aki

cadastre-se aqui
aki
Política
22-05-2017, 21h48

Voz de FHC será decisiva para PSDB descer do muro

Incertezas sobre eventual sucessão de Temer paralisam tucanos
7

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Na crise mais grave do governo Temer, o PSDB mantém a tradição de ficar em cima do muro. Quando Fernando Collor de Mello caiu em 1992, já havia um movimento em direção a Itamar Franco. Na queda de Dilma Rousseff no ano passado, já estava claro que o poder migraria para Michel Temer.

Agora, há dúvida sobre a realização de eleição direta ou indireta no caso de queda de Temer. Tampouco há clareza sobre quem poderia ser candidato num caso ou noutro.

Em resumo, se aparecer um nome que reúna apoio político relevante, os tucanos poderão desembarcar. A voz mais forte para essa decisão será a do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

*

Efeito Fachin

Quando pediu a suspensão do inquérito que o investiga no STF (Supremo Tribunal Federal), o presidente Michel Temer avaliou que o ministro Edson Fachin tomaria uma decisão monocrática. Fachin autorizou o pedido de perícia da Polícia Federal, mas decidiu levar a suspensão ao plenário do Supremo nesta quarta.

Diante disso, o governo considerou que seria alto o risco de derrota. Daí a desistência, porque uma derrota poderia acelerar eventual queda.

Temer agora vai priorizar a tentativa de retomar o controle da agenda de reformas, votando a previdenciária na Câmara e a trabalhista no Senado. Enquanto isso, a defesa de Temer examina novas medidas jurídicas para apresentar ao Supremo, como pedir a anulação do inquérito alegando que a gravação do empresário Joesley Batista seria ilegal.

Assista aos temas do “SBT Brasil”:

Comentários
7
  1. Fabio disse:

    Não dúvida do que deve ser feito em caso de queda do presidente. Basta ler a Constituição.

    • walter disse:

      Caro Fabio, o que menos faz os três poderes, é ler a constituição infelizmente…já estamos prejudicados, terão que tirar o temer a fórceps; sempre foi teimoso e tinhoso…vai tentar ala dilma, carregar o presidência na marra; nesta hora, a arrogância, e o conselho das velhas raposas jurídicas, o aconselham a isto. quanto a culpa na gravação, esta cristalizada, se há qualquer pudor nos três poderes, devem afasta lo, por 180 dias…quem sabe, na cassação da chapa dilma temer em seguida, joguem a “pá de cal”

  2. mano disse:

    prezados: Se FHC recomendar que o PSDB continue apoiando o governo do triunvirato Temer, Aécio, Eduardo Cunha, estará jogando uma pá de cal na sua história política. O melhor caminho para o povo brasileiro é a eleição indireta de Henrique Meireles para presidente. É a oportunidade que temos para aprovar as reformas, salvar a democracia e criarmos condições para realizar eleições diretas em 2018, de repente com alguma liderança de centro despontando, a exemplo da França. Contamos com o bom senso e a experiência política de FHC.

  3. Sebastiao Canabrava disse:

    O Temmer ja fez dois pronunciamentos e ainda nao ouvi ninguem batendo panelas. Onde estao as panelas, Sr. Walter?

  4. Viviane disse:

    Político é tudo farinha do mesmo saco!

  5. Sebastiao Canabrava disse:

    E ainda tem inocente aqui aceitando eleicao indireta. Com o congresso que temos hoje, irao eleger um crapula ou um “pau-mandado” tipo Rodrigo Maia para presidente. Assim manterao os cargos dos apadrinhados, materam as emendas de parlamentares (absurdo existir este expediente de parlamentar governar. Sao eleitos para fiscalizar e legislar. Nao para governar). Acordem, inocentes. Ao inves de voce eleitor escolher seu proprio candidato, delegara esta funcao ao congressista, que elegera’ com interesses. E que interesses.

  6. mano disse:

    prezados: quem seria o político e de qual partido para submeter-se a uma eleição direta nas condições atuais? ainda consigo enxergar a Marina, porém tenho as minhas dúvidas sobre a capacidade dela de governar com este congresso. A ideia da eleição indireta com um candidato costurado num pacto suprapartidário tem sentido para evitar o pior, ou seja, o retorno dos militares. As principais lideranças políticas sofrem elevada rejeição da sociedade, seja, de “direita” ou de “esquerda”. De repente a Marina pode ser também uma alternativa para esta transição, por escolha indireta do congresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-25 20:27:11