aki

cadastre-se aqui
aki
Política
21-06-2016, 9h13

Temer faz acordo que geraria tempestade para Dilma

Credibilidade fiscal da equipe econômica possibilita acerto com Estados
35

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

O presidente interino, Michel Temer, conseguiu negociar um acordo generoso com os Estados porque tem uma equipe econômica com credibilidade. O acordo fechado por ele jamais poderia ser feito pelo time econômico da presidente afastada, Dilma Rousseff, porque ela queimou toda a credibilidade fiscal no primeiro mandato e quando titubeou em relação a Joaquim Levy e o trocou por Nelson Barbosa no final de 2015.

Henrique Meirelles era o ministro da Fazenda que o ex-presidente Lula queria que Dilma nomeasse justamente para poder melhorar as expectativas econômicas. A credibilidade de Meirelles e da equipe econômica atual possibilitou a realização de um acordo generoso para os Estados.

Um acordo desse tipo feito por Dilma geraria uma tempestade de reações negativas do mercado financeiro, do empresariado e da opinião pública.

O benefício aos Estados é imediato. Carência até o final do ano para todo mundo. A contrapartida ainda dependerá de aprovar uma regra para estender aos Estados o limite de crescimento das despesas que a União quer implementar para ela mesma com a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que enviou ao Congresso. É uma contrapartida necessária e que, com o benefício dado aos governadores, deverá ganhar apoio para ser aprovada pelo Congresso.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o acordo com os Estados resultará num impacto de R$ 20 bilhões, já previsto na estimativa de deficit de R$ 170,5 bilhões da União neste ano. Acontece que essa conta pode chegar a R$ 30 bilhões com socorros pontuais que ainda poderão ser feitos, como o que está prometido ao Rio de Janeiro para evitar colapso nos Jogos Olímpicos.

*

Ponto político

O Senado é a Casa do Congresso que representa as Unidades da Federação. O poder dos governadores sobre senadores é um instrumento eficaz de pressão. Numa hora em que precisa se consolidar no poder e na qual enfrentará ainda a batalha de votar o impeachment em definitivo de Dilma no Senado, Temer faz uma articulação que favorece os seus interesses políticos.

Um acordo com os Estados tende a angariar a simpatia de governadores e senadores. Como foi um assunto que se arrastou no governo Dilma, ao resolvê-lo agora, Temer mostra maior capacidade para governar do que Dilma. Todos os Estados aceitaram. Ele resolveu rapidamente um tema delicado.

É uma solução temporária, que dá um alívio de dois anos aos Estados. Logo, ali na frente, poderá surgir nova tentativa de renegociação, mas, até lá, haverá tempo para o Congresso tentar aprovar uma reforma tributária e fiscal e para o país voltar a crescer, elevando novamente a arrecadação de impostos da União, dos Estados e dos municípios. Na batalha do impeachment, Temer marcou um ponto.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
35
  1. Aliomar Santos do Nascimento disse:

    Fazendo acordos que abrem mão de imensos valores, só para ter apoio politico,
    não colocará em riscos, projetos sociais em andamento.

    • Pasquale disse:

      O que esta em jogo urgente, é a saúde e a educação ex:Rio de janeiro

    • ciniro de oliveira disse:

      Será que existe realmente algum projeto social que esteja realmente em andamento?

    • Joaquim José da Silva Xavier disse:

      o país em crise, e o governo gasta muito com quem não precisa tanto . . . e vc acredita q programas sociais não serão afetados?!?

      com base no seu comentário, chego a conclusão que não estamos em crise coisissima nenhuma… é conversa da globo!!!
      kkkkkkkkkkkkkk

    • Gilson Nunes disse:

      A diferença é simples: sendo a Dilma é uma irresponsabilidade fiscal gigantesca que causará o caos econômico e o fim da civilização ocidental como nós a conhecemos. E tudo isso só para angariar apoio político. Sendo o Temer é um estratégia genial de um político fantástico, maravilhoso, espetacular, fofinho e queridinho da imprensa, que elevou o calote da dívida dos Estado a um patamar mais elevado.

    • Mario Fortes disse:

      O mais importante e salvar o Brasil…

    • walter disse:

      Tem Razão Eliomar, te3nta a qualquer custo, fazer acordos, mesmo com um sacrifício maior para o País; nesta hora o RIO leu as cartas, e jogou sujo, temos que tolera-los…
      O Temer, precisa descredenciar o PT, eles jogam sujo, para a dilma tentar voltar;não planos para entregar com renuncia a principio da presidência…trata-se uma “gaiola para as loucas”; vão empurrar o julgamento se puder, tentam influenciar os senadores, com propostas escusas; mas a dilma não é mais viável para nada; queimou se filme inteiro…
      Vamos acreditar que o Temer é sim a melhor opção, para reabilitar o País; que estes DOIS ANOS, sejam equivalentes a CINCO; quem sabe, as reformas necessárias aconteçam…

  2. Rafael disse:

    Marcou um ponto? Gol de puxeta amigo.

