aki

cadastre-se aqui
aki
Política
03-04-2019, 22h07

Sem escudo do governo na CCJ, Guedes admite desidratar reforma

Há forte resistência à criação de regime de capitalização
10

Kennedy Alencar
São Paulo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu hoje em depoimento na Câmara que a reforma da Previdência será desidratada. Guedes disse que já entendeu que o Congresso não aprovará mudanças nas regras para o BPC (Benefício de Prestação Continuada) e para as aposentadorias rurais.

Ele foi bombardeado pela oposição, que montou estratégia para questioná-lo duramente. Aliados do governo não serviram de escudo ao ministro, que teve de se defender praticamente sozinho na Câmara.

Isso é sinal da desarticulação do governo no Congresso. No depoimento, também ficaram claras resistências à criação do regime de capitalização e à elevação do tempo mínimo de contribuição de 15 anos para 20 anos.

O mercado financeiro reagiu, com queda da Bolsa e alta do dólar. Caiu a seguinte ficha: o governo Bolsonaro não formou base para aprovar assunto tão polêmico, o que deixou o ministro vulnerável no depoimento de hoje na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara.

Ao longo do dia, o ministro bateu boca com deputados da oposição. Articuladores políticos do governo não o protegeram. De noite, o depoimento foi encerrado após dura troca de ofensas com o deputado federal Zeca Dirceu (PT-SP).

Ouça os comentários feitos hoje no “Jornal da CBN – 2ª Edição”. Há ainda entrevista com o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luiz Boudens, que fez críticas a ideias do ministro Sergio Moro sobre os rumos da PF:

Comentários
10
  1. Joaquim disse:

    Kennedy vi boa parte da reunião. E o que eu vi foi uma ministro preparado e que se saiu muito bem, apesar das provocações e humilhações feitas pelos “senhores” deputados. Os do PSOL inclusive nem discutiram previdência tentaram requentar um asunto morto de operação Greenfield. A resposta do Paulo Guedes inclusive calou os deputados. Uma coisa tenho que concordar com você ele estava sem proteção dos seus. Mas se isto que a oposição tem a mostrar, nos brasileiros estamos lascados. O tema é muito serio para este tipo de debate, ridículo. E depois a camará e os deputados querem ser levados a serio!!!! Os poucos que falarão alguma coisa com coisa, tem a preocupação não dos aposentados mas da redução da economia de pequenos municípios. Um inclusive deu o exemplo do estado dele onde estes municípios receberam 4,3 bi de fundo de participação e 3,5 bi de BPC. Ou seja, a concepção deles a previdência tem que sustentar municípios que nem deveriam existir e ai entendam como municípios: prefeitura

    • Beto Hektor disse:

      Amigo, me perdoe, você viu outro debate então. Diversos deputados falaram coisas muito importantes, como Molon, Reginaldo Lopes, entre tantos outros e fizeram diversas perguntas pertinentes. O que menos Guedes estava é preparado porque não respondeu nada. E mais, Molon fez uma proposta muito boa: Quer economizar 1 trilhão, então revoga a PEC que isenta as petroleiras de pagar tributos e se tem 1 trilhão. Mas não, vamos tirar o patrão da jogada e tirar do pobre.

      Todos deputados apresentaram fatos concretos como de países que fizeram o mesmo e se lascaram. Dos 30 que fizeram, 18 se voltaram atrás e outros fazem o mesmo. Nenhum conseguiu melhorar a economia.

      O fato e que se quer vender a ideia de previdência quebrada para desonerar o empresariado e tirar fora o alto escalão dos servidores, deixando o pato para o povo. Deputados apresentaram fatos e propostas sérias dignas. Guedes apresentou apenas a vontade do capital.

  2. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    O que a oposição fez não foi questionar mas sim obstruir, sem nenhum argumento minimamente válido ou técnico !
    Paulo Guedes sim, foi sólido, digno e profissional. É necessário algum reconhecimento por parte deste fórum de debates democráticos !

