aki

cadastre-se aqui
aki
Política
27-06-2017, 21h38

Temer abre fogo contra Janot; 2ª instância absolve Vaccari

Presidente diz que poderia acusar procurador por critérios de denúncia
7

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Foi decisão do próprio presidente Michel Temer fazer o pronunciamento e atacar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Alguns auxiliares avaliavam que o presidente não deveria falar.

Um destaque foi dizer que, se fosse usar os critérios da denúncia, Temer poderia sugerir que Janot teria recebido dinheiro de um ex-procurador que era seu homem de confiança e deixou o cargo para advogar para a JBS.

Foi o momento em que Temer disse que a denúncia se baseava em ilações. Outro destaque foi criticar o fatiamento da denúncia, dizendo que era uma forma de parar o país e o Congresso.

Limite federal

O Tribunal Regional Federal de Porto Alegre absolveu o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, que havia sido condenado pelo juiz Sérgio Moro a 15 anos e 4 meses de prisão por lavagem de dinheiro, corrupção e associação criminosa, levando em conta cinco delatores.

Esse tribunal tem fama de confirmar as decisões de Moro. Ao absolver Vaccari sob o argumento de que delações por si só não bastam como provas, a segunda instância da Justiça estabelece um limite para as sentenças de Moro e as acusações do Ministério Público.

Para o PT, é uma vitória importante, porque o partido tem batido na tecla de que faltaria consistência às investigações da força-tarefa em Curitiba e às decisões de Moro, que se baseariam apenas nas palavras dos delatores.

*
Assista aos temas do “SBT Brasil’:

Comentários
7
  1. renata vieira disse:

    isso é Brasil minha gente, o Tiririca mentiu quando disse que pior que tá não fica.

    • walter disse:

      Renata tem toda a razão, é desanimador como fazem “gato e sapato” da lei por conveniência; esta na cara que Porto Alegre, um Estado totalmente prejudicado, por uma visão míope de gestão…sofreu os últimos anos com desmandos e gastos desnecessários, não surpreende ninguém, em tentar desqualificar a delação na lava jato…alguém precisa informar ao meritíssimo, que a lava jato, foi nos últimos 50 anos pelo menos, um divisor de águas; basta dizer que estas delações vem acompanhadas com Bilhões em devolução, que os delatores, são figuras do “colarinho branco”; não há provas materiais fáceis, quando se trata deste tipo de crime, só o enriquecimento ilícito, “acorda maria acorda”; vamos ser isentos pelo menos…

  2. ANDRE disse:

    Ao partir para as acusações contra Janot e contra o ministério público, acusações levianas e irresponsáveis diga-se de passagem, Michel Temer feriu todo a institucionalidade do país, foi de encontro a tudo que se espera de um republicano. Não cabe ao presidente da república fazer denuncias contra o ministério publico, o STF ou outras instituições que compõe o estado de direito, existe outros caminhos para isto. Ao presidente cabe sim, fazer a sua defesa, desmontar os argumentos e provar sua inocência, o que não faz o presidente, que ao contrário de se defender das acusações, prefere desqualificar o delator, o procurador e ministro Fachin, utilizando para isto os meios mais baixos possíveis, compatíveis com a sua estatura moral. Estes pronunciamentos só aprofunda o abismo entre seu governo e a sociedade brasileira.

  3. Marcos Marcondes disse:

    Quem tem a maioria dos ministros envolvidos na lava jato não possui a menor qualificação para acusar qualquer cidadão que seja, principalmente seu acusador… realmente estória de novela: Ali Baba e os 40 ladrões.

  4. mano disse:

    prezados: O TRF está aplicando o princípio da presunção da inocência, o princípio do contraditório e da ampla defesa. Prender privativamente por longo período, sem provas e sem contemplar os pressupostos exigidos no código de processo penal é muito perigoso e típico de estado fascista. Só entende isso quem conhece o que é Estado Democrático de Direito e tem espírio democratico. Para aqueles que não têm conhecimento do Direito e não têm espírito democrático passam a defender a tese da pena privativa de liberdade a partir de delações sem provas, mas se de repente têm um ente querido na mesma situação, pensam de forma oposta.

  5. ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE! disse:

    A 2ª instância tem razão, afinal todo o país sabe que Vacari é um santo, um injustiçado, um cidadão trabalhador, íntegro. A 2ª instância está de parabéns, restaurou um erro cometido por um juiz incompetente, mal intencionado, que protege corruptos e pune cidadãos idôneos. No andar da carruagem logo veremos o Juiz Sergio Moro sendo processado; Gilmar Mendes, Renan Calheiros, Romero Jucá, Carlos Marun, Lula, Aécio, todos candidatos a presidente da república,

  6. Osiel Bastos disse:

    É uma pena que nosso país não tem ainda medidas mais rígidas para políticos corruptos. A justiça é lenta e leve, para quem é um representante do povo não pode enganar aquele que lhe deu o voto de confiança para aquele determinado cargo.
    Mas a regra que eles usam é primeiro eu vejo o meu lado, se der ou se sobrar algum dinheiro no caixa veremos qual problema tentaremos resolver para o povo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-07-15 07:37:08