  3. DONG disse:

    Parece que esta no caminho certo, sempre e bom ter prazo para pagar as contas quando se esta endividado, mas os brasileiros também precisam de prazo para honrar suas dividas ainda mais agora que estão sem emprego.
    Precisa anunciar as Privatizações urgente para gerar empregos.
    Abrir licitações de obras publicas para o capital estrangeiro urgente.
    Porque as maiores empreiteiras do Brasil estão quebradas por conta da lava jato e não tem condições financeiras para tocar novas obras e leva-las até o fim.

    • Joaquim José da Silva Xavier disse:

      amigo, como disse Kennedy, foi um cálculo meramente político a intenção foi angariar simpatia dos senadores por meio dos governadores…
      ser generoso num comento como esse, mostra q ele não tá pensando em economia, tá visando meramente a votação do impeachment!!!

      privatizar pra gerar emprego?!? vc diz isso no dia que a maior operadora de telefonia anuncia estar quebrada, e seus funcionários estão fazendo greve pq não recebem . . .

      a Oi tá demitindo td mundo . . . vem pro mundo real!!!

      • No capitalismo é assim. Quem administra mal e não oferece bons serviços, perde para a concorrência e fecha as portas.
        Não adianta colocar antena exclusiva para cliente privilegiado e se esquecer dos clientes comuns que são a maioria dos consumidores dos serviços.
        Assim como as empreiteiras que se acostumaram a viver encostadas no governo e a socorro de verbas públicas e intervenções do estado, estas empresas que não estão acostumadas a livre concorrência e ajustes aos movimentos do mercado consumidor, devem desaparecer.
        É a seleção natural.

        • martins disse:

          “No capitalismo é assim. Quem administra mal e não oferece bons serviços, perde para a concorrência e fecha as portas.”

          Correção: em artigos acadêmicos, na televisão e na propaganda o capitalismo é assim.
          No mundo real uma empresa estatal é comprada por um grupo privado com dinheiro público, vai à falência, os acionistas e os proprietários ficam ricos, o Estado assume a dívida e os funcionários vão para a rua.
          E quem contesta essa empulhação é taxado como “desocupado”, “vagabundo”, etc…

          • Antonio disse:

            Muito bom! Na verdade, a teoria na prática é bem outra.

          • Graças aos eleitores que votaram em políticos corruptos para administrar o estado, acreditando em promessas vazias ou vendendo o voto em troca de favores.
            A culpa não é do capitalismo. A culpa é da corrupção.
            Corrupção do político.
            Corrupção do empresário.
            Corrupção do eleitor.

  4. O pedido de socorro do Rio de Janeiro ao decretar estado de calamidade, expos as feridas nos joelhos dos estados da federação. Deixados de joelhos por esta política perversa que incentivou a gastança e causou o desequilíbrio fiscal.
    A renuncia fiscal deu muito lucro aos mais ricos(A FIFA agradece),mas trouxe de volta a inflação e por consequência a elevação dos juros. O que impacta diretamente na dívida pública. A elevação da dívida pública levou a perda do grau de investimento por todas as agências de risco. Isto fez o Real perder valor. A desvalorização do Real teve efeito nas dívidas em Dólar das empresas. A Petrobrás tornou-se a empresa mais endividada do mundo. O controle de preços sobre as tarifas e sobre os combustíveis terminou de afundar com as empresas. Que diminuíram os investimentos. A falta de investimentos levou ao desemprego. O desemprego à recessão.
    Aproveitem que estamos de joelhos e rezem.

  5. Edi Rocha disse:

    Acho que não apenas marcou só 1 ponto, na verdade, o governo interino venceu.
    A estratégia do déficit de 170 bilhões foi certeira. O governo agora vai conseguir governar, apontou soluções, enquanto que o governo anterior não conseguia dar um passo à frente.

  6. Frank Underwwod disse:

    Comunicamos com pesar o falecimento (assassinato) da operação lava jato, ocorrido nesta datas. O crime foi praticado pela cúpula do PMDB e Sistema Judiciário. Segunda Feira dia 27/06. Será a missa de 7º dia.

