aki

cadastre-se aqui
aki
Geral
18-08-2016, 14h57

Sob Serra, Itamaraty passa de bombeiro a incendiário

É um erro adotar a diplomacia do porrete com a Venezuela
26

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Sob o comando do senador José Serra (PSDB-SP), o Ministério das Relações Exteriores do Brasil deixou de ser bombeiro e passou a agir como incendiário _contrariando uma linha diplomática adotada, em maior ou menor grau, desde a redemocratização em 1985.

O Itamaraty tem contribuído para aumentar a crise do Mercosul. Brasil, Argentina e Paraguai se opõem à posse da Venezuela na presidência rotativa do bloco político e comercial. O Uruguai apoia a pretensão venezuelana. Há um confronto em curso que precisaria ser esvaziado, por se tratar de querela menor perante os desafios do Mercosul. No entanto, a contenda é alimentada pelo Brasil.

Tanto no governo FHC, correligionário de Serra, como nas administrações do PT, o Brasil teve boa relação com a Venezuela e procurou exercer um papel moderador, atuando para amenizar conflitos no país vizinho e também no subcontinente.

Hugo Chávez chamava FHC de “mi maestro” e considerava o tucano um aliado que lhe ajudou a enfrentar turbulências com os Estados Unidos e a Colômbia, por exemplo. Nos governos de Lula e Dilma, já havia muita crítica interna a Nicolás Maduro, presidente que sucedeu Chávez e agravou a crise venezuelana.

O Itamaraty precisa entender que Maduro, acossado pelo avanço do referendo revogatório, passará em breve. Já a Venezuela continuará a existir e voltará a ser um mercado importante para o Brasil e seus parceiros do Cone Sul.

Hoje, a Venezuela é um país em crise aguda, com indicadores sociais e econômicos semelhantes aos de nações em guerra. O Itamaraty deveria estar empenhado em construir condições para diminuir essa catástrofe. No entanto, pega bem bater no fantasma bolivariano, sobretudo para quem tem pretensões políticas. Isso agrada a um segmento conservador da opinião pública brasileira. Dá manchete, ainda que seja atitude equivalente a chutar cachorro morto.

O governo interino não chegou ao poder para mudar a política externa. A ascensão de Michel Temer ocorreu a fim de dar respostas às crises econômica e política, que são domésticas. Abrir demais o leque pode ser arriscado, mas isso é tema para outro texto.

É um erro o Brasil adotar a diplomacia do porrete com a Venezuela. Deveria buscar uma solução consensual e equilibrada. Aquela linha defendida por Chico Buarque é a correta: o Brasil não deve falar fino com os Estados Unidos, nem grosso com a Bolívia e o Paraguai. Deve falar de igual para igual, exercendo na América Latina uma liderança natural pelo seu peso geopolítico, moderada por respeito à sua tradição e positiva para produzir resultados concretos.

Comentários
26
  1. Ricardo disse:

    Parabéns pelo texto, Kennedy. Concordo plenamente com ele. Infelizmente, as pessoas apenas repetem o que é repetido à exaustão na TV. O povo, mais do nunca, tornou-se massa de manobra. E como já dizia aquele ministro do mal: “uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”.

    • Mauro disse:

      Vale para uma reflexão!
      Se na Venezuela de hoje estivessemos, seu comentário não existiria e muito menos esse espaço jornalistico que preza pelo esclarecimento e é claramente democrático e de livre imprensa.
      A Venezuela nesse momento deve primeiro cuidar de seus problemas internos e depois havendo cumprido as clausulas de membro efetivo do Mercosul, pleitear seus direitos e não tentar impo-los.
      A politica de pequenas alianças imposta pelo PT e seus governos não ajudou o país em termos de crescimento de exportaçoes e é claro que politicas como a chilena trazem mais desenvolvimento e crescimento.
      Dobrar-se as vontades de um ditador, não enche “barriga” do povo brasileiro e se o PT reclama da falta de “amplo direito de defesa”, no caso Dilma, imagine se fosse na Venezuela do ditador Maduro?

      • Leonardo Gama disse:

        Venezuela é um dos nossos principais parceiros econômicos, aproximadamente 5% do nosso PIB provém do que eles nos compram, já que praticamente eles só produzem petróleo . . .

        a Arábia Saudita, é um Califado absolutista, de onde proveio a doutrina Wahabi adotado pelo Estado Islamico, radicalismo religioso extremo, porém isso não impedem de serem o principal parceiro econômico dos EUA no oriente médio!!!

        se Maduro é ditador, o povo Venezuelano que resolva isso nas eleições, e os organismos internacionais que cuidem que a eleição de lá seja legítima!!!
        se os organismos internacionais (norte-americanos inclusive) dizem que a eleição foi legítima, o que diabos Serra, eu, você temos a ver com isso?!?

        lê o art 4ª da Constituição . . .

