aki

cadastre-se aqui
aki
Política
23-06-2017, 22h08

Trechos antes inaudíveis mostrarão peso da gravação Joesley-Temer

Pouco importa não ter havido edição; aval à compra de silêncio exige prova
6

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

As transcrições de trechos antes inaudíveis na primeira versão divulgada da gravação Joesley-Temer serão decisivos para avaliar o peso dessa prova contra o presidente da República. A perícia da PF (Polícia Federal) atestou que não houve edição na conversa e descobriu novos trechos da gravação.

Na primeira versão, não se sustentou a acusação do empresário Joesley Batista de que o presidente Michel Temer teria dado aval à compra do silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha durante a famosa reunião noturna no Palácio do Jaburu. Agora, será preciso ver se surgirão elementos novos que confirmem essa acusação.

Outro ponto importante da futura denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Temer é o elo do presidente com o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures. A relação próxima entre os dois é pública e notória em Brasília.

No entanto, Janot precisa reunir elementos para ligar Temer ao recebimento de uma mala com R$ 500 mil de propina da JBS que foi carregada às pressas por Rocha Loures em São Paulo _episódio filmado pela PF.

O governo avalia que hoje teria apoio para barrar a denúncia de Janot. Um eventual fatiamento faz parte da estratégia que o Ministério Público pode vir a adotar para desgastar Temer. Esse movimento pode ser eficiente nesse sentido, mas também haveria potencial de gerar reação corporativa da Câmara.

Ou seja, uma avaliação de uso político das denúncias para forçar seguidas votações no Legislativo e causar dano a Temer e aos deputados. Isso poderia gerar maior solidariedade ao presidente. Mas a consistência da denúncia de Janot será fundamental para medir o grau de resistência do governo e o nível de apoio dos deputados.

A decisão do presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA), de arquivar o pedido de cassação de mandato do senador Aécio Neves (MG) tem tudo a ver com a decisão do PSDB de manter apoio ao governo Temer. PMDB e PSDB têm destinos entrelaçados. Falta autoridade moral aos tucanos para usar um discurso ético a fim de desembarcar do governo. E a salvação de Aécio, acordada com o PMDB, traz dano político ao PSDB.

Ouça o comentário no “CBN Noite Total”:

Comentários
6
  1. Lucimar Augusto Rigamonte disse:

    Parabéns kennedy, você é realmente um jornalista imparcial. Eu sou seu fã e apesar de eu ter uma ideologia política mais voltada a esquerda eu consigo te admirar, pois vejo que você não tenta manipular as notícias para livrar ou incriminar nem um lado e nem outro e, vejo também que você dá a oportunidade de ambas partes se defenderem, como fez na entrevista com Lula no SBT por exemplo. Porém, quero te pedir um favor: se for possível fale um pouco mais sobre a ausência dos “antigos” manifestantes verde e amarelo; onde eles estão?… Os meios de comunicação estão bem quietinhos quanto a isso. Na minha opinião, os verde e amarelo se quisessem teriam motivos de sobra para irem às ruas. Estou falando sobre os atuais acontecimentos envolvendo o Temer e o Aécio. Valeu Kennedy, um forte abraço!

    • walter disse:

      Verdade Lucimar, mas não existe só o verde e amarelo, como se fosse um time, e sim uma Patria; neste caso se Kennedy só se preocupasse com situações especificas, não seria prudente como tem sido; mostra se isento mostrando o geral; onde a outras cores, quem não sejam azul e branco, esta fora deste país…vale a pena nos preocuparmos neste instante com o Brasil, que esta preste a sofrer um golpe e dos bandidos unidos minha cara, isto sim é grave, e devemos lutar juntos. caro Kennedy, não importa muito se as gravações são originais, dependemos da confissão do homem da mala…que aliás, esta sendo ameaçado, adivinha por quem…sem a confirmação do sáude na faz muito sentido…estão ajeitando o plano B que é o FHC, um prejudicado e vendido…um sujeito que deveria honrar pelo menos seu partido…esta difamando um prefeito que é o Dória, que não é suspeito de roubo como os seus coleguinha e inclusive ele….são caras de pau…vão tentar sair de candidatos, como se nada tive acontecido…

  2. mano disse:

    prezados: a fase da lava jato de Curitiba perdeu o brilho. O procurador Delagnol está faturando com palestras e o juiz Sérgio Moro já foi condecorado. No século XVIII, Robespierre achou que era o bambambam e todos sabem o resultado: guilhotina e esquecimento. O brilho agora está no STF, porém com equilíbrio, maturidade, racionalidade, sem influência da mídia, observando o princípio da presunção da inocência e com poder. Pra frente sempre!

  3. Marcos Antônio Pastro disse:

    Realmente o kennedy é um dos poucos jornalistas da grande mídia que cosegue comentar situações políticas de forma imparcial ou de forma como alguém que, nas entrelinhas, procura o melhor para o Brasil. Meus sinceros parabéns por sua competência, forte abraço.

  4. mano disse:

    prezados: no final todos os denunciados por corrupção estarão rindo porque sabem que o Brasil não é um país sério. Aliás, não atribuam a mim este conceito, porque quem falou isso foi Charles De Gaulle, há bastante tempo. Um dos corolários desse conceito é: O crime compensa. E nós, pobres mortais da geral e da arquibancada, ficaremos chupando dedo e no futuro próximo com a sensação de que perdemos tempo criticando tudo isso.

  5. ELAINE disse:

    Lucimar, não seja ingênua, quem botava o povo na rua era a GLOBO e seus asseclas, o motivo era derrubar o Governo Dilma, o resto é resto.
    Simples assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-21 07:27:03