joaquim Barbosa apenas traça mais um triste retrato deste Brasil do jeitinho, do compadrio, da impunidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-27 06:49:53