    • Jonas disse:

      A pergunta era muito simples e totalmente técnica e pertinente: “porque toda essa sanha agora por uma reforma cruel da previdência que agride os mais carentes e poupa os mais privilegiados, ao mesmo tempo em que são impedidas a auditoria da dívida pública e a reforma tributária, que poderiam aliviar a reforma da previdência?”.
      Se fosse honesto o Guedes iria responder: “porque sou servo dos bancos e instituições financeiras que irão lucrar muito com a destruição da previdência pública no Brasil, às custas da miséria da população”.
      Mas em vez de dar a resposta honesta, Guedes preferiu desinformar e dar chiliques.

    • Beto Hektor disse:

      Você não viu então, você apenas viu vídeos de meme de whatsapp. Recomendo assistir antes de vir comentar, teve falar extremamente importantes de vários deputados que apresentaram argumentos muito importantes e questionamentos muito sérios, principalmente dos países que fizeram o mesmo e não deu certo e da proposta só arrebentar com o pobre, desonerar o empresariado e tirar fora o alto escalão do servidores públicos. Guedes representa o capital, os grandes donos do dinheiro que irão lucrar milhões ao deixarem de pagar a sua contribuição a aposentadoria do trabalhador. Numa promessa falta, como a da reforma trabalhista, que prometeu 2 milhões de empregos em 2 anos e não rendeu míseros 300 mil.

      Guedes vende a previdência quebrada para dar lucro aos empresários. Por que então ele não acata a proposta do Molon de revogar a lei do Temer que renunciou o Estado de Receber tributos das petroleiras estrangeiras, um prejuízo de 1 trilhão aos cofres públicos? Nossa riqueza nao vai para o pobre.

    • Wellington Alves disse:

      Essa laia do Capetão é hilária.

  3. walter disse:

    Kennedy, há muitos que não querem mudar Nada…como o Guedes disse, muitos governos passaram e não fizeram nada…as medidas são suaves, poderiam ser dramáticas…alguma mudança, poderá ser considerada, devem seguir com os tramites regimentais; quando for a hora, todos poderão fazer observações e alterações se for o caso…devem seguir com a reforma…é uma medida econômica ao País, onde todos sem exceção, tem seu grau de responsabilidade…

  4. Francisco disse:

    Kennedy, você falou quase tudo certinho. Só esqueceu que a atitude do Deputado Zeca Dirceu não é digna de um deputado. Afinal, por mais que seja contra os projetos do governo, o Deputado foi ofensivo para com uma autoridade do Executivo que foi convidada para falar. O fato de ser deputado não lhe dá o direito a isso, ainda mais se portar como se fosse o “povo” falando. Já vi você criticar comportamentos tolos do atual governo com veemência, mas em se tratando disso passou em branco. Para não ser injusto, caberia também criticar o pavio curto do ministro, apesar do seu esforço em tentar explicar a PEC.

  5. BRAGA-BH disse:

    Eu também assisti boa parte das discusões. Era briga de cachorro grande e me pareceu que o único que não estava preparado era o Guedes. Como fazer uma Reforma da Previdência sem abrir os números? De onde ele tirou os números chtados em suas estatísticas? Quais eram suas fontes? Pelo que apresentou a “economia” prevista recairá sobre o BPC e o Regime Geral. Em instante algum foi mencionada a ‘economia’ feita nos setores público e militar.
    De chutômetro em chutômetro, ele apresentou apenas a face doce da Reforma. Não se importou em dizer que a capitalização retira os parcos dinheiros do atual sistema previdenciario fadando o mesmo à completa falencia.
    Este é o ministério de notáveis deste gobverno. Tem que riri pra não chorar!

  6. Mariza disse:

    Tudo que foi possível ver foi uma oposição fraca, sem argumentos, pobre de boas idéias. O Zeca Dirceu foi um zero a esquerda nos seus comentários e ofensas.

Deixe uma resposta para BRAGA-BH Cancel reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2019-06-16 00:07:27