aki

Kennedy Alencar

cadastre-se aqui
aki
Política
13-06-2017, 18h48

Temer tenta combinar sobrevivência política com ação econômica

Estratégia não pode se resumir a ficar no poder, avalia presidente
4

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A reunião de Michel Temer com um grupo de governadores hoje em Brasília faz parte da estratégia política do presidente da República para ficar no poder até o fim do mandato. Temer avalia que não basta apenas barrar na Câmara uma denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Para o presidente, a agenda do governo não deve ser apenas a da sobrevivência política. Esse encontro se insere, portanto, numa estratégia de mostrar que ele tem condição de melhorar a economia.

Nessa reunião, ele pretende discutir investimentos do BNDES nos Estados. Também vai pedir apoio para aprovar a reforma trabalhista nas próximas duas semanas no Senado. Ele quer votar, pelo menos, o primeiro turno da previdenciária na Câmara antes de 17 de julho, dia em que começará o recesso parlamentar.

*

Na fogueira

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal manteve hoje a prisão da irmã do senador, Andrea Neves. Na semana que vem, o mesmo colegiado analisará o pedido de prisão de Aécio.

A deliberação sobre Andrea Neves é um sinal de dureza de parte dos ministros do STF. Mas foi uma decisão apertada, por 3 a 2. Existe uma tendência de vitória apertada a favor do pedido de prisão de Aécio que foi formulado pelo Ministério Público devido à gravidade das acusações.

Mas Aécio está num limbo jurídico. Há ainda aspectos políticos envolvidos, porque, após eventual decisão do STF, o Senado teria de autorizar a prisão. E isso pode gerar mais tensão entre o Judiciário e a classe política.

Assista aos temas do “SBT Brasil”:

Comentários
4
  1. POLÍTICO QUE NÃO ENXERGA QUE ELEITOR MUDOU VAI SE DAR MAL EM 2018! disse:

    Esses senadores e deputados que estão protegendo Temer, Aécio e outros envolvidos com a justiça estão dando tiro no próprio pé, pois os eleitores vão cobrar isso deles nas eleições de 2018. Estão deixando de cumprir suas funções de “REPRESENTANTES DO POVO” para proteger quem se envolveu em crimes. Pagarão com suas carreiras políticas, podem escrever. O eleitor brasileiro mudou depois da Lava Jato e político que não enxerga isso vai se dar mal!

  2. renata vieira disse:

    espero que as reformas sejam aprovadas antes que o Temer saia.

    • walter disse:

      Este é o grande problema, cara Renata; todos os brasileiros responsáveis, quem de fato paga as contas, querem esta solução; todos nós com o mínimo de discernimento, e boa fé esta sonhando com esta solução; seria inteligente, se o Temer propusesse isso, sairia com moral, deixando a casa arrumada, por um prazo combinado. por que não fazer isso, tem muitos cordões para segurar e controlar; seus amigos do peito, estão presos ou serão…no fundo o grande problema do momento, são os ANOS E ANOS de roubalheira…As grandes empresas, aproveitaram se dos corrompidos do poder central…não há desculpa, fomos ingenuo em acreditar nesta corja; principalmente no LULA e dilma…

  3. TEMER, PADILHA, JUCÁ, RENAN, MEIRELES, MOREIRA FRANCO, EUNÍCIO OLIVERIA, RODRIGO MAIA, GILMAR MENDES... MEU BRASIL BRASILEIRO! disse:

    Até quando o povo vai pagar a conta dos corruptos? Agora estamos vendo jantares, reuniões, verbas, renegociação de dívidas dos estados, novos financiamentos pelo BNDES, etc, tudo descaradamente em prol de proteção a Temer no poder e sua salvaguarda de uma eventual condenação e cadeia. É um “toma lá dá cá” que já atinge o próprio STF: o que aconteceu no julgamento da chapa Dilma/Temer no TSE demonstra claramente isso.
    O país virou um pandemônio geral, é um vale tudo para não ir para a cadeia. Não se governa mais, é só “salve-se quem puder”. E o que mais se temia já aconteceu: a corrupção do Executivo e Legislativo já contaminou o Judiciário com “Disenterias Verbais e Decrepitudes Morais” protegendo e defendendo corruptos!

Deixe uma resposta para walter Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-11-27 05:55:12