aki

cadastre-se aqui
aki
Política
11-11-2016, 9h14

Seria bom debate entre Moro e Renan no Congresso

Há projetos para limitar danos da Lava Jato e cortar privilégios
17

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Há uma queda-de-braço entre a classe política e os integrantes da Operação Lava Jato. Câmara e Senado têm tentado articular a aprovação de uma série de projetos. Os investigadores da Lava Jato afirmam que o objetivo é conter danos da operação. Os políticos afirmam que se trata de oportunidade de aperfeiçoamento.

Os dois lados têm um pouco de razão. A motivação dos políticos está completamente relacionada a uma tentativa de conter danos, mas isso não significa que algumas propostas não sejam interessantes e possam até ser aprovadas. O diabo mora nos detalhes.

É preciso discutir caso a caso. O presidente do Senado, Renan Calheiros, convidou o juiz federal Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol para discutir propostas numa audiência pública no Congresso. É uma boa ideia. Moro e Dallagnol fazem política o tempo todo. Pressionam o Congresso em entrevistas. Nas redes sociais, Moro leu um discurso do presidente americano Theodore Roosevelt dizendo que “não existe crime mais sério do que a corrupção”.

Seria bom um debate mais aberto no Congresso, por exemplo, sobre o projeto que pune abuso de autoridade e o fim do foro privilegiado. Os lobbies ficariam mais claros.

*

Fantasia rasgada

Na Câmara, estão andando tentativas de votar mudanças na lei de acordos de leniência e continua firme e forte a ideia de anistiar o caixa 2. Mas houve uma reação dura de integrantes da força-tarefa da Lava Jato, com entrevistas sustentando que mudar a lei de acordos de leniência poderia cancelar delações premiadas já feitas e outras em negociação. Isso seria ruim.

No entanto, faz sentido tentar salvar empresas que geram muito emprego e que estão ameaçadas de quebrar, como a Odebrecht.

A anistia de caixa 2 seria uma pura lei de impunidade seletiva, agora que políticos do PMDB e do PSDB se sentem mais ameaçados por possíveis delações. Essa anistia dificilmente sobreviveria a um questionamento no Supremo Tribunal Federal. Sem contar que o caixa 2 do passado poderá ser denunciado pelo Ministério Público como crime de corrupção e lavagem de dinheiro.

*

Renan acerta

Houve uma reação da magistratura à comissão criada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para fazer um pente-fino nos supersalários do funcionalismo. Juízes apontaram interesse de retaliação porque Renan é investigado pela Lava Jato.

É curiosa a atitude corporativa de parte da magistratura. Juízes já ganham altos salários num país desigual como o Brasil e justificam pedidos de reajuste dizendo que seriam importantes para combater a corrupção.

As motivações de Renan são o que menos importa nesse caso. Importam os salários abusivos ganhos por funcionários públicos dos Três Poderes, mas, em especial, do Judiciário, onde essa prática é mais frequente. Há Estados em que desembargadores ganham mais de R$ 100 mil.

Apoderar-se dessa riqueza paga com dinheiro do contribuinte é uma forma de corrupção que se aproveita de privilégios e de brechas na lei. É muito bom que a Lava Jato investigue a classe política. E é muito que a classe política tome medidas contra corporações que capturam parte do Estado e que se acham acima da lei e do povo.

O funcionalismo público tem um teto salarial, que é a remuneração de um ministro do STF. Hoje, está em R$ 33,7 mil. Não é pouco para um país como o Brasil e para quem tem estabilidade no emprego e uma série de privilégios. No caso dos juízes, eles têm férias de 60 dias e aposentadoria integral como punição por desvios de conduta e crimes.

