aki

cadastre-se aqui
aki
Política
03-10-2016, 7h37

Vitória de Doria lembra ascensão de Berlusconi na Itália

Comparada à Mãos Limpas, Lava Jato estimula negação da política
23

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

A eleição de João Doria (PSDB) no primeiro turno em São Paulo é resultado do discurso de negação da política, que prosperou num ambiente de forte influência das investigações de corrupção feitas pela Operação Lava Jato. No primeiro turno destas eleições municipais, houve um efeito Lava Jato no país e em São Paulo.

O juiz Sérgio Moro sempre faz comparações entre a Lava Jato e as Operação Mãos Limpas, que aconteceu na Itália nos anos 90. A eleição de Doria pode ser adicionada a esse leque de comparações. Ex-premiê italiano, Silvio Berlusconi chegou ao poder com um discurso de renovação e crítica da política tradicional muito parecido com o feito por Doria.

Um dado chama a atenção sobre a desilusão com a classe política tradicional. Doria obteve 3.085.187 votos. Somados os votos brancos, nulos e abstenções, houve 3.096.304 na cidade de São Paulo. Ou seja, 11.117 votos a mais do que recebeu o candidato do PSDB.

O resultado em São Paulo é simbólico da crise do PT no país inteiro. O partido foi o maior derrotado.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, é um dos grandes vencedores. Fortalece sua chance de ser candidato pelo PSDB em 2018, mas o governo Alckmin não está bem avaliado.

Logo, esse fortalecimento para 2018 precisa ser um pouco relativizado. Dá gás interno a Alckmin no PSDB, porque ele derrotou caciques nacionais importantes, como o ministro José Serra (Relações Exteriores), o senador Aécio Neves, presidente do partido e quem controla a máquina nacional hoje, e também o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Mas a eleição presidencial será daqui a dois anos. A força de Alckmin dependerá de uma série de fatores. Exemplos: avaliação do governo dele, desempenho da administração Temer e capacidade ou não de gerar um candidato a presidente competitivo, efeito da Lava Jato sobre o PSDB e a performance de Doria, seu pupilo político.

Doria é mais um fenômeno gerado por uma novidade política. Haddad foi assim com Lula em 2012. Tivemos Celso Pitta com Paulo Maluf em 1996. O tucano ganhou de nomes que já tinham estado no poder na capital ou que haviam disputado o cargo.

O prefeito Fernando Haddad (PT) não conseguiu se conectar com a periferia e pagou o preço da crise do petismo. Marta Suplicy (PMDB) foi prejudicada pela ligação com o governo Temer e pela descaracterização de sua personalidade, com a equivocada negativa do passado de esquerda. Celso Russomanno (PRB) morreu na praia mais uma vez diante das fragilidades de suas propostas. E Luiza Erundina (PSOL) sofreu com o voto útil de esquerda que tentou empurrar Haddad para o segundo turno.

Doria passou pela periferia paulistana como um furacão político. Resta saber se esse fenômeno vai gerar uma liderança consistente, com carreira política promissora, ou se será uma aventura, como criticou ontem o ex-presidente Lula.

Ouça o comentário sobre a eleição paulistana no “Jornal da CBN”:

Comentários
23
  1. Pasquale disse:

    como criticou ontem o ex-presidente Lula.
    _____________
    Ora primeiro vamos respeitar as urnas(eleitor).
    Foi uma lavagem,a vitória do Dória.Foi no 1 turno.
    E ponto final.

    • Sueli Agradano disse:

      e que lavagem!!! Quanto ao respeito esperar o que dos perdedores petistas?! A mesma ladainha de sempre…rsrsrs.

    • Romulo Dantas disse:

      Engraçado… respeitar as urnas?? Como aconteceu para a votação de presidente recente?? O voto de 54 milhões foram rasgados…

      • Pasquale disse:

        Estelionato eleitoral que vc se refere?

