aki

cadastre-se aqui
aki
Política
19-11-2019, 20h17

STF não corrige abusos de poder do MP com mais abusos de poder

Toffoli recua em relação a devassa de dados do antigo Coaf
1

Kennedy Alencar
BRASÍLIA

O recuo do presidente do STF, Dias Toffoli, é bem-vindo. Ele desistiu de pedir ao antigo Coaf relatórios detalhados de movimentação financeira de quase 600 mil pessoas físicas e jurídicas. Uma baita devassa.

A pressão da opinião pública e o temor de sofrer contestação no julgamento de amanhã no Supremo Tribunal Federal contribuíram para o recuo. Mas o presidente da corte manteve com ele acesso a documentos da Receita Federal.

É preciso justificar melhor esse interesse. Ao pedir dados sigilosos de 600 mil pessoas jurídicas e físicas, houve um claro abuso de poder. O mesmo vale para o arquivo da Receita Federal. É necessário apontar as razões para olhar os dados de uma pessoa apenas.

Se Toffoli quer combater abusos de poder da Lava Jato e do Ministério Público, não será a partir de novos abusos cometidos como presidente da mais alta corte de Justiça do Brasil. Um erro não justifica o outro.

Amanhã, quando o Supremo analisar o alcance das atribuições do Coaf, será uma boa oportunidade para um debate a respeito dos limites do Supremo Tribunal Federal. O Supremo pode muito, mas não pode tudo. Tampouco um ministro da corte.

Ouça esse comentário no áudio abaixo:

Comentários
1
  1. walter nobre disse:

    Kennedy, como perdoar tantos abusos de poder calculados pelo Toffoli; planejados a meses, tudo isto pode ser detectado, este suposto recuo é blefe, sua intenção esta apenas na primeira etapa; enquanto este cidadão estiver a frente do supremo, teremos emboscadas, se o Senado não submeter seu impeachment ao plenário, a PEC não vai avançar mas podemos esperar novidades. A Lava Toga estas nas mãos do Alcolumbre, um delinquente presidindo o senado, acobertado pela ministra rosa Weber por arquivos, este sujeito é grileiro de terra sem punição. A suprema corte deve ter limites, não pode tudo como o Gilmar pensa; precisamos de punições exemplares, pelo menos com aposentadoria compulsória. Devem julgar por exemplo, o Lewandowsk no caso dilma.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2019-12-11 14:31:20