O Brasil viverá uma fase em que será preciso priorizar os recursos do Orçamento para programas sociais. É hora de cortar privilégios corporativos. Renan acertou ao criar essa comissão para fazer um pente-fino em supersalários.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

 

Comentários
17
  1. Gustavo disse:

    Caro Kennedy,
    até vc sabe que o “aperfeiçoamento” do qual os políticos falam é uma mentira deslavada. Eles querem aproximação com o judiciário com finalidade de saber que perfil de banditismo ainda podem explorar.
    à primeira tentativa de chamar o pecado pelo nome – corrupção – começam as tentativas de politização das ações; é uma afirmação medíocre e nefasta de justificar um crime. Crime é crime. Me lembro quando da ação penal do mensalão, no momento onde a ministra Carmen Lúcia assim falou que caixa 2 é crime e ponto final. A ida do judiciário ao senado para essa discussão é uma maneira de constranger Moro e colaboradores. Se fosse ele, não iria. Com bandido não tem acordo.As empresas a serem salvas só precisam fazer uma coisa: colaboração ampla, geral e irrestrita.
    Que Renan comece o pente fino nos salários pelo seu próprio, pois o expmplo parte de cima, além do que, ele quer emplacar essa queixa para ver se consegue ser agradável à opinião pública. Tarde demais.

    • walter disse:

      É isso caro Gustavo, esta “corja” na política, da nojo; querem de qualquer forma, boicotar a lava jato; tantos problemas a serem votados, a favor da sociedade, querem rever leniência…anistiar caixa Dois…com a palavra Dr Moro, e dra Carmem Lúcia…
      Kennedy o Renan, Rodrigo Maia, que encabeçam esta iniciativa; são oriundas do PMDB, e ate o Temer, é conivente, pela própria pele.
      nesta hora, os parlamentares de bem, devem fazer Jus ao voto recebido;o supremo, deve mostrar por que existe, coibindo isso…

  2. Joaquim José da Silva Xavier disse:

    seria bom Moro debater com a Constituição de 88, sobre o art 5º, já que eles pensam tão diferente!!

  3. Essa é mais uma diatribe do Renan para aprovar este projeto que vai prejudicar o combate a corrupção no Brasil. É uma armadilha com o único intuito de legitimar um projeto desse CAPO da politica Brasileira. Espero que o Moro e o MP, não caiam nessa arapuca. Na câmera eles foram também chamados, e o resultado foi a presentação final de um projeto que, simplesmente, desvirtua as 10 medidas pela sua inoperância, além de, também, propor sob o manto do “todos são iguais perante a lei” um artigo que engessa o MP e os Juízes, como se já não existissem na legislação atual mecanismos suficientes para enquadra-los. Uma vergonha.

  4. Marcelo disse:

    Kennedy concordo com quase tudo que disse, essa seletividade do Renan e da Lava Jato é evidente a tempos, agora que a cota do PT parece que está chegando ao fim (parece porque Rede Globo e o foco da Lava Jato se concentra ainda nos mesmos nomes) Renan e companhia (Temer e outros) se preocupam.
    Mas não sejamos inocentes, você falou “viverá uma fase…priorizar recursos programas sociais.” Pelo amor de Deus Kennedy por mais que as pessoas odeiem o PT, PSOL, e outros partidos de esquerda, é nítido que somente esses partidos investem nestes programas, a direita que está no comando do país e talvez fique por um bom tempo, demoniza esses programas e parceira (amigona) dos empresários e das empresas, os atos indicam isso, a maioria no Congresso enriqueceu direta ou indiretamente por causa dessa relação Empresa-Estado, se locupletando de recursos públicos para favorecer as empresas (muitas deles mesmos) ou por caixa 2 (corrupção). O perigo é Renan e Moro (seletivo) se entenderem? Não acha?

  5. lyra disse:

    Não acho salutar a disputa de quebra de braços entre um HOMEM integro e um bandido sujo, acho que não é necessário definir quem é o HOMEM e quem é o bandido, jamais podemos misturar o bom com o péssimo, ou seja, bandido não merece nenhum tipo de respeito ou privilegio, somente a lei.