      • Aa imprensa na Venezuela fala o que quer. Até tenta dar golpes de estado. Não repita mentiras que leu na internet..

    • walter disse:

      Concordo caro, o Povo parece mariposa, ao ver uma luz…o que o serra propôs, aos “parceiros do merco” não foi nenhum absurdo.
      A Venezuela não pode ser tratada como País, com presos políticos, com um “idiota” de ditador…um povo que comprou, e se deixou levar, pela conversa do chaves, seguidor de Cuba; olhem onde chegaram, e mesmo que estivesse vivo, não seria diferente a situação; talvez tivesse matado mais, só isso…O Uruguai estranhamente, surge criando caso, como se lá também, fosse um Paraíso; a grande realidade, que o merco sul, é Brasil e Argentina, o resto segue; teremos que nos reinventar, para fazer frente,a Alca por exemplo,devemos manter fortes e firmes.

  2. Antonio disse:

    Excelente texto,concordo.

  3. Mauro disse:

    Serra age como deve um governo sério, agir !
    Não se dá pérolas a porcos, já diz o ditado e conversar de maneira inteligente, séria, democrática e construtiva com um ditador, não é a coisa certa a se fazer.
    O presidente da Venezuela está pouco incomodado com o Mercosul e sim está criando mais uma de suas polêmicas para desviar o foco do desastre que meteu seu pais.
    A Venezuela é dirigida com mãos de fero, sem democracia, sem direito livre de imprensa e o pior de tudo é que está matando seu povo de fome.
    A diplomacia brasileira deve se preocupar com o Brasil e seus interesses e entre esses não está a de passar a mão em cabeça de mentecaptos sanguinários!

    • EDUARDO AQUILES disse:

      Concordo. Se a diplomacia não pode servir as ideologias é nítido que também não pode servir aos interesses escusos de poder. sobretudo governos ditatoriais.

      Estas matérias do “politicamente correto” do “mamão com açucar” nunca conduzem a resultados satisfatórios, para nenhum dos lados, em qualquer lugar do mundo.

      A Venezuela tem que se encontrar. Cabe ao Brasil dar um empurrãozinho, mas não sob a batuta de um ditador.

      Ou somos contra, ou somos a favor de governos totalitários. Não dá para andar sobre o muro o tempo todo. O PT, certo ou errado, era a favor, ponto. No entanto, a diplomacia deve servir ao estado e não ao governo. O que quer o BRASIL?

    • Joaquim José da Silva Xavier disse:

      com todo respeito, não tens a mínima noção do que é diplomacia . . . então vamos lá, brigar com todos os governos que, parcela da população, entende como totalitários!!!

      eleitores de Bolsonaro, vão pregar que briguemos com Venezuela, radicais de esquerda vão querer que rompamos as relações com Israel e EUA . . . aonde iremos parar assim?!?

      das poucas coisas sempre elogiadas na política brasileira, era sua relação diplomática… e vem José Serra, destruindo td em 3 meses . . .

    • Rogerio Fernando disse:

      Governo sério ? Aquele que não aceitou o resultado nas eleições e tomou o poder na marra.
      Governo sério onde seu ministro de relações exteriores recebe 23 milhoes em propina, onde o Presidente é acusado de receber 10 milhoes em propina, muito serio este governo e com uma imensa moral de julgar os paises vizinhos.

    • Sergio disse:

      Governo sério? Que toma o poder no golpe? Pra início de conversa, o Brasil deveri estar suspenso do Mercosul por violar a cláusula democrática. Governo sério, hahaha, o senhor é um fanfarrão.

      • Ado Silva disse:

        Quer dizer que o Brasil deveria estar suspenso do MERCOSUL pela cláusula de democracia, mas o governo que o sr. defende advogou e pressionou para que a Venezuela passasse a integrar o bloco à revelia dessa mesma cláusula. Curioso…se é para ‘nós’, dane-se a lei; mas quando é para “eles”, a lei é justa e válida. É uma postura bastante hipócrita, não é mesmo?

  4. Wellington Alves disse:

    É aquela – se a Venezuela está efetiva como membro, tem direito À exercer a presidência. Se tem problemas graves que a impedem, porque está como membro. Não é apenas essa linha do Serra que atende a opinião conservadora. TODO ESSE GOVERNO GOLPISTA foi feito para agradar a opinião conservadora.

  5. Wellington Alves disse:

    O maior problema dos EUA é ser intervencionista e querer resolver o problema dos outros. Vide os “sucessos” no Iraque, Afeganistão, Síria e Líbia. A Venezuela tem problemas graves. Mas é responsabilidade do povo venezuelano resolver. Nosso país não é um mar de rosas e temos um governo GOLPISTA para boicotar. O que é preciso analisar é se satisfaz os critérios para fazer parte do MERCOSUL. Se até agora faz parte, não há motivo para lhe negar a presidência do bloco.

