aki

cadastre-se aqui
aki
Política
25-07-2016, 20h50

Temer se prepara para enfrentar retaliação de Cunha

Governo quer evitar cair em armadilha na economia e na política
6

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

A um mês do início da votação no Senado do impeachment de Dilma e com uma Olimpíada no meio do caminho, a prioridade do governo Temer é evitar armadilhas na política e na economia.

O governo continuará administrando por meio de discursos do presidente e de ministros as expectativas na economia. Por exemplo, prometer reforma da Previdência e controle do gastos públicos para manter o apoio do mercado financeiro e dos empresários.

Outra ação é se preparar para enfrentar eventual retaliação do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha. O governo considera que a cassação do mandato de Cunha está ligada ao destino de Dilma. Na visão do governo, no próximo mês e quase simultaneamente, Cunha perderá o mandato e Dilma sofrerá impeachment.

Nos bastidores, o governo avalia que Cunha vai morrer atirando, porque é o estilo dele. Temer tem dito a interlocutores que está preparado para enfrentar Cunha.

Temer acredita que, se o impeachment for aprovado, haverá uma onda positiva na economia. Isso daria mais força ao governo para aprovar medidas duras no Congresso, como a reforma da Previdência e a emenda constitucional que cria um teto para o crescimento das despesas públicas.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, repetiu nesta segunda que poderá recorrer a aumento pontual de impostos. É uma medida que encontra mais resistência do Congresso e dos empresários, mas que não pode ser descartada.

Uma parcela do governo acredita que, com uma nova CPMF, o ajuste fiscal seria mais rápido e que isso poderia acelerar a retomada de investimentos, gerando mais empregos e renda.

Assista aos temas de hoje no “SBT Brasil”:

Comentários
6
  1. walter disse:

    Caro Kennedy, o Cunha para o Temer, será sempre uma situação indigesta, como outros acusados e chegados, que estão envolvidos na lava jato.
    O Cunha poderá contar com o temer, se tiver sorte; não depende do Temer sua sobrevivência, ele sabe, o presidente interino, tem que confirmar, sua efetivação; não pode fazer nada por ele; sua situação, esta mais para a renuncia e delação; terá que ponderar após sua delação, se será cruel com seus companheiros de chapa, ou não; envolver figuras que estão governando, não é uma boa política para ele; certamente ter[á que entregar alguns…
    O maior problema do temer, são as medidas indigestas, que estão no forno…

  2. Zé Chico disse:

    Senhor Kennedy, felizmente a política não se faz nos mercados e sim nas ruas. Ao propor medidas impopulares, Temer estará jogando contra as ruas. E sucumbirá, porque a parte do corpo humano que mais dói é o estômago. E o analgésico para o estômago é o bolso. O povo já está muito sacrificado, não consegue mais contribuir com a própria carne. Quanto ao Cunha, como seria bom que ele tivesse um gesto de grandeza e abrisse o seu arquivo incomensurável… tirasse de lá todas as mazelas que macularam o Brasil por tanto tempo. Pena que é um devaneio… Em política, como se diz na minha terra, um gambá cheira ao outro.

  3. Kennedy politicos tem que pagar moradia transpotes ,tem os mesmos direitos trabalhistas que todo trabalhador tem.mas viver as suas custas.não os pobres pagarem as mordormias desta cambada de só vaõ a Brasilia quando querem.e os coitados dos trabalhadores se matando de trab alharem parapagarem altos salarios para eles se depender de mim nunca mais votarei em ninguem.pois tenho vergonha da nossa constituição se feita por homem que só defende os politicos se eu fosse o povo Brasileiro fazia uma greve geral ou muda esse sistema de nós sustetamos politicos ou não votaria em ninguem. um abraço.

  4. Rodrigo Tossato disse:

    Quer dizer que um aparcela do governo TEMER, acredita que o aumento de impostos trará uma retomada mais rápida da economia?? e quando Dilma apostou nisso, quase foi estraçalhada por pares deste mesmo governo, onde está querencia nisso????? é a pauta da direita a galope….

  5. LUIZ VIANA disse:

    Certas medidas econômicas podem com um governo e com outro não! Triste isso.

  6. neyder disse:

    Volta da CPMF? Estão brincando conosco. Afinal esse pessoal não vociferou quando isso foi proposto no governo deposto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-27 16:14:11