      • Marco Antonio disse:

        Meu caro isso é coisa do passado, o povo elege e tira do poder, vamos parar com esse chorinho ridículo, foi tudo dentro da legalidade, agora só falta a cadeia, o povo está de Parabéns!!!!!

        • andre geraldo disse:

          Legalidade?!?! Então Hitler é inocente pq tudo q ele fez foi dentro da legalidade, a lei alemã permitia. Se não, o PT está sendo perseguido mesmo.

      • Mauro disse:

        Voce tem razão…os tais 54 milhoes de votos da dupla Dilma/Temer, que foram rasgados de maneira constitucional sem dúvidas, e ontem eles foram incinerados e enterrados, pois provou-se que o apoio das “ruas”, que o Lulo-petismo teria, foram sómente um sonho de uma noite de primavera, pois nem nas camadas mais pobres e carentes, o PT venceu.
        Que o PT, levante as mãos para o céu e agradeça por não ter vingado a idéia de eleiçoes-já, para presidente, pois o vexame seria impar e histórico, nunca mais sendo esquecido na história deste pais! O PT, perdeu até em São Bernardo> Quer mais?

        • Santos disse:

          E ainda ficam culpando a mídia, que eles tanto elogiavam e utilizavam quando eram oposição por seus próprios erros. O dia que o PT assumir que se afundou por roubalheira em níveis nunca vistos, mentiras, incompetência e arrogância talvez recupere parte de seus mais fanáticos seguidores…

      • marcelo de lima oliveira disse:

        os 54 milhões votos para presidência em 2014 foram rasgados pela própria Dilma Roussef que mentiu descaradamente na campanha para presidente. Veja vc, dois dias depois de ter ganho a eleição fez o extremo oposto do que prometeu na campanha. Elevou a tarifa de energia em 30% (o aumento chegou no total a 150%), elevou as taxas de juros, elevou o preço dos combustíveis em 30% e por aí vai. Isso tudo fez com que a inflação saísse do controle e com toda sua mediocridade política ficou isolada com a bomba na mão. Faça-me o favor. Dilma é medíocre e nada se compara a ela. Ja foi tarde demais!

    • walter disse:

      Exatamente Pasquale, foi impecável a vitória do Dória, principalmente para o Alkimin, que tem sido injustiçado, até por seu partido, que através do Serra, tentou dar um “Trança pé”, com apoio a candidatura da Marta; um governador que manteve a responsabilidade fiscal;somos responsáveis por 50% do brasil..Quanto a comparação Kennedy do Dória com o berlusconi; poderíamos compara lo, ao lula, as avessas, um pobre que ficou Milionário…acredito que com 180 milhões de patrimônio, o sonho do novo prefeito novo, seja muito maior; teremos sempre que apostar em coisas novas, aquilo que não deu certo…

    • grimaldo grimaldi disse:

      quem ganhou as eleições em SP foram os votos brancos, nulos e abstenções, houve 3.096.304 na cidade de São Paulo, que somados aos votos dos outros candidatos mostra que metade, ou mais, dos paulistas não querem mais o PSDB roubando e escondendo a sujeira para debaixo do tapete. as eleições em 2018 mostraram uma derrota fragorosa caso Alckmin queira ser candidato a presidência.

  2. Mauro disse:

    Em vários comentários que postei aqui, eu dizia que o determinante nessa eleição seriam os indices de rejeição de cada candidato e não necessáriamente a capacidade de cada um convencer o eleitor.
    Ficou provadissima a rejeição que o PT tem em todo o pais e em todas as classes sociais, diferente do que pregam seus dirigentes, sempre declarando a fidelidade das classes mais pobres. Mentira deslavada e gravissima desconexão com a realidade.
    Haddad perdeu de maneira retumbante até nas periferias de São Paulo, tendo sido derrotado em todas as areas da cidade, sem nenhuma excessão.
    O PT, só fará prefeito em Rio Branco, dentre as capitais e está pequeno como nunca esteve.
    Não tenho dúvidas de que em 2018, o PT será praticamente extinto, deixando a lição:
    – Voce engana alguns durante algum tempo, mas não engana a todos o tempo todo! Tchau PT!