  7. Elaine disse:

    Lamentavelmente o Brasil virou uma uma PIADA pronta. Rombo de 170 bilhões de reais é normal com um governo interino, ilegítimo, impopular e sem estatura moral para comandar o país. A Dilma com o déficit de R$ 96 bilhões era o fim do mundo. Ora, ora, ora. Parem de ficar elogiando essa falácia. Esse socorro aos Estados faz parte deste rombo de R$ 170 bi (pacote de bondades) e quem vai pagar a conta? A sociedade brasileira, claro. Cortes drásticos nos programas sociais, flexibilização dos gastos com saúde e educação, etc, etc. Parem de ficar apoiando essa falácia. pelo amor de Deus.

    • Artur Freire disse:

      Elaine, acho que voce não percebeu que este deficit de 170 bilhões foi gerado pela sua querida Dilma, só foi aprovado no congresso pela confiança neste governo em resolver o problema que a Dilma criou, quanto aos Estados estão quebrados pela politica econômica da sua querida, que por sinal quebrou empresas e pois em risco todos os programas sociais.

      • Renato de Castro disse:

        Realmente Artur, você tem toda razão. O déficit e os atuais problemas foram criados e/ou piorados no Governo da Presidente afastada Dilma. Alguns eleitores “petistas” tem dificuldade em enxergar que estamos colhendo o que foi plantado em pouco mais de 10 anos.

  8. joao dias disse:

    No governo de FHC, os Estados transferiram o montante de todas as suas dívidas para o Tesouro Nacional, beneficiando os mais endividados. Com o passivo zerado e acreditando em novos benefícios, no futuro hoje presente, começaram, com a ajuda da União, um novo e acelerado endividamento, através de gastos justificados e a maioria não justificáveis, especialmente com a lotação e inchaço da máquina pública, com funcionários não concursados e terceirizados, visando os interesses eleitoreiros e esquecendo de priorizar e direcionar as suas receitas para a segurança pública, para a saúde, para a educação, para o transporte coletivo de qualidade , para a habitação e o saneamento básico. Retroagindo a 20 anos atrás, o Povo constata que não recebeu a contra partida dos quase 40% que paga em impostos diretos e indiretos. Que o congresso nacional aprove uma lei rigorosa priorizando os gastos dos Estados brasileiros. 75% da dívida renegociada, está em São Paulo, Rio e Minas.

  9. claudio machado de souza disse:

    Amigo DONG, seu comentário foi muito positivo até o ponto que vc. disse que as empreiteiras do Brasil estão quebradas por conta da lava jato, não é isso elas estão quebradas pela ganância de ambos os lados (Empresários, Políticos) de um País onde as leis não estavam sendo cumpridas, acho que precisamos recuperar a credibilidade junto ao mercado internacional para que possamos contar com investimentos internos, acho que o Governo Federal dá sinais que quer fazer isso.

  10. Vincular a carência a aprovação das medidas econômicas, como o limite de gastos ampliado aos estados, é excelente.
    Viu uma oportunidade e agiu rápido para e não perder o momento(timing).
    Não desperdiça importante ferramenta de articulação e barganha com o Congresso.

  11. Alberto disse:

    Corretíssimo o acordo fechado com os estados.Aliás Estados e Municípios,independentemente de péssimas gestões,”sofrem” nas mãos da União quanto aos fundos legais,impostos,contribuiçõs e obrigações que lhes são imputadas.

  12. Antenor disse:

    Kennedy, mais uma demonstração de que Temer e sua equipe estão afinados nas estratégias e na solução rápida das dificuldades que se apresentam no caminho (algo de que Dilma nunca lançou mão). Dilma sempre foi letárgica e quando tomava alguma atitude, o fazia sempre com muitos meses de atraso e sempre sob grande pressão do PT e de Lula. Assim, demonstrava que não tinha rumo e nem sabia tratar dos assuntos com a devida urgência que necessitava.
    Daí, o caos em que deixou o governo. Agora, imaginem se essa senhora voltar!! Vai querer desfazer tudo que está sendo construído, só por pura “birrinha”. DILMA/PT, NUNCA MAIS!

  13. Sales disse:

    Programa social, só se faz se tiver dinheiro, se não tiver acaba.
    Fazer caridade com o bolso dos outros é mole.
    Um dia alguém vai pagar a conta.

  14. Anastácio disse:

    Para os sem memória, lembro que depois de inaugurado o Maracanã com um jogo de cumpadis, o Sérgio cabral doou do Estado 300 milhões para fazer frente aos pequenos reparos e adaptações. E nem lembrou dos aposentados, jantou em Paris. Entenderam agora a falência do Rio?

