aki

cadastre-se aqui
aki
Política
13-06-2017, 8h31

Temer segura PSDB, tenta barrar denúncia e mira reformas

Tucanos mantém tradicional dubiedade, mas evitam rompimento já
12

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

De acordo com a tradição, o PSDB ficou em cima do muro. Em reunião ampliada da Executiva, com participação de presidentes de diretórios estaduais, deputados e senadores, o partido decidiu ontem em Brasília manter o apoio ao governo Temer, mas condicionado a mudar de posição caso surjam fatos novos.

Ou seja, continua agindo com dubiedade. Há uma série de motivos pra isso.

O primeiro deles: a Lava Jato atingiu também caciques tucanos. Seria hipocrisia romper com o presidente Michel Temer por motivo ético. Afinal, o presidente licenciado do PSDB, o senador afastado Aécio Neves (MG), precisa do PMDB de Temer para manter o mandato.

Se o PSDB rompesse com Temer, o PMDB abandonaria Aécio, que também é alvo da delação do empresário Joesley Batista e dos executivos da JBS. Logo, fica difícil justificar o abandono da atual administração se os tucanos não resolveram até hoje o que fazer com Aécio, que ainda possui muitos aliados na Executiva tucana.

A decisão do TSE de não cassar a chapa Dilma-Temer também tirou do PSDB uma eventual justificativa para a ruptura imediata.

Outra razão: o PSDB foi avalista do impeachment da então presidente Dilma Rousseff em 2016 e condicionou o apoio a Temer à adoção de uma agenda de reformas que o peemedebista vem tentando implementar à risca.

Há divisão no partido, o que leva uma fatia a anular o desejo da outra. Uma ala prefere manter os cargos no governo e esperar para ver os desdobramentos da crise. Esse grupo prevaleceu sobre os setores que pregavam o rompimento agora.

O governador Geraldo Alckmin e o prefeito de São Paulo, João Doria, também jogaram a favor do apoio a Temer. Alckmin e Doria cogitam concorrer à Presidência no ano que vem. A queda de Temer poderia prejudicar suas pretensões. Um substituto do peemedebista poderia ser um potencial rival na disputa eleitoral de 2018.

O PSDB deixou claro, nas palavras do senador José Serra, que aguarda um eventual fato novo (denúncia de Janot). Se esse fato vier e dificultar ainda mais as condições de Temer para governar, o PSDB poderia reavaliar o apoio.

A articulação que conteve ontem mais uma vez um desembarque reforça o atual presidente da República. Temer conversou nos últimos dias com os aliados no PSDB, como Aécio e o ministro da Secretaria de Governo, o deputado federal Antonio Imbassahy.

Com a demora do PSDB em romper, Temer procurou outros partidos aliados e estava preparado para redistribuir cargos que hoje estão nas mãos dos tucanos. Isso pesou na decisão de ontem, porque o PSDB poderia sair e não haver efeito dominó. O DEM, por exemplo, já havia dito que ficaria com o governo.

Temer obteve mais uma vitória política, o que reforça a articulação para barrar na Câmara a autorização para que o Supremo Tribunal Federal toque adiante uma eventual denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente da República.

Apesar das dificuldades no caminho, Temer pretende aproveitar a precária trégua tucana para tentar aprovar a reforma trabalhista nas próximas duas semanas. O presidente também deseja votar o primeiro turno da reforma da Previdência na Câmara antes do recesso parlamentar que terá início em 17 de julho.

Além de barrar a denúncia de Janot na Câmara, Temer avalia que não pode descuidar da agenda econômica e vai tentar tirar do papel essas duas reformas a fim de permanecer no cargo até o final de 2018.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
12
  1. Joaquim disse:

    Mais uma consequência da decisão desastrosa do TSE. A ruina da economia. Poder escrever a inflação irá estourar novamente.

    • walter disse:

      Caro Joaquim, HJ nos pior dos mundos, se tivéssemos inflação, seria um sinal de economia em movimento crescente…estão na verdade, tentando manobrar, já que desta vez, todos estão na mesma “barca furada”; o PSDB nas mãos do Ae´cio, é obrigado a permanecer no governo, com a intenção de livrar a cara de todos; tem o cofre do partido nas mãos, e vai contar com esta moeda…Temos o temer com o “rabo preso”, fazendo manobras a luz do dia, já que o Ministra Carmen Lúcia, a “moralizadora” vai se fazer de morta, enquanto puder…estão em convulsão, já todos os poderes estão padecendo da crise de moral…A tese de que sem o temer pode ser muito pior, tem sentido…imagine um rodrigo maia sangrando os cofres públicos, para resolver o RIO…nossa unica esperança, que os “meliantes” se unam em torno das reformas…com isso, o segundo semestre pode ser de bonança…o Ano que vem, tem eleições, imaginem se não arrumarem a casa este ano; estaremos esnucados o ano inteiro.

