aki

cadastre-se aqui
aki
Recomendo
06-12-2014, 8h00

Street Art – um panorama urbano

Daniela Martins
Brasília

Depois de passar por São Paulo e Rio de Janeiro, a exposição “Street Art – um panorama urbano” ficará na Caixa Cultural Brasília até 11 de janeiro de 2015. A curadora portuguesa Leonor Viegas selecionou artistas do Brasil e do mundo que possuem em comum o fato de utilizarem as ruas como veículo para sua arte.

Nessa passagem das ruas para a galeria, as obras foram transpostas para diferentes suportes e materiais. Há desde esculturas até pinturas sobre tela e gravuras em metal. Mas os trabalhos feitos em muros e fachadas, as técnicas utilizadas para realizar obras em grande escala e as intervenções urbanas momentâneas estão contemplados em pequenos vídeos que acompanham cada módulo da mostra.

Os vídeos são parte essencial da exposição. Num deles, discute-se se as obras feitas pelo inglês Banksy nos muros de Nova York devem ser restauradas ou não. Com o passar do tempo, algumas delas foram cobertas por outros grafites. A efemeridade das ruas pode ou deve ser contida?

Outro vídeo mostra o trabalho do artista português Vhils no Morro da Providência, Rio de Janeiro. Durante um projeto de revitalização da área, vários moradores foram obrigados a deixar suas casas para a implantação de um teleférico. No meio da discussão entre o poder público e a comunidade, Vhils estampou os rostos dos despejados nas paredes de suas antigas moradias. Ele utiliza um processo de desconstrução em que picota a superfície de concreto e tijolo. O resultado é emocionante.

Também é muito interessante ver as obras dos italianos Sten&Lex e entender a maneira como eles criam grandes pinturas colando e arrancando tiras de papel. Os portugueses do MaisMenos fazem uma crítica social explícita à Copa do Mundo sediada pelo Brasil e mostram em filme algumas intervenções e mobilizações realizadas em Portugal, como um projeto em que monumentos históricos choram sangue.

O Brasileiro Nunca, de São Paulo, é apresentado como um importante muralista. Os trabalhos expostos não deixam dúvida sobre seu domínio técnico. Esse é o grande acerto da exposição, reservar para o grafite e para as demais intervenções urbanas o mesmo tratamento comumente utilizado para outras formas de arte.

É difícil levar para dentro de um espaço fechado e formal a força e o impacto da arte feita nas ruas. Mas essa mostra teve êxito nesse sentido. Programa imperdível.

Clique aqui para mais informações.

Fotos: Rodrigo de Oliveira / Agência Caixa de Notícias

S

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-30 16:08:10