aki

cadastre-se aqui
aki
Política
09-08-2016, 9h29

Se obtiver 60 votos hoje contra Dilma, Temer se fortalece

Se PT sofrer nova derrota no impeachment, mensagem será "fim de jogo"
22

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Na guerra do impeachment, se Michel Temer obtiver hoje cerca de 60 votos no Senado contra Dilma Rousseff poderá transmitir a mensagem de fim do jogo. Isso o fortaleceria para negociar com o Congresso e o mercado financeiro.

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, previu 60 votos hoje contra Dilma. Ele disse que, nos cálculos do governo Temer, haveria entre 58 e 62 contra Dilma. Se isso se confirmar, haverá uma prévia da votação definitiva, prevista para o fim do mês.

Na última votação no Senado, Dilma obteve 22 a seu favor e 55 contra. O PT teme perder apoio. Mas a sessão de hoje não deverá ser tranquila. Os discursos deverão ser duros, de parte a parte.

As pedaladas fiscais são o pretexto para a queda de Dilma. Ela está perdendo o poder pelo conjunto da obra, porque fez um governo incompetente na política e na economia. Isso vai deixar sequelas futuras, porque o impeachment está sendo usado como um mecanismo parlamentarista com aval do Supremo Tribunal Federal.

Por isso, faz sentido falar em golpe parlamentar. Houve uma rebelião da base de apoio da presidente, que interpretou uma lei suficientemente vaga para justificar uma acusação e tirá-la do cargo. Isso a História vai julgar.

As reportagens recentes da revista “Veja” e da “Folha de S.Paulo” sobre delações premiadas da Odebrecht deverão também esquentar os debates. Senadores do PT deverão falar que o governo Temer sofrerá dano político e não terá estabilidade para governar quando essas colaborações forem homologadas. Portanto, deverá ser uma sessão quente do ponto de vista político.

*

A entrevista com o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) foi o outro tema do comentário na CBN. Houve destaques para reforma da Previdência e efeitos políticos das delações da Odebrecht.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
22
  1. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    Good bye darling !
    Adio cara mia !
    Adieu chèrie !
    Zain gizent meidalle !
    Hasta la vista baby !
    Tchau querida !!!

    • Carlos disse:

      O que adianta tirar uma fruta pobre no meio de tantas!!! Vai ficar no poder outro pobre

    • walter disse:

      Cara Maria, boa tarde; não há como, não termos maioria contra a dilma, eles já consideram “favas contadas”, na votação em curso; não entendo para que esta votação; quando foi definido, pela comissão de impeachment, que iria a congresso, este endosso, é desnecessário, quando a maioria dosa presentes mais UM decidem.Fica a pergunta, que manobras do PT teremos…
      Poderíamos seguir direto, para a votação em definitivo; desta vez, podemos comemorar, más vem a Odebrecht, colocar mais lenha…O Brasil precisa do Helio Beltrão NOVO…
      Se as delações do Marcelo,for tão contundentes,como anunciadas, evolvendo o Serra e Padilha…o Michel temer ficará exposto, para a próxima votação, terá que desocupar a pasta dos DOIS, ou morrerá na praia;nesta hora,o Pau que bate e chico”…

  2. Wellington Alves disse:

    “As pedaladas fiscais são o pretexto para a queda de Dilma.” “Por isso, faz sentido falar em golpe parlamentar. Houve uma rebelião da base de apoio da presidente, que interpretou uma lei suficientemente vaga para justificar uma acusação e tirá-la do cargo. Isso a História vai julgar.” Só politicamente tapados não conseguem enxergar isso. Não há ainda crime para a retirada da presidente. Não adianta ser hipócrita, usando camisa NIKE/CBF, batendo suas tramontinas na janela, pedindo impeachment. Precisa ir à rua exigir REFORMA POLÍTICA. Chega de empresa bancando partido, chega de tanto partido, chega de voto proporcional, chega de ficha suja. Mas os politicamente tapados preferem ir À Paulista contra a distribuição de renda, contra pagar impostos. Egoístas que só veem os próprios bolsos, preocupados com o preço do caviar.

    • Anafilófio disse:

      Caríssimo, preste mais atenção na frase que citou. Qualquer coisa só pode ser pretexto se tiver acontecido, logo pode-se inferir que as pedaladas realmente ocorreram, é notório, todos sabemos disso. Pedaladas ferem a lei de responsabilidade fiscal, são crimes de responsabilidade, político.

      Os demais motivos citados por Kennedy, além da perda da base parlamentar – não imagino como isso possa ser chamado de “golpe parlamentar” -, e principalmente o fato da constituição tratar o impeachment de forma vaga indica que todo o processo é político, e neste ponto devemos relembrar o impeachment de Collor. Foi por causa de uma Fiat Elba? Ou por causa da perda da governabilidade?

      Certamente o governo Dilma esta numa posição muito pior do que o de Collor estava. A história vai julgar? Não! O Senado vai julgar! Presidido pelo Supremo – quase todo indicado por Lula e Dilma -. O povo já julgou! Só os politicamente muito tapados não conseguem ver. E que a limpeza continue depois.