  2. petronilo disse:

    O temer pode estar envolvido em falcatrua, e deve estar, mais isso e problema do judiciário que, alias o está processando em uma velocidade da luz, o que não acontece com outros políticos. Ex. Renan Calheiros, Sarnei, etc. Tenho que reconhecer que na atual conjuntura política, o Temer é essencial para tocar o pais até 2018, pois é um bom articulador, tem trânsito em quase todos os partidos e uma enorme folha política que nenhum outro político tem. Foi presidente do PMDB por vários anos, só isso justifica sua qualidade de articulador. Deixe o homem trabalhar e toquem os processos contra ele sem açodamento.

    • Sebastiao Canabrava disse:

      Acorda, Petronildo. Voce ainda defende o Temer. Tudo bem que os incautos (massa de manobra da direita) foram usados para derrubar a Dilma. Vestidos de camisa da selecao (hic) pediam fim da corrupcao. Sem provas contra ela. Agora, com tantas provas contra o Temer (gravacao, mala, viagem de jatinho da JBS, Coronel testa de ferro em SP, etc) voce ainda tem a cara de pau de defender o Temer. Bobagem tem limite.

  3. Leila Maria Rinaldi Vieira disse:

    Infelizmente tenho que assumir a vergonha da política do meu país. Um país maravilhoso que Deus nos deu, com tudo para sermos felizes. Mas, grupos de infelizes e maus políticos nunca compreenderam que são empregados de um povo simples, que também não sabe a força que tem.Continuo “batendo na mesma tecla” e digo que o grande problema da política brasileira são os Partidos Políticos, na forma que existem. Eles deveriam ser criados e aparecerem apenas alguns meses antes de uma eleição, escolherem candidatos, fazerem propagandas etc. etc. e serem desfeitos quando terminasse o pleito. Não poderiam nunca constituir empresas riquíssimas que comandam homens como se fossem robôs. Recebem dinheiro dos governos e de grandes empresários como se fossem bonecos, que fazem aquilo para quê foram programados. Os candidatos se vendem; ganham espaço os que melhor parecerem servir ao partido; nunca pensam no povo que é o real motivo de existir o político. Tenho pena deles, quando morrerem!

  4. In Memoriam

    PSDB
    1988 – 2017
    R.I.P.

    Causa Mortis: Morte por afogamento (na lama).
    O PSDB morreu abraçado com o PMDB.

  5. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    Dória deveria se descolar de Alckmin, a situação do governador é ruim e vai contaminar a carreira de Dória que não sofre rejeição.
    Alckmim vai se candidatar novamente, vai perder e pior, vai afastar novos nomes ficha lima da corrida eleitoral… uma pena !

  6. ANDRE disse:

    Carmem Lúcia se acovardou, demonstra toda sua fraqueza. Se era para fazer o papelão que fez, antes tivesse ficado calada.
    Kennedy, percebemos que ultimamente em suas análises você tem se esquecido de ator importante na permanência do Temer, o povo. Não parece ter visto as grandes manifestações no Rio de Janeiro, em Salvador, Porto Alegre, Recife e outros. A diretas já começa a ganhar o apoio de diversos artistas (veja os nomes que já declararam apoio às diretas já), ganhar o apoio de entidades como a OAB, a CNBB e outras. A população em quase sua totalidade pede a renuncia do presidente e são contra as reformas. Por tudo isto meu caro jornalista, não subestime tanto o povo. Os políticos estão se esquecendo dos “russos”.

    • Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

      A CNBB não tem que dar palpite em política nem outras questões seculares .
      O país é laico e já basta um crucifixo no plenário do STF.

  7. Alvarez disse:

    PSDB e Temer, tudo a ver.
    Enquanto isso nosso pais vai se dissolvendo nas mãos dessa quadrilha do PMDB e PSDB.
    Temer deveria ser preso, preferencia condenado a prisao perpetua, pena que nao temos tal prisao em nosso ordenamento juridico.

  8. Wellington Alves disse:

    Flerta com o poder e não quer deixá-lo. Tem projeto para obter e permanecer com o poder. Falo do PT? Não, da tucanalha. O bônus é que venderão tudo aos estrangeiros e nos rebaixarão á subnação que éramos.

  9. AGamenon disse:

    Isso mesmo,PSDB,PMDB.Aproveitem ao máximo, afinal o povo tem memória curta.quem nas eleições do ano que se aproxima irá lembrar que o PMDB teve a maioria de seus Caciques envolvidos no rastro de corrupção e o o defensor da ética, o partido do PSDB(PELO MENOS ESSA ERA A BANDEIRA DE SUA CRIAÇÃO), o abraçou e falou juntos não afundamos. Ninguém irá se lembrar, e possivelmente teremos no governo o Excelentíssimo Dória marketing.

Deixe uma resposta para Roberto Peradelles Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-08-04 05:10:10