aki

cadastre-se aqui
aki
Geral
24-06-2016, 9h21

Saída do Reino Unido da União Europeia é retrocesso global

Não convém subestimar risco planetário de eleição de Trump nos EUA
20

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A decisão do Reino Unido de se separar da União Europeia é um recuo num processo de integração política, econômica, cultural e social de mais de 60 anos, que teve início depois de duas guerras mundiais no século passado nas quais o continente europeu foi palco de massacres. É um retrocesso civilizatório que não atinge apenas os europeus. Tem efeito global.

Além das consequências econômicas imediatas, como queda da libra e abalo das Bolsas, haverá as de médio e longo prazo, afetando o emprego, a produção e a livre circulação de pessoas e mercadorias. Haverá estímulo a políticas protecionistas e xenófobas na Europa e no mundo.

A decisão do Reino Unido é uma daquelas em que quase todo o planeta perde. Ganham apenas grupos nacionalistas que pregam a intolerância aos estrangeiros e que têm uma visão econômica mais fechada.

A forma titubeante e vergonhosa como a União Europeia vem tratando a crise dos refugiados já era um sinal do que estava por vir no Reino Unido. Os britânicos eram os que mais se queixavam de suposta tolerância excessiva com imigrantes. A União Europeia titubeou, cedeu a uma visão mais dura em relação aos refugiados e mostrou uma fraqueza que ajudou a dar combustível à saída do Reino Unido.

Essa decisão não é resultado de um fenômeno isolado, mas global. A candidatura de Donald Trump a presidente dos Estados Unidos pelo Partido Republicano reflete o crescimento da intolerância, da ignorância e do preconceito no mundo. Depois do que aconteceu no Reino Unido, não convém subestimar o risco planetário da eleição de Trump. Grupos extremistas se fortalecerão na França, na Alemanha e em outros países da Europa.

Para o Brasil, que vive um momento de transe político e econômico, haverá consequências negativas. Uma piora do cenário econômico internacional poderá prejudicar uma recuperação do país, que ensaia uma saída do fundo do poço. E a lição política é negativa. Dá impulso a quem tem uma visão fechada em relação ao mundo e às diferenças.

*

Mercosul corre risco

O governo Temer discute a possibilidade de rever a regra do Mercosul que trava a negociação de acordos bilaterais. Se a inspiração for o Reino Unido, o Brasil poderá ter sucesso na empreitada para destruir o Mercosul.

Essa regra foi criada em 2000, no governo Fernando Henrique Cardoso. Hoje, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, que é tucano como FHC, defende uma mudança para permitir que o Brasil faça acordos bilaterais. O Mercosul nasceu depois do fim das ditaduras militares no Brasil e na Argentina. É uma construção da democracia na América do Sul.

O Brasil deveria avaliar bem os prós e contras de mudar essa regra. Hoje, o país tem acordos comerciais importantes com a Argentina, por exemplo. Para o Brasil, a conta com o Mercosul está no azul. A balança comercial intrabloco é favorável ao país.

Há muitos problemas domésticos na nossa economia a demandar atenção do governo Temer. Não parece acertado priorizar essa mudança do Mercosul num governo que, se deixar de ser interino, terá um horizonte de menos de dois anos e meio até uma eleição presidencial.

A indústria brasileira está dividida a respeito disso. É um tema que merece melhor reflexão e que não pode ser decidido no embalo do desejo de se deixar uma marca numa gestão de guinada do Itamaraty.

Ouça o comentário no “Jornal do CBN”:

Comentários
20
  1. Suspires disse:

    Como você mesmo disse, se mexer no Mercosul será um “retrocesso civilizatório”.

    • walter disse:

      Suspires; pode ser possível um paralelo longínquo conosco; a dissolução de princípios humanos,pela prepotência do pelo Nazismo; a Europa teria sucumbido à sanha autoritária e expansionista do Hitler, que queria fazer da Europa, seu quartel político…Winston Curchill, diria de seus compatriotas: “são egoístas,e mesquinhos”….
      O império Britânico de outros tempos, explorou o sangue suor e lágrimas de nações “colonizadas”, que eles ignoram HJ na condição de Ilha; exploraram muitos Povos,amealharam Riquezas…com este gesto, mostram sua verdadeira face de Orgulho excessivo; poderíamos acrescentar,doses de preconceitos; este é um dos grandes problemas do Mundo…no Brasil precisamos valorizar nossas condições excepcionais, quando ao nosso território, e produções e qualificadas; neste ponto o Mercosul é um problema gigantesco para o Brasil; não somos mais UM…temos o Direitos de impor condições…

  2. Joaquim José da Silva Xavier disse:

    em 2 meses Serra vai destruir 20 anos de diplomacia do Brasil…

  3. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    O Mercosul é uma farsa… ao querer imitar a União Européia, conseguiu apenas carregar nas costas países que não cumprem contratos, como Argentina, Venezuela e Bolívia.
    Seria ótimo tirar esse vexame da capa do meu passaporte !

  4. Gabriel Torquato Silveira disse:

    É uma onda global, vamos ver aonde esses passos nos levarão.
    Minha opinião vai ao encontro à do jornalista, será um retrocesso.

  5. jose carlos vianna junior disse:

    infelizmente a humanidade ainda é muito atrasada em se tratando de se ser humano,o ser humano é egoísta, insensível e vil no geral. A união européia não diminuiu a ignorância, violência, intolerância, não dirimiu a fome no mundo… na verdade a união européia serviu apenas para defender seus próprios interesses … não vejo como retrocesso mas sim como reflexo da realidade humana que é carente de amor ao próximo.