      • Wellington Alves disse:

        Legal que você sabe mais sobre as pedaladas do que o ministério público federal. Está ganhando com o golpe? Por que não questiona o motivo de ter saído uma reforma política decente ao invés de apoiar um golpe branco?

        • Anafilófio disse:

          Obrigado, eu também acho muito legal saber mais do que o “ministério público”. Não, infelizmente todos estamos perdendo com este triste acontecimento político constitucional. Sua última frase carece de sentido, não vou poder comentar. E que a limpeza continue!

  3. Mauro disse:

    Ficar apostando em quantidade de votos e principalmente associando isso a um fracasso ou sucesso de Temer só faz sentido para aqueles que precisam de argumentos para ainda chamar o impeachment de golpe e para aqueles que torcem contra o país.
    Seja qual for a quantidade de votos o importante é que se consolidará aquilo que a sociedade deseja e que será expresso por seus representantes legitimamente eleitos, que é a expulsão definitiva e irrevogavel da incapaz presidenta e seu séquito de aproveitadores.
    O Brasil não precisa do sucesso ou fracasso de Temer e sim o sucesso do Brasil para que retomemos o rumo do crescimento e do bem estar da população em bases sólidas.Continuar pensando que um nome ou outro salvará o pais nos levará novamente a desastres iguais ou piores que os proporcionados por esse despreparado, incapaz e infeliz partido que está sendo banido do poder.

    • Wellington Alves disse:

      “As pedaladas fiscais são o pretexto para a queda de Dilma. […] Por isso, faz sentido falar em golpe parlamentar. Houve uma rebelião da base de apoio da presidente, que interpretou uma lei suficientemente vaga para justificar uma acusação e tirá-la do cargo. Isso a História vai julgar.”
      Leu a matéria? Se não concorda com o modo como o Kennedy argumentou, por que ainda o acompanha?

  4. Alberto disse:

    Pretexto? Golpe parlamentar? Lei suficientemente vaga? A história vai contar? Fala sério.

    • Leonardo Gama disse:

      Se ela tivesse cometidos 200x mais pedaladas, mas Eduardo Cunha fosse seu aliado, ela não estaria caindo!!!
      Se ela tivesse, cometido 200x mais pedaladas mas possuísse boa popularidade, não estaria caindo.
      Se ela tivesse cometido 200x mais pedaladas mas tivesse simpatia/apoio da mída, não estaria caindo.

      sendo assim pedalada fiscal não é o motivo da queda, é somente o pretexto!!!

      • Luiz disse:

        Leonardo, Você está certo, exceto pelo termo “pretexto”. As pedaladas fiscais não são um pretexto, são o motivo. É claro que elas poderiam ter acontecido e a Dilma continuar no poder. Foi o que aconteceu com Lula, que permaneceu presidente apesar de ter feito o Mensalão. Ou seja, para haver impeachment, não basta o crime de responsabilidade. Essa é condição necessária, mas não suficiente. É preciso crime de responsabilidade e também perda da base parlamentar e do apoio da população. Dilma assim como Collor preencheram esses requisitos e caíram. Não foi por causa somente das pedaladas e da Fiat Elba…

        • Leonardo Gama disse:

          quer mesmo comparar o caso Collor com “pedalada fiscal”

          se tivesse denúncia de alguém próximo a Dilma Rousseff de que a mesma estava sendo beneficiada com o esquema PC Farias, e em investigações comprovarem-se que ela teve despesas (FIAT ELBA) pagas com dinheiro advindo de conta secreta no exterior, abastecida com o esquema PC Farias, . . . não seria pretexto, seria acusação de algo que até um leigo sabe que é crime… desviar dinheiro público é crime!!!

          como não acharam crime, inventaram as tais pedaladas, as quais não precisa de tanto arcabouço jurídico para saber que não configuram crime . . . por isso, é pretexto!!!

          • Marc disse:

            1) Espere a delação premiada da Odebrecht e/ou OAS. Dilma e o PT se beneficiaram com dinheiro roubado da Petrobrás, coisa que nem o PC Farias teve a capacidade de fazer, já que ele arrecadava de particulares.

            2) Direito penal é uma coisa, impeachment é outra. No impeachment, crime de responsabilidade é aquilo que o congresso decidir que é. Você pode não gostar da lei, pode achar que ela deveria ser diferente, mas não pode dizer que a aplicação dela é “golpe parlamentar.” Faz o mesmo sentido que se referir a um “golpe dentro da lei”; ora, se está dentro da lei, não é golpe. Jogar duro não é violar as regras do jogo – e me admira a cara de pau do PT, tentando se fazer de vítima do jogo duro dos outros.