  15. Esmael disse:

    SBC, 23 de outubro de 2015
    Joaquim Levy caiu por politizar a campanha salarial dos bancários e porque?
    Trabuco dos Banqueiros: Joaquim Levy/Bradesco, manda Caixa Econômica e Banco do Brasil travar negociações com bancários?
    Os Bancários tiveram as negociações travadas devido ao fato que o Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal queriam rebaixar a proposta da FENABAN. Assim que tiveram esta notícia, os representantes dos bancários começaram a relacionar esta ação como um possível comando externo, a possibilidade que o Ministro da fazenda Joaquim Levy estivesse pressionando os bancários, a mando do Cappi Trabuco que é o Presidente do Bradesco, mesmo porque a FENABAN quer a separação dos bancos privados das estatais na mesa de negociações, que teria como resultado o enfraquecimento dos bancários do setor privado nas negociações salariais e sociais, lembrando também que a principal estratégia do Bradesco é a alta rotatividade de seus funcionários para manter salários baixos.

  16. Marcellus disse:

    Se Henrique Meirelles conseguir salvar a economia é sério candidato a 2018. Mesmo porque com a Lava Jato esta difícil achar um nome de confiança.

  17. LYRA disse:

    Lembro que esse acordo com os estados não passa de uma manobra para que os governadores possam financiar as campanhas de outubro próximo vindouro e, como ele o Michel TREME, não poderia somente atender aos governadores ligados a sua facção, o PMDB, estendeu a todas as demais facções criminosas, também conhecidas como partidos políticos.

  18. MARIO9 GANDRA disse:

    A OI ESTÁ EM”RECUPERAÇAO JUDICIAL-VULGO FALÊNCIA”.OS ESTADOS QUEBRARAM, COM RARAS EXCESSÕES.
    QUEM VAI DAR A TETA PARA MAMAR- BNDES, VULGO BRASILEIROS EXTORQUIDOS

  19. NÃO HÁ DOIS CAMINHOS: OU DO LADO DA NAÇÃO OU DA LADRÃOZADA CORRUPTA! disse:

    O presidente Temer é um político experiente, mas não deve se esquecer que a classe política se corrompeu tanto que perdeu a sensibilidade necessária para não se esquecer que é “representante do povo”.
    Como aconteceu com a maioria da classe política e principalmente com o lula e com a Dilma.
    A classe política se lambuzou com o melado; lula achou que os marqueteiros manteriam sua falsa imagem de defensor do povo; Dilma não ouviu os conselhos para se livrar da lixaiada que a cercava!
    Temer teve um voto de confiança do povo mesmo sendo do desgoverno também, simplesmente porque se tornou a melhor opção “imediata” para se eliminar um mal maior.
    Já não deveria ter errado como errou, ao nomear suspeitos de envolvimento em corrupção. Além de agir corretamente na economia, é necessário que demonstre todo o apoio à Lava Jato, doa a quem doer. O povo está atento e, na hora do vamos ver, quando o povo vai para as ruas, não tem político que fique num barco afundando.

  20. DAILTON BENTO disse:

    Antes de mais nada, Parabens Kennedy Alencar. Seus post’s são sempre os melhores. Isso prova a sua capacidade e profissionalismo. Sorte do SBT em te-lo como JORNALISTA.

    Uma coisa é fato, LEGITIMO ou NÃO, o GOVERNO TEMER, está mostrando a que veio. Mesmo com as quedas de Ministros, o que não significa muita coisa, visto a atual conjuntura política do BRASIL. O PMDB, na pessoa de TEMER está aos poucos, calando a boca de muitos “PETRALHAS” que duvidavam na capacidade de GOVERNAR. Henrique Meirelles, é o grande HERÓI desse GOVERNO, que esperamos que fique até o fim do MANDATO, pois, a saúde politica e financeira do BRASIL não resistiria a uma possível volta de DILMA. O BRASIL precisa de união… Se quiser sair dessa “crise” que na verdade é POLITICA, mas que afetou e muito a economia do país. Precisamos melhorar nossas escolhas diante da URNA. Nossa maior e melhor manifestação, será nas URNAS em OUTUBRO.

  21. Porque não dá um refresco também para a maioria dos aposentados que estão em crise, devido aos empréstimos consignados, muitos feitos para pagar dívidas com despesa com saúde e outros itens?
    Não vejo nenhum movimento no Brasil, nem comentarista político entrar nesse assunto, os aposentados estão com uma defasagem enorme, e comprometidos com os consignados que sacam diretamente da folha dos mesmo, Kenedy, faça um comentário sobre isso, certamente sua visibilidade aumentará e muito, ao tentar ajudar um seguimento bem sacrificado e que tanto já lutou por esse país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-26 04:22:40