    • Marco Túlio fonseca disse:

      Os Senhores ainda não perceberam que a Europa se definha de há muito? O lado bom é que o melhor se aproxima cada vez mais célere…claro, aprenderemos com a dor!!!! Depois virá a bonança, aguardemos…

  6. Raphael Rodrigues disse:

    Acho que o Brasil deva sim sair do Mercosul. Não acho certo ter que pedir benção para o Maduro e o Chaves para fazer acordos com outros países.
    Devemos seguir o exemplo do Chile que não está no mercosul e vai muito bem com seus acordos de livre comércio.
    Pode ter certeza que se fizer um plebiscito qualquer pessoa com o mínimo de entendimento econômico será a favor.

  7. Alberto disse:

    O Mercosul deveria mirar-se na Aliança do Pacífico.Do estatismo e ideologia para o livre comércio.Em certo ponto até o oceano lhes ajuda comercialmente.O país tem de deixar de ser um serviçal no Mercosul.

  8. A culpa não é do povo inglês.
    A culpa pela saída do Reino Unido da União Europeia é de países como a Grécia.
    Que não faz a sua parte e fica sempre dependendo de socorro por parte dos outros países do bloco.
    Lá também tem gente encostada que quer viver com o suor alheio.
    A questão do terrorismo também pesou a favor da saída do bloco.
    O radicalismo do estado islâmico assusta.
    Os ataques na França, Bélgica, EUA, Alemanha, só contribuíram.
    Na Europa existem vários países que nunca estiveram no bloco.
    A vida continua! Mesmo sem o bloco.
    Se a decisão foi certa ou errada, só o futuro dirá.

  9. O Mercosul também precisa de ajustes.
    O Brasil também tem que pensar nisto.
    Ficar preso a um bloco pode não ser tão vantajoso.

  10. Fabio Nogueira disse:

    O problema da UE é um, o do Mercosul é outro. O Mercosul, sim, tem sido um enorme retrocesso para o Brasil e não há qualquer razão para mantê-lo. Há anos eu defendo a saída do Brasil do Mercosul

  11. GARRU JL GARRUCINO disse:

    Os ingleses foram o primeiro povo a acordar caindo fora da UE…

    A criação de tais mercados comuns se aparenta como bom aos negócios, ou aos mercados, enfim atende aos interesses capitalistas, por outro lado cria-se um governo central burocrático distante das bases como numa ditadura ou uma nova URSS…

    Os povos de cada país da Europa começaram a perder suas soberanias a começar dos planos municipais, e mesmo regionais ou estaduais, e inclusive no plano federal, mas tudo isto até agora foi abafado por um forte controle das mídias e com tudo controlado pelas grandes corporações comprando os partidos e governos.

    Vivemos no momento o reino ou ditadura global da social democracia aliada do capitalismo selvagem inclusive na China…

    Os dados revelam uma concentração da renda no mundo, nos EUA, e inclusive na Europa, e aumentam os excluídos ou desempregados.

    A crise de 2008 até agora não foi resolvida e apenas empurram com a barriga até ela explodir em problemas maiores talvez até n

  12. Ulisses disse:

    A economia mundial é movida por interesses. Quando interessa, países que comungam das mesmas intenções resolvem associar-se. Quando a Alemanha, por ser um país povoado por velhos decide abrir suas fronteiras para a mão obra barata de serviçais jovens, tal como fez com os refugiados, a Inglaterra que já vem utilizando estes métodos exploratórios de imigrantes pobres à muito tempo, e que portanto lembra-se do que ocorreu em suas colônias, decidiu que não seria mais conveniente participar nestes tempos de uma parceria na distribuição desta pobreza. Diria que o primeiro duro golpe na filosofia da União Europeia foi a crise da Grécia. Quem se lembra sabe que a Alemanha foi resistente à todo tipo de ajuda aos gregos. Pois é, eles não viriam para a Alemanha trabalhar como escravos do povo alemão, não é? Ficariam na Grécia. Então não interessaram ao bom coração alemão. 2 pesos e 2 medidas.

  13. penso diferente disse:

    Quanta asneira nos comentarios. Alguem aqui e’ exportador? Vejo que conhecedores de relacoes humanas sao poucos. Egoistas e arrogantes sao muitos.

  14. Sair do Mercosul seria um avanço e não retrocesso para o Brasil.

  15. joao dias disse:

    O Mundo vive um momento de reflexão para todos nós. A globalização tem mostrado o seu lado bom e o lado ruim, para uns países e outros, não. Todos os seres humanos esperavam que com a globalização uma série de problemas fossem solucionados. Mas o PIB de algumas Nações esta crescendo, mas a distância entre ricos e pobres está aumentando em escala preocupante.E o exemplo é, de acordo com estatísticas oficiais, que mais de 900 milhões de pessoas ainda vivem em total estado de pobreza e de miséria. Pouco mais de 5% da população mundial, controla e usufrui de mais de 60% das riquezas mundiais. Daí, a certeza de que o modelo da universalização dos Povos, precisa corrigir o seu rumo, evitando que os pobres não fiquem mais pobres e miseráveis. E até o Povo americano está mostrando, através de pesquisas, que nem Trump e nem Hillary, são os candidatos ideais. O desejo de mudanças para melhor é universal e não é impossível. União dos Povos não se consolida e se constroi com desigualdade abusiva.

  16. Maria da Consolação disse:

    A diplomacia do Serra é comparável a um elefante em uma loja de cristais. Um desastre!

  17. Maria da Consolação disse:

    Acho que o Brasil ficou com inveja do Reino Unido.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2019-11-22 18:03:30