  6. Iedo disse:

    Esperar o q deste pessoal golpistas ?? Entraram pela porta de trás.. ñ têm comprometimento algum.. a ñ ser o circo pegar fogo e os bombeiros em greve.. Mandaram 53 milhões de votos pra PQP,, e decidiram q isto é democracia,, só se for a q São Paulo vive a mais de 24 anos.. com a máquina toda aparelhada pra eles, se manterem firmes no poder. VERGONHA e REVOLTA, desta gente toda. Ñ tem moral aguma pra nada,, saibam aceitar uma eleição perdida..

  7. juliano disse:

    Parabéns Kennedy, Mr. Serra só quer fazer média com a sociedade conservadora brasileira, mas felizmente alguns como você entendem de geopolítica. Já é muito difícil manter o Mercosul, parece que Mr. Serra quer prejudicá-lo ainda mais.

  8. QUEM TEM TRAVE NO OLHO NÃO PODE VER CISCO NO OLHO DO OUTRO! disse:

    Parece até que o Brasil está uma maravilha, um exemplo para o mundo:
    1 – Presidente da República sob impeachment;
    2 – Ex- Presidente da República na iminência (se houver justiça) de ir para a cadeia;
    3 – Presidente do Congresso Nacional sob investigações e (ou) inquéritos blindados no STF;
    4 – Presidente da Câmara Federal cassado;
    5 – Dezenas de senadores e centenas de deputados federais sob investigações, inquéritos, presos;
    6 – Dezenas de altos empresários, diretores de empresas estatais e privadas, tesoureiros e membros de partidos políticos presos;
    7 – Crise moral, política, econômica e 12 milhões de desempregados;
    8 – Para a amenização de todos esses problemas, na iminência de assumir como Presidente da República, alguém que era o vice- presidente da presidente sob impeachment, trazendo como ministros e assessores grande número de comprometidos com toda a podridão moral, política, econômica em que o país está atolado!

  9. Narcélio Carlos da Silva disse:

    A melhor forma de ajudar a Venezuela é desmoralizar a ditadura que está arruinando aquele país. Maduro, defensor do governo anterior, interferiu na política interna do Brasil ao chamar de golpe o processo de impeachment. Ele merece o mesmo tratamento.

  10. Marcos Rocha disse:

    Há presos políticos, censura e expropriações ocorrendo na Venezuela. O povo passa fome, precisa procurar comida e remédios em países vizinhos, isso quando tem a permissão de fazê-lo.

    Quando um governo democrático emergir da Venezuela, este agradecerá ao Brasil todo o esforço feito para acabar com a proto-ditadura que lá se encontra. Quanto mais tempo ela durar, mais anos durará a miséria dos nossos irmãos venezuelanos.

    Não quero um governo que tergiverse com ditaduras, isso quando não as financia.

  11. Luiz Mario disse:

    É claro que o Brasil que ser incendiário do Mercosul. Os EUA nunca foram a favor do Mercosul e estão usando Brasil e Argentina para solapar esse mercado comum do qual não participam.
    Além do mais, quem deve se preocupar com a Venezuela é a Venezuela, nós deveriamos nos preocupar emresolvermos nossos problemas democráticos do que ficar se preocupando com os dos outros. Parece o roto falando do esfarrapado.

    • Wellington Alves disse:

      Até faz sentido… Quando os EUA quiseram impor a ALCA, o Brasil resistiu para valorizar o MERCOSUL. Agora que os governos resistentes caíram, podem voltar a trabalhar com essa ideia maldita.

  12. Alberto disse:

    O governo de ideologia e serviçal ao bolivarianismo não mais comanda o país e,assim sendo,os dessa ideologia reclamam,obviamente.De fato a Venezuela é nosso parceiro,infelizmente não paga o que compra,logo…..

  13. Wellington Alves disse:

    “O Brasil voltará ao cantinho pequeno de onde nunca deveria ter saído. […] Ideologia sempre é a dos outros. A nossa é a boa doutrina, a dos outros é ideologia. […] A inserção da Venezuela no Mercosul não teve nada ideológico.Tem um cunho estratégico, econômico, de acesso ao Caribe.” – Celso Amorim, ex-ministro das relações exteriores.

  14. Gilvan Pereira de Luna disse:

    O governo brasileiro anda na contra mão, ao nomear o senador José Serra, que nada entende de diplomacia, para o Ministério das Relações Exteriores do Brasil. Como foi dito acima, a Venezuela é nosso vizinho e um grande parceiro comercial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-28 19:05:06