  6. Daniel disse:

    Prezado Kennedy,
    Todos sabemos o que o Sr. Calheiros está querendo.
    Não há real intenção de melhorar nada. Eles estão buscando todas as alternativas de se safarem.
    Sendo assim, o Moro não deve aceitar esse joguinho.
    Ele tem que continuar fazendo o trabalho dele como juiz e pronto.
    Um juiz deve presar e “pregar” a honestidade, a moral e o cumprimento das leis. Sendo assim, não vejo seus discursos como politicos. Fazer o que se a carapuça serve?

  7. João Grilo disse:

    A frase do Moro de que “não tem interesse em entrar na política” foi uma das mais engraçadas de 2016…

  8. joao dias disse:

    Acho que o dr. Moro, com certeza, irá participar do debate com Renam e outros senadores. Faz parte da democracia, expressar e respeitar o pensamento de cada um. O Brasil está precisando encontrar o seu caminho e o legislativo é o local ideal, para se discutir as prioridades nacionais. Não precisamos de muitas leis que obriguem o respeito aos recursos do erário, evitando obras “faraonicas”, mas de leis que realmente venham corresponder aos anseios de cada um dos brasileiros. Leis temos demais e, muitas delas nunca foram cumpridas. Não se justifica um mandato parlamentar, pela quantidade de projetos apresentados, mas pela fiscalização correta e diária, na aplicação dos recursos do erário.

  9. Stanislaw p/Gustavo:LUGAR DE BANDIDO É NA CADEIA! disse:

    Penso exatamente como você, Gustavo, com bandido não se negocia, e acrescento: Renan Calheiros, Lula, Jucá, Palocci, Dirceu e tantos outros, travestidos de políticos, de representantes do povo, sempre serão bandidos, são irrecuperáveis, têm no sangue o DNA de bandido.
    Veja que Renan renunciou uma vez, em 2007, do mesmo cargo que ocupa novamente hoje (por falta de vergonha na cara de quem?) para escapar da justiça e hoje tem 10 inquéritos na justiça.
    Dirceu e Palocci roubaram no Mensalão e continuaram roubando no Petrolão; Lula escapou no Mensalão, vai para a cadeia no Petrolão, Jucá idem. Na cadeia, se os comparsas bobearem, serão roubados por eles!
    A esperança da nação é que ainda haja justiça no país, mesmo capenga, mesmo com uma tropa de choque vergonhosa atuando em favor dos bandidos no STF. O Judiciário tem que se unir, apoiar não só Sérgio Moro, MPF, PF etc, mas apoiar o Brasil, a nação indignada com tanta roubalheira, tanta quadrilha, tanto mau exemplo.

  10. Daniel disse:

    Concordo plenamente. Receber salários abusivos é uma forma de corrupção que tira dinheiro da saúde, educação…. como o Moro gosta de enfatizar.

  11. "NÃO" A ANISTIA A CAIXA 2 E A MUDANÇA NA LEI DE ACORDO DE LENIÊNCIA!!! disse:

    Olha, Kennedy, essa “estória” de salvar empresas é conversa de bandido, aliás dos mais periculosos bandidos de todos os tempos: os corruptos! Tipo renan, jucá e coisas afins.
    Empresa que quer se salvar, faz acordo de leniência, conta tudo o que sabe, mostra tudo do que participou, exatamente como têm feito os “colaboradores premiados”.
    Esses roubadores de cofres públicos jamais se sensibilizaram quando viam milhares de brasileiros morrendo nas filas do SUS, por falta de atendimento médico, morrendo por falta saneamento básico, de educação, de segurança pública, enquanto nadavam em “MILHÕES DE REAIS E (OU DÓLARES)” roubados dos cofres públicos! Agora vem o Renan dar uma de bom pastor, querendo baixar os salários faraônicos de beneficiados por leis e decretos elaborados por eles próprios. Estão apenas querendo enganar mais uma vez a nação, dando uma de redimidos, porém apenas tentando desviar a atenção sobre eles¸ na tentativa de se livrarem das cadeias que os esperam.