          • Luiz disse:

            Leonardo, você precisa entender o que é crime de responsabilidade, previsto na Constituição e na Lei 1.079. É diferente de crime comum, previsto no Código Penal. A base para o impeachment é aquele e não este. Violar a Lei de Responsabilidade Fiscal é crime de responsabilidade, suficiente para motivar o afastamento da presidenta.
            Não sou eu quem diz isso, é a Lei. E o Supremo Tribunal Federal (que tem oito Ministros nomeados pelo PT!) concorda comigo…
            Mas veja, mesmo seguindo sua linha de raciocínio, você está errado. É que o tal marqueteiro João Santana já confessou que dinheiro do Petrolão, roubado por empreiteiras da Petrobras, foi utilizado nas campanhas de 2010 e 2014 de Dilma e até mesmo para pagar gastos pessoais da presidenta com seu cabeleireiro… O três últimos tesoureiros do PT já estão presos…
            Convenhamos, é muito mais que um Fiat Elba…

      • Anafilófio disse:

        “…Se ela tivesse cometidos 200x mais pedaladas, mas Eduardo Cunha fosse seu aliado, ela não estaria caindo!!…” Isso significa que ela não teria perdido o apoio parlamentar.

        “…Se ela tivesse, cometido 200x mais pedaladas mas possuísse boa popularidade, não estaria caindo… Isso significa que nenhum parlamentar votaria pelo seu afastamento contra a vontade popular.

        “…Se ela tivesse cometido 200x mais pedaladas mas tivesse simpatia/apoio da mídia, não estaria caindo…” A mídia não apoia quem perdeu popularidade.

        “…Sendo assim pedalada fiscal não é o motivo da queda, é somente o pretexto!!!…” Se é pretexto é porque ocorreu.

        Note que você sugere que se a cena política fosse outra ela não estaria sendo defenestrada, logo, percebe que o processo é político, e que o “pretexto” é quase um “detalhe” técnico. Concorde-se ou não, esta na Constituição, tem rito regulamentado, tem o aval do STF e já foi usado anteriormente, sem esperneio. Trata-se de processo perfeitamente legal.

  5. Antenor disse:

    Kennedy, eu diria melhor: SE OBTIVER 60 VOTOS, QUEM SE FORTALECE É O BRASIL.
    O País não aguenta mais tanta enrolação e “lero-lero” dos defensores de uma figura sem qualquer apoio popular, como é o caso da Dilma. Ela mentiu demais para se reeleger,forçou pagamento de propinas para a campanha, prometeu o que não cumpriu e teve seu marqueteiro preso por lavagem de dinheiro e outros delitos. Vai quere dizer que é uma “coitadinha”? Ela sabia de tudo, mandava em tudo e tinha total consciência do que acontecia nos bastidores. Postergar o desfecho do impeachment é uma tortura para o povo brasileiro. FORA DILMA!

  6. Junior disse:

    Temer é golpista e quem a ele seguir será lembrado assim na historia desse país.
    A historia não perdoa os graves erros cometidos.

    • Mauro disse:

      Caro Júnior;
      Voce foi cirurgico e te parabenizo, pois antes de qualquer coisa a história jamais esquecerá os desmandos; o estelionato eleitoral; a destruição por corrupção da Petrobrás; o maior escandalo de corrupção do mundo; os dirigentes e tesoureiros presos por corrupção; a compra super-hiper-mega faturada de Pasadena; a maior inflação em 20 anos; os milhoes de desempregados; o abandono da infra-estrutura; o abandono da saude e educação; os apadrinhamentos e empregos para correligionários; o apoio a movimentos terroristas; o apoio incondicional e com dinheiro público a regimes totalitários tais como Cuba, Venezuela, Coréia do Norte e etc…e etc…!
      A história nunca vai e jamais deve esquecer o governo mais corrupto e desastroso da história do Brasil em mais de 500 anos. A história jamais deve esquecer! Jamais!

    • Luiz disse:

      Nesse momento, o Supremo Tribunal Federal, o Senado Federal, a Câmara dos Deputados e a maioria esmagadora dos brasileiros dão legitimidade ao impeachment da Presidenta Dilma. Se ela cair, será uma vitória da democracia brasileira, que mais uma vez afastará um governo corrupto e incompetente do poder.

  7. Luiz disse:

    Caro Kennedy, Golpe é como gravidez, não há meio golpe. Ou bem o impeachment da Dilma é legal ou é ilegal. Não há que se falar, portanto, em “golpe parlamentar”. Tratar o afastamento da Dilma como golpe “parlamentar” é chamar o STF, o Senado e a Câmara de cúmplices de um “golpe”. Isso é invesado… É necessário enxergar este momento como resultado de um processo. Para isso, é preciso compreender os ilícitos fiscais, indiscutíveis crimes de responsabilidade, praticados desenvergonhadamente no primeiro mandato de Dilma, como, por exemplo, o Banco do Brasil ter pago, com caixa próprio, benefícios do Bolsa Família. Essa e outras ilegalidades óbvias foram quitadas após as eleições, antes do início do segundo mandato. Não foram “erros na condução da política econômica”, como já ouvi você tratar do tema. Por questões técnicas, Dilma está sendo cassada por delitos menores, é verdade. Mas esse julgamento é fruto de uma avaliação em perspectiva dos graves crimes fiscais cometidos por Dilma.

  8. Alberto disse:

    Pelo que se lê,mesmo antes do 59 a 21 e sob a presidência da maior corte judiciária do país, recorreram ao Direitos Humanos da OEA. A orcrim esfacela-se.

Deixe uma resposta para Wellington Alves Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-07-15 02:17:57