  3. José disse:

    Os candidatos ligados ao Presidente Temer perderam feio, sendo a derrota mais evidente a de Marta Suplicy (PMDB), sua pupila na capital paulista. Os candidatos apoiados pela ex-presidente Dilma também perderam feio. O povo deixou marcada sua rejeição a esses dois políticos e a seus respectivos governos. A rejeição aumentará rumo a um cenário de incerteza e confusão com a apresentação do anteprojeto de reforma previdenciária, que será muito injusto com os brasileiros que se encontram na faixa de 40 a 49 anos.

  4. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    A vitória de Dória tem um simbolismo muito maior por ser em São Paulo, a esquerda sindical-pelega bolivariana, levou uma derrota acachapante em todo país.
    É a voz das ruas, tão desprezada pelos ideólogos da roubalheira estatizante !

  5. Mario Pimenta disse:

    Infeliz essa sua comparação. vejo o Dória mais perto do Bloomberg, ex-prefeito de Nova York.
    Como disse o Pasquale vamos respeitar as urnas, foi de lavada e ponto final. Sucesso Dória.

  6. Sônia Ribeiro disse:

    Os paulistanos mostraram que querem deletar este PT do mapa, que não aceitam ser governados, em qualquer esfera, por este partido! São Paulo, a mola propulsora da economia brasileira, maior cidade da federação deu seu recado: elegeu João Dória em 1o turno, para ter a certeza de que não haveria 2o turno com Haddad. Espero que esta corja tenha entendido o recado definitivamente. Foi São Paulo, também, que fez a maior manifestação contra Dilma e Cia. Ou seja, SP está apostando num novo nome, óbvio que pretendendo que este trabalhe e cumpra as promessas de campanha, sob pena de não mais elegê-lo, também. O percentual de votos nulos e brancos igualmente mostraram a decepção do brasileiro com esta política corrupta e formada por marginais.

  7. Joaquim disse:

    O maior fechamento de boquinhas no pais. Nunca antes neste pais se viu tanto “cumpanheiro” desempregado.

  8. Ray Magno disse:

    : Resultado em SP simboliza a crise do PT no Brasil inteiro.

    DEUS É JUSTO E VERDE-AMARELO

  9. mario machado disse:

    Por fim e ao cabo, ai está o resultado esmagador imposto ao PT, que sob a visão de Lula viveria por muitos anos à frente e ao comando dos destinos da nação brasileira. Negar-se à Lava Jato parte a uma máquina que destruiu esses sonhos petistas, seria injustiça. A verdade é que graças às somas da incompetência da senhora Dilma Rousseff, às suas mentiras e aos escândalos meticulosamente expostos pelas investigações da PF, de modo inquestionável, à lama da corrupção endêmica ao período vermelho do petismo, vimos destruídas todas as defesas a favor do partidão. Com quais caras ficarão os falsos Mosqueteiros dos Reis, com assentos às cadeiras do Senado diante à esmagadora vitória do PSDB – que, se diga de passagem, vê repetir-se as mazelas sofridas por ele justamente por governos tíbios e injustos – ao evento dessas últimas eleições? Os castigos podem demorar, mas baterão, de modo justo às portas sob a estrela vermelha do PT.

  10. Zeras disse:

    Ao contrário do que dito na coluna, o Haddad não perdeu por causa da desaprovação do PT, mas sim por causa da desaprovação dele mesmo, que transformou a cidade num buraco, num lixo… nem acredito que acabou!! Estamos livres!! O Haddad foi o pior prefeito da história, e espero que nunca mais o veja em lugar nenhum.

  11. Ana Julia disse:

    O Doria não venceu as eleições, o q venceu foi a alienação política causada pela mídia sobre os eleitores do PT, q metralhados com tantas manchetes sobre corrupção “somente no partido”, acabaram desistindo da política ou com vergonha do voto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-05-29 13:40:06