aki

cadastre-se aqui
aki
Recomendo
02-05-2015, 6h00

Vladimir Carvalho Doc 8.0

Retrospectiva comemora os 80 anos do cineasta
2

Daniela Martins
Brasília

Grande referência do cinema documental brasileiro, Vladimir Carvalho ganha retrospectiva de toda a sua produção cinematográfica no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) de Brasília. A mostra celebra os 80 anos de vida do diretor e oferece um painel completo de sua obra e de seu pensamento.

O CCBB exibe, durante duas semanas, todos os filmes dirigidos pelo cineasta e ainda títulos em que ele participou em outras funções, como “Cabra Marcado para Morrer” (1984), de Eduardo Coutinho, no qual Vladimir atuou como assistente de direção e produtor associado. Há também uma exposição de cartazes e documentos, além de um ciclo de debates.

Vladimir Carvalho é paraibano de nascimento, mas tem sua história fortemente vinculada à cidade de Brasília, onde foi professor titular da UnB (Universidade de Brasília) e realizou o “1º Festival do Filme Brasiliense”, ajudando a consolidar a produção cinematográfica da capital.

Dono de intensa energia realizadora, dirigiu 15 curtas, um média-metragem e sete longas-metragens. É dele “O País de São Saruê”, de 1971, que permaneceu nove anos interditado pela censura e só foi liberado com a Lei da Anistia.

Vladimir lançou uma série de filmes que traçam retratos biográficos, erguendo uma ponte entre o Nordeste e Brasília: “O Homem de Areia” (1982), sobre o político e escritor paraibano José Américo de Almeida; “O Evangelho Segundo Teotônio” (1984), sobre o político alagoano Teotônio Vilela, um dos líderes do movimento Diretas-Já, e “O Engenho de Zé Lins” (2007), sobre o escritor paraibano José Lins do Rego (1901-1957).

Em 2000, concluiu “Barra 68 – Sem Perder a Ternura”, sobre os acontecimentos políticos que culminaram com a promulgação do Ato Institucional Nº 5, AI 5. Recentemente, lançou o premiado “Rock Brasília – Era de Ouro” (2011), que traça um retrato da cena do rock na capital brasileira na década de 1980.

Ainda em atividade, o cineasta está concluindo as filmagens de um documentário sobre o artista plástico pernambucano Cícero Dias (1907-2003).

Para conferir a programação completa e os horários de exibição, visite a página do CCBB Brasília. A mostra vai até o dia 11 de maio.

Comentários
2
  1. JOSIVAL BARRETO disse:

    Vladimir Carvalho,meu colega de ginásio no Colégio Estadual da Paraíba, nos idos da década de 50, desde então já se revelava um pensador, uma cabeça pensante, atento à movimentação da vida, para além das quatro paredes da sala de aulas. Tem um quê de genialidade escondido numa personalidade simples e discreta. Lembro com saúde de nossas andanças à sombra dos jambeiros da Avenida Coremas, sol a pino, de volta pra casa.

  2. David Dias disse:

    Deus que o ajude e a mim que não me desampare.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-26 05:28:02