  12. Jaconias Santos disse:

    – Caro Amigo Kennedy, agora você me decepcionou com o que escreveu “As motivações de Renan são o que menos importa nesse caso”, um Presidente do Senado Brasileiro Usando do poder para se proteger da justiça, isso é impensável em países sério.
    – Outro, “No entanto, faz sentido tentar salvar empresas que geram muito emprego e que estão ameaçadas de quebrar, como a Odebrecht.” Isso me faz remeter aos pensamento do lula quando ele acha que ajudou milhões de pobre no Brasil e por isso esta acima da lei, esses pensamentos mesquinhos vão na mesma direção.

  13. Luiz disse:

    Caro Kennedy,

    Ouvi seus comentários hoje na CBN e até concordaria com eles se não fosse por um detalhe: não se pode mudar a lei penal de forma açodada, afetando investigações e processos em curso. Não se muda lei sobre caixa dois eleitoral no momento em que o maior escândalo de corrupção e financiamento ilegal da história brasileira está sendo investigado e começa a ser punido… Não lhe parece casuístico? Não se pode mudar a lei casuisticamente. Por certo, interesses pouco republicanos estão por detrás de tudo isso. Faça essa reflexão.
    Abs,
    Luiz

  14. CONGRESSO TEM QUE LEGISLAR PARA O POVO E NÃO EM CAUSA PRÓPRIA! disse:

    O STF deveria colocar já esse Renan e esse Jucá na cadeia, pois eles estão querendo mudar a lei, DESCARADAMENTE, EM PROVEITO PRÓPRIO E DE OUTROS BANDIDOS!
    Não respeitam mais nada, nem o povo, nem a Justiça, nem a eles próprios. Chegaram ao mais auto grau da degradação moral que um ser humano pode chegar!
    Têm que ser tratados com o rigor da lei, por quem de direito. E como estão protegidos pelo vergonhoso “foro privilegiado”, pelo bem do país, o STF deveria agir, tirando esses criminosos de circulação!
    Renan já renunciou uma vez, do mesmo cargo que hoje ocupa, para não cair nas malhas da lei. Como não repete o gesto agora, ao contrário, está conspirando contra a lei vigente, superando até em ignomínia ao corrupto Eduardo Cunha, já na cadeia.
    Gente como Renan, Jucá, Cunha, Lula etc, se não forem logo tiradas de circulação levarão o país ao caos!

  15. mano disse:

    Acho saudável sim o debate entre Sérgio Moro e o Congresso Nacional. Aliás, quanto ganha Sérgio Moro, o paladino da justiça, da ética, da moralidade e da justiça? É muito difícil aceitar reforma da previdência social que atinge milhões de aposentados que recebem aposentadorias irrisórias e saber que no poder judiciário e legislativo os salários são exorbitantes e imorais. A injustiça reina no Brasil com o aval dos poderes judiciário e legislativo brasileiro.

    • p/Mano: VIVA A LAVA JATO, SERGIO MORO, MPF, PF, RF E TODOS OS BRASILEIROS COM VERGONHA NA CARA! disse:

      Desculpe-me, mano, mas o Moro não tem culpa. Há milhões de funcionários públicos que ganham salários exorbitantes, com mordomias absurdas, aposentadorias privilegiadas, fruto de falta de vergonha na cara, principalmente do povo, que permite isso, não indo para as ruas protestar,exigindo que esses bandidos atentem para a realidade nacional.
      É preciso o povo sair dessa inércia e começar a exigir que essa bandidada que está no poder saia de lá, e é através do voto a melhor maneira de fazer isso virar realidade. É preciso sair da zona de conforto e ir para as ruas para exigir que a ladrãozada do Legislativo não mais roube, que pague por seus crimes – e no momento a melhor forma é apoiar incondicionalmente as operações da Lava Jato.
      O que o povo está fazendo para evitar que renan calheiros e romero jucá continuem articulando para mudar a lei para beneficiar os bandidos que estão na iminência de irem para a cadeia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-07-15 20:48:56