aki

Kennedy Alencar

cadastre-se aqui
aki
Geral
20-02-2020, 17h38

Trump e Bolsonaro são presidentes cafajestes

Brasileiro cometeu crimes ao atacar jornalista da Folha
1

Kennedy Alencar
WASHINGTON

Donald Trump exerce a Presidência dos Estados Unidos de forma autoritária e imperial, de modo parecido com o do presidente Jair Bolsonaro no Brasil. Bolsonaro copia Trump.

Nesta semana, o presidente brasileiro cometeu um crime ao se queixar de reportagem da jornalista Patrícia Campos Mello, da “Folha de S.Paulo”. Cometeu, primeiro, um crime contra a honra dela.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, deveria tomar providências, porque é a única autoridade que pode investigar e denunciar o presidente da República por crime comum. Aras não o fará porque fez acordo com Bolsonaro para ganhar a chefia do Ministério Público Federal.

Bolsonaro também incorreu num crime de responsabilidade porque quebrou o decoro. Esse delito já foi cometido por ele inúmeras vezes. Cabe ao Congresso tomar providências. Como um impeachment depende do fator político, não há, por ora, clima para isso.

Por último, Bolsonaro foi mais uma vez cafajeste ao atacar as mulheres. Ele sempre fez isso. Atacou a deputada Maria do Rosário, a jornalista Manuela Borges e outras jornalistas antes de fazer a cafajestada desta semana com Patrícia Campos Mello.

Bolsonaro tem comportamento cafajeste como Trump. São presidentes cafajestes.

A diferença entre EUA e Brasil é que os militares americanos não baixam a cabeça como baixam para Bolsonaro no Brasil. As Forças Armadas endossaram uma aventura que será muito danosa para a instituição. Como instituição, não poderiam ser correia de transmissão de um governo.

Essa história vai acabar mal para os militares, que embarcaram de cabeça numa administração de uma figura autocrata, despreparada e desqualificada como Bolsonaro.

Nos EUA, há também reação de diplomatas, procuradores e juízes ao assalto de Trump às instituições. A imprensa aqui reage faz tempo, diga-se de passagem. Não normaliza a cafajestada e os crimes do presidente.

O resultado da eleição americana será importante para o Brasil e os Estados Unidos. Ouça este comentário a partir dos 13 minutos e 20 segundos no áudio no fim do texto.

*

Confronto democrata

O primeiro debate com a participação do bilionário e ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg foi o tema da estreia da “Pastoral Americana” no “CBN Noite Total”, com a Tania Morales. Falamos também do processo eleitoral nos EUA.

Bloomberg entrou na mira de outros cinco candidatos democratas no debate de ontem na NBC/MSNBC. A avaliação do confronto será feita no “Jornal da CBN – 2ª Edição” nesta quinta com o Roberto Nonato. Ouça a conversa de quarta à noite com a Tania Morales:

Comentários
1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-